Para auxiliar a rotina dos profissionais que precisaram adotar de um dia para o outro o sistema em meio à crise do Covid-19, nosso experiente time sintetizou dicas importantes

Uma das premissas inovadoras da Engaje! Comunicação ao ser lançada, em 2011, foi a adoção do sistema home office. Hoje, temos um time bem adaptado, que aprende diariamente sobre os desafios desse modelo de trabalho, ainda considerado novo por muitas pessoas e empresas.

A tendência, no entanto, é que haja cada vez maior aderência das empresas ao novo modelo. De acordo com um levantamento de 2018, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 3,8 milhões de brasileiros trabalhavam dentro de casa, o chamado home office, ou seja, o maior contingente de pessoas nesta condição de trabalho já registrado. Isso representa 5,2% do total de trabalhadores ocupados no país (com exceção de empregados no setor público e os trabalhadores domésticos), uma alta de 44,4% em relação à contagem realizada em 2012, quando teve início a série histórica da pesquisa.

Sendo assim, aos que de repente foram remanejados para desenvolver seus trabalhos de casa e aos que irão passar a trabalhar de casa, num futuro próximo, quando mais empresas começarem a aderir, nossa sugestão é começar com calma e otimismo.

  • Foque nos benefícios. Pense no fim do tempo perdido com deslocamento (meios de transporte lotados, trânsito, etc.), além das vantagens de estar próximo à família e no conforto do lar.
  • Estipule o horário que estará dedicado e disponível ao trabalho, como já fazia antes, e procure se concentrar nele durante este período. Entenda qual seu nível de concentração sozinho e, se necessário, aja para restringir o que podem ser distrações irresistíveis (desde as redes sociais até um simples e-mail). Cada profissional encontra o formato mais indicado para seu perfil e tipo de trabalho. Lembre-se que todo equipamento e aplicativo sempre tem um botão liga-desliga.
  • Adapte um cômodo da casa em que possa se preservar de barulhos, intervenções de familiares e animais, durante o horário que estipulou para trabalhar.
  • Comunique às pessoas com quem divide seu lar sobre suas necessidades e definições. Seja claro e gentil. Informadas corretamente, se empenharão em ajudar, inclusive, as crianças. Acrescente também um bilhete na porta do local, que separa você dos demais ambientes, com o seu horário de trabalho, pedido de silêncio e de evitar interrupções para ajudar a todos a se lembrarem desse novo hábito que terão que adquirir em conjunto.
  • Faça um intervalo rápido, de 10 minutos, entre o início do trabalho e o almoço, e outro na parte da tarde. Saia do ambiente, tome um chá/café/água, se alimente com algo saudável e socialize com outros moradores com quem divide a casa ou com seus amigos por telefone ou whatsapp, caso more sozinho. Essa quebra é importante para resgatar as energias e minimizar a sensação de isolamento por longos períodos, especialmente, no começo dessa significativa mudança.
  • Estabeleça um canal de contato corriqueiro com sua equipe (chefes, colegas, subordinados, fornecedores etc.) e o use sem moderação. Os aplicativos de mensagens e chamadas, como o WhatsApp, são uma ótima opção. Lembre-se que trabalhar remotamente não é trabalhar sozinho, e que os contatos devem ser tão ou mais frequentes do que num escritório.

O sistema home office traz consigo muitos benefícios aos profissionais, mas também desafios. Há pessoas que sonham com ele, outras que preferem estar no modelo convencional. Alguns se adaptam bem e outros não. Isso não faz de ninguém melhor ou pior profissional. São apenas os diferentes perfis de ser humano, por isso, escolhemos também diferentes profissões que mais se ajustam a cada tipo de pessoa.

No entanto, neste momento que vivemos, devemos lembrar que temos uma enorme capacidade de adaptação a diversas situações e, por isso, conseguiremos trabalhar de casa sem abalar a qualidade das nossas entregas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui