Mais

    A 2 dias da Black Friday, maior desafio dos E-commerces é com preço do frete

    Publicidade

    Em sua terceira edição e realizada em parceria com a Opinion Box,, a State of Search Brasil aponta o comportamento de busca dos usuários brasileiros. O objetivo da pesquisa é ter dados nativos que auxiliem profissionais de marketing digital a entender como é a jornada de compra e qual o papel do Google e das redes sociais neste processo.

    O Google é o buscador mais utilizado pelos brasileiros e para 86% dos respondentes os motivos para busca são pesquisar sobre conteúdos e informações de produtos que desejam adquirir. Já 74% usam o buscador com a intenção de compra direta. Um outro detalhe importante é que: mesmo que a compra seja feita na loja, antes de decidir pelo produto ou marca, o usuário busca no Google informações que validem sua escolha.

    Publicidade

    Ainda de acordo com a State of Search Brasil, para 07 a cada 10 consumidores há uma busca no Google antes de realizar qualquer compra. Antes de chegar a compra, efetivamente, 25% dos usuários entram em diversos sites de comparação a partir de links do Google para pesquisar pelo produto. Neste ponto, quanto mais o site estiver otimizado com a estratégia de SEO, melhor posicionamento na SERP do buscador ele terá. Com isso, mais chances de receber o clique do usuário.

    O que leva um consumidor a desistir da compra on line

    Quando chegam nos sites, após pesquisas no Google, 75% dos usuários desistem da compra por valor de frete. 74% apontaram que desistem da compra por não confiarem no site e 65% vão embora porque não encontraram informações suficientes sobre o produto desejado.

    Para os canais mais buscados temos: Google, Youtube, Site das empresas (lojas virtuais) e Instagram. Neste quesito, o Instagram é a rede social mais utilizada para realizar compras ou buscar informações sobre produtos.

    Publicidade

    O que ajuda a convencer o consumidor a realizar a compra

    Ao buscarem as informações no Google, 77% dos consumidores preferem consumir textos curtos seguidos de imagens. É importante apontar que em comparação a 2021 (ano de pandemia e reclusão social), houve aumento considerável de pessoas que clicaram nos primeiros resultados do Google para realizar a compra. A instantaneidade, então, se tornou mais um desafio para lojas virtuais, que precisam estar melhor posicionadas nas páginas do Google, já que grande parte dos usuários não vão até a segunda página para realizar pesquisas.

    Imagens (72%), vídeos curtos (67%) e artigos (48%), também são importantes ativos para ajudar um consumidor a comprar por determinado produto ou marca.

    Para corroborar estas informações, o Think With Google, canal de informação sobre comportamento digital, aponta que: para consumidores brasileiros na hora da compra, preços mais baixos, envio gratuito, promoções, facilidades no pagamento e disponibilidade de garantia, também são fatores de convencimento.

    Desafios para E-commerces brasileiros

    De acordo com a Associação Brasileira de Ecommerce (ABRACOM) o Brasil tem mais de 930 mil lojas virtuais. Destes, grande parte deles são de comércios eletrônicos de pequeno porte, com até 10 mil visitas mensais. Neste cenário, não há a concorrência por tamanho da marca, mas sim por posicionamento nos buscadores, como o Google.

    O desafio das lojas virtuais, neste universo digital, é justamente trabalhar de maneira que seus sites estejam bem otimizados para a navegação do usuário e para que eles sintam-se à vontade, como se estivessem entrando em uma loja física, mesmo.

    Publicidade

    Artigos recentes

    Notícias Relacionadas

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui