A um clique: empresas investem em aplicativos para se aproximarem dos consumidores

Publicidade

Uma pesquisa realizada em junho pela Dimensional Research em parceria com a Rimini Street confirma o avanço da transformação digital no ambiente corporativo. No estudo, 80% dos executivos entrevistados enxergam a tecnologia como uma das cinco prioridades mais importantes. Já 71% deles consideram que a adoção da TI está atrelada ao sucesso dos negócios. Diante deste contexto, o investimento em aplicativos é uma das preferências das empresas, visto que é uma alternativa de aproximar a marca do consumidor final a apenas um clique.

Aquecimento do mercado

Outro estudo, este realizado pela plataforma de marketing para apps Liftoff em parceria com a App Annie, registrou ao redor do mundo um aumento de 49% no tempo de uso de aplicativos de compras. De janeiro a maio de 2021 houve uma alta de 30,1% na frequência de uso deste recurso, atingindo um ticket médio de US$ 88 em junho.

Entre as empresas que optaram por aproveitar o aquecimento do mercado está a Dryve, que surgiu como uma solução disruptiva em um setor tradicional. Atualmente, o super app de compra e venda de carros usados e seminovos que reúne em um só lugar mais de 1,5 milhão de anúncios de todas as plataformas do Brasil, processa em média R$ 200 milhões por mês de propostas de financiamento de automóveis. A marca também conta com mais de 2.500 agentes autorizados, que prestam suporte aos clientes na negociação de compra e venda e na indicação de serviços que auxiliam no cuidado da vida útil dos veículos.

Publicidade

Quem também se destaca na versão mobile é a Take and Go, primeira vending machine no Brasil a operar com tecnologia de reconhecimento por imagem e cobrança automática por aplicativo. A marca atua no segmento de bebidas e conta com geladeiras que abastecem até 270 garrafas de cervejas geladas nas áreas comuns dos condomínios residenciais ou comerciais. Ao todo, o negócio tem mais de 700 pontos de vendas em 25 estados brasileiros, com previsão de chegar a quatro mil até o final do ano. Já a Minha Quitandinha, startup de tecnologia em varejo do setor alimentício e que proporciona o conceito de mini mercado inteligente em áreas comuns residenciais ou comerciais, funciona por meio de um aplicativo capaz de escanear os produtos via QR Code. Está presente em 25 cidades do Brasil, com um portfólio com mais de 700 itens que vão desde congelados a produtos de limpeza e higiene pessoal. Para 2021, a expectativa da marca é conquistar o primeiro milhão, além de triplicar o número de lojas em 2022.

Publicidade

Artigos recentes

Notícias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui