[Black Friday] Confira 10 dicas para preparar seu negócio e vender mais nesta edição histórica

Saiba como driblar a crise causada pela pandemia e alcançar consumidores, que independentemente do canal já começaram suas pesquisas online de intenção de compra

0
Black Friday

A partir de agora, todo dia já pode ser considerado Black Friday para quase todas as categorias do varejo brasileiro. Segundo levantamento do Google, somente entre 26 de agosto e 22 de setembro, as buscas indicaram que a Black Friday 2020 será bem maior do que a do ano passado. Dentro das macrocategorias analisadas do varejo, 19 das 29 categorias de produtos estudadas registraram um volume superior a 2019.

Conhecida por seus resultados positivos para o comércio, esta edição da Black Friday acontecerá no próximo dia 27 de novembro. Em 2020, a data de ofertas será ainda mais importante para o varejo em função da pandemia, já que será a chance de os lojistas recuperarem uma parte do prejuízo que tiveram com a crise e a obrigatoriedade de fechamento imposta pela quarentena.

Por falar em quarentena, foi ela também uma das responsáveis pelas mudanças no padrão de comportamento do consumidor, que se viu obrigado a adquirir produtos e serviços à distância e, em muitos casos, vivenciou suas primeiras experiências de compra online durante esse período. Agora, o brasileiro está mais disposto à experimentação no meio digital, e nessa Black Friday isso não será diferente – o que torna o consumidor menos fiel às marcas e abre espaço para o consumo em novos locais.

Num período ainda instável para a economia, a crise não afetou apenas os comerciantes. Os consumidores também foram atingidos, o que acaba incentivando o hábito de pesquisar como uma forma de economizar dinheiro e fazer um bom negócio. Por isso, a pesquisa por produtos de interesse já começou e acontece principalmente no digital: 82% dos consumidores pesquisam online antes de comprar na loja física. Logo, para aqueles varejistas que estiverem preparados e bem posicionados no ambiente digital, há grandes chances de aproveitar melhor essa oportunidade comercial.

Para ajudar varejistas interessados no investimento de campanhas para atração de clientes no digital, Otávio Procópio Ferraz, head de digital e sócio da Macfor, adtech especializada em marketing digital, transformação digital e growth hacking, separou uma série de dicas para empreendedores que querem preparar o seu negócio e vender ainda mais nesta edição que promete ser histórica em volume de vendas.

Otávio explica que, antes de tudo, o lojista e qualquer e-commerce precisam garantir uma boa experiência na compra de seus produtos ou serviços. “Isso só é alcançado pela soma de fatores como preço, opções de pagamento e parcelamento, um bom valor do frete e confiança na marca/produto, além de um excelente tempo de entrega”, afirma. Confira as dicas para as lojas se preparem para a Black Friday 2020!

1. Seja estratégico

Para garantir o sucesso, é preciso ser estratégico. Ferraz explica que é necessário deixar o cliente satisfeito em todas as fases da compra. “Isso requer planejamento e estratégia. O comerciante tem que ter tudo devidamente preparado e adequado para a ocasião, o que vai desde estoque, melhorias tecnológicas, investimentos em infraestruturas de serviço até a contratação de novas soluções ou de colaboradores”, pontua.

Lembre-se de que para atrair, conquistar e fidelizar o público, já existem ferramentas no mercado. “Não é preciso inventar a roda, contrate recursos existentes”, ensina o especialista. Isso inclui desde reunir dados para conhecer o cliente, inserir dispositivos de atração até investir em soluções de autoatendimento, como chatbots, por exemplo. Tudo dentro de uma estratégia de marketing bem planejada.

2. Analise os dados e observe seu consumidor

Muita gente nem imagina, mas a inteligência de dados é uma poderosa ferramenta para encantar clientes, além de ajudar a alcançar os melhores resultados em geração de tráfego, leads, vendas e conversões para as marcas. Otávio explica que esse serviço é utilizado no marketing digital para viabilizar a análise de informações do negócio e, normalmente, é oferecido por empresas como a Macfor, que elabora as melhores estratégias de publicidade digital e off-line de alta performance.

A análise de resultados é a única maneira de saber quais estratégias deram certo ou não. Aprenda com os seus números, veja quais comunicações trouxeram mais resultados e quais produtos/serviços tiveram maior saída nas edições anteriores. Tudo isso servirá de norte para as novas ações. Use as informações do histórico de compras para tentar reverter perdas e carrinhos abandonados; tente entender o que levou ao abandono e corrija o fluxo com rapidez. Aqui, se for o caso, vale usar o retargeting para reverter os carrinhos abandonados e conquistar possíveis clientes. Além disso, no futuro, dê atenção aos produtos que os clientes pediram e não estavam na Black Friday. Dados como esses indicam que seu consumidor estava disposto a comprar, mas sua empresa não estava preparada para atendê-lo. Reverta isso.

3. Aplique tecnologia no varejo

Uma tecnologia comum ao comércio eletrônico é o chatbot, ou o famoso robô de atendimento, como é mais conhecido. A estratégia serve como grande aliada na valorização da experiência do cliente, pois viabiliza o relacionamento entre marcas e consumidores, garantindo a satisfação e evitando a perda de vendas, já que contribui para diminuir o abandono de carrinhos, por exemplo. “Vale investir inclusive no uso do chatbot para WhatsApp, que, atualmente, é considerado o canal preferido de comunicação dos consumidores”, revela o head de digital da Macfor.

Além disso, hoje, graças à combinação de Inteligência Artificial e Processamento de Linguagem Natural, busca semântica e Teoria Texto-Sentido, o chatbot é capaz de facilitar buscas, transações, redefinições de cadastro e muito mais ao usar a Base de Conhecimento, FAQs e outras ferramentas para interagir com os clientes.

4. Faça parcerias estratégicas

Como já mencionado, se o objetivo do comerciante é conquistar bons resultados nessa data tão concorrida como a Black Friday, ele tem que adotar ações planejadas e coordenadas. Neste momento, não há espaço para erros primários como falhas no estoque, atraso na entrega ou inconsistência nas ofertas. Por isso, há necessidade de estruturar tudo com antecedência, principalmente as parcerias comerciais. Para isso, contrate empresas especialistas que possam te ajudar a definir suas estratégias com segurança, garantindo que nada dê errado durante as horas de ofertas e picos de atendimento comuns durante a Black Friday.

Construa um relacionamento sólido com os fornecedores, assim você minimiza impactos negativos para seus consumidores. Lembre-se de que a internet é uma aliada poderosa para levar consumidores até sua loja. No entanto, também pode ser uma ferramenta perigosa se for usada para disseminar reclamações de clientes insatisfeitos. Isso pode trazer sérios danos para a marca e a reputação de sua empresa, portanto, certifique-se de ter ao seu lado parceiros de negócio confiáveis nas áreas de logísticas, atendimento, infraestrutura, marketing digital e outros serviços condizentes com o seu nicho de atuação.

Por fim, o especialista sugere que o lojista também faça parcerias com outras lojas. “Por exemplo, uma loja de vinhos que busca um parceiro que vende queijos pode montar uma cesta de presentes e colocá-la em promoção, assim o novo produto poderá ser divulgado por ambos estabelecimentos”, ensina Ferraz.

5. Descreva seus produtos com detalhes

Discovery é um novo termo que tem sido utilizado no meio digital para descrever a atitude de pesquisar e buscar mais informações no processo de compras, para fins comparativos e, até mesmo, para aprofundamento nos detalhes dos produtos. “Estudos apontam que esse movimento de pesquisar mais pode ser observado inclusive nas lojas físicas. O consumidor, principalmente os mais jovens, adquiriu o hábito de fazer pesquisas no celular durante o próprio processo de compra dentro das lojas”, explica Ferraz.

Logo, disponibilize o detalhamento completo de produtos, crie respostas para as perguntas mais frequentes e, se possível, invista em reviews online. Lembre-se de que essas táticas podem beneficiar sua empresa, levando clientes para fazer compras tanto na sua loja online quanto na física.

6. Invista em soluções omnichannel

Estratégias omnichannel são essenciais para interligar o consumidor aos diferentes canais de venda do negócio. Logo, utilize-as para contribuir com o aumento de vendas no e-commerce ou para levar consumidores do digital para offline. Um exemplo concreto é o uso do localizador de produtos, que serve para mostrar aos consumidores quais são os pontos de venda nas proximidades que possuem determinado item em estoque. Esse recurso é capaz de revelar, por exemplo, onde exatamente o consumidor de uma marca irá encontrar o item que procura, além de auxiliar na mensuração de resultados de campanhas realizadas em mídias de massa e offline.

Otávio revela que a opção de retirar pessoalmente um produto que foi comprado num ambiente virtual é uma estratégia omnichannel muito poderosa. “Na Black Friday de 2019, por exemplo, esse foi o principal ponto de decisão de compra para 40% dos usuários que compraram online”, comenta.

7. Humanize seu e-commerce 

“Pessoas gostam de pessoas, daí a importância de investir em social selling em datas comerciais relevantes como a Black Friday”, comenta o especialista. Por isso, dê também aos seus clientes a oportunidade de interação humana, pois o uso de canais de venda como as redes sociais, por exemplo, permite que sua loja seja vista como algo além de uma estante de produtos virtuais. “Consumidores não compram apenas produtos, compram experiências e relacionamento. Pense nisso!”, diz Ferraz.

Além das redes sociais, invista na infraestrutura para conversational commerce (comércio de conversação). Essas tecnologias permitirão que o seu comércio eletrônico realize vendas por vários meios de conversação, usando tecnologias como reconhecimento de fala, processamento de linguagem natural e inteligência artificial.

Por fim, estude a possibilidade de criar anúncios junto a influenciadores. Essa nova tendência pode ser uma estratégia certeira para atingir seu público-alvo. Antes, avalie se os seguidores do influenciador a ser contratado têm engajamento e proximidade com os produtos que você pretende oferecer, além, é claro, de averiguar se o profissional escolhido tem fit e aderência com os valores de sua empresa. Isso evitará que a reputação da sua marca seja prejudicada com a associação de ideias negativas. Se puder, contrate alguma empresa especializada em marketing de influência para te ajudar com esses detalhes.

8. Divulgue logo suas ofertas

Segundo o head de digital da Macfor, para que suas promoções tenham aderência, é muito importante criar uma expectativa nos clientes. Mostre para seus potenciais consumidores que você está preparando algo especial para a Black Friday. Invista na divulgação de suas ofertas em todos os canais da sua empresa (site, redes sociais, assinatura de e-mails, WhatsApp, e-mail marketing, blog, peças físicas e online etc).

Além disso, tome cuidado com a criação das peças de divulgação. Faça algo profissional, sem erros de português e com imagens em alta resolução. Se seu comércio não tem área de marketing, contrate alguma consultoria para auxiliar nessa etapa. Caso não tenha reservado verba para este momento, em função da própria pandemia, avalie a contratação de um freelancer profissional para ajudar na construção das artes e na publicação dos anúncios patrocinados. Explore os anúncios pagos no Instagram e no Facebook e crie um cronograma de posts estratégicos para impulsionar suas publicações. “Saber investir em publicidade digital pode contribuir e muito com os seus resultados financeiros”, orienta Ferraz.

9. Respeite os direitos do consumidor

“É difícil ter que incluir esse item na lista, porém, por mais óbvio que ele pareça, alguns comerciantes ignoram essa regra crucial”, comenta o especialista em marketing digital. É responsabilidade da empresa garantir os direitos do consumidor, principalmente em uma ocasião como a Black Friday. Por isso, certifique-se de que seu site tenha por escrito as políticas de compras e trocas muito bem descritas. Assim, todos – você e o consumidor – saberão como proceder em casos como arrependimento do cliente ou produto com defeito, por exemplo.

10. Valorize seu cliente no pós-venda

Dar continuidade ao processo da venda é essencial. Após a Black Friday, valorize os consumidores que compraram seus produtos. Invista em estratégias de marketing de relacionamento para construir uma carteira de clientes cada vez mais fiel.

Aproveite a ocasião para fazer o cadastro de todos consumidores que visitaram sua loja, mas lembre-se das normas da Lei Geral de Proteção de Dados, a famosa LGPD, que já está em vigor.

Com posse das informações cadastrais, logo na sequência, na segunda-feira seguinte, programe o envio de mensagens de agradecimento, por exemplo, dando início à construção de um relacionamento duradouro. Depois, aproveite novas ocasiões para se conectar com esses clientes, enviando novos descontos e promoções. Lembre-se de manter o cliente próximo do seu negócio, recebendo conteúdo personalizado. Isso pode te ajudar a reverter carrinhos abandonados e converter produtos visualizados, junto de boas – e novas – ofertas. Essas iniciativas impactarão diretamente na qualidade da jornada de compra. “Esse será um ponto chave para seu negócio, pois estimulará seus consumidores a fazerem novas transações, escolhendo sua empresa para futuras compras ao longo de todo o ano”, conclui Ferraz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui