Chatbot de insurtech reduz atendimento humano em 40,57% em menos de dois meses de implementação

Publicidade

Os chatbots estão revolucionando a maneira como as empresas lidam com seus públicos. Se antes da pandemia de Covid-19 muitos consumidores eram avessos à tecnologia para atendimento, essa realidade parece estar se convertendo. Desde o início da pandemia, o uso de chatbots cresceu substancialmente, fazendo com que as empresas adotassem a ferramenta como principal estratégia de atendimento ao cliente. Segundo levantamento global realizado pela Avivo, provedora de soluções de atendimento ao cliente com inteligência artificial, houve um crescimento anual de 65% no número de usuários dos canais digitais.

Na insurtech Grupo Planetun não é diferente. O chatbot de seguro auto passou por uma melhoria em sua inteligência artificial, tornando as perguntas mais assertivas, o resultado foi o declínio do atendimento humano em 40,57% em menos de dois meses de implementação. Natália Cunha, COO da insurtech, credita o sucesso à estrutura do chatbot. “Na minha concepção, o motivo da aprovação dos usuários é a própria estrutura do chatbot, que hoje está bem calibrado para as perguntas dos usuários. Ele está atendendo as necessidades do cliente sem que haja necessidade de intervenção humana”, explica.

Para Henrique Mazieiro, CEO do Grupo, vivemos uma segunda onda de assistentes virtuais e chatbots, que fazem mais do que conversar com clientes. “O futuro dos assistentes virtuais é que eles deixem de ser percebidos como robôs e trabalhem de forma tão natural no processo que o cliente vai entender como algo absolutamente normal e transparente”, aponta. Segundo Mazieiro, o índice de aceitação e avaliação dos clientes está em 91% de satisfação. “Entendemos que o processo de atendimento por robôs veio para ficar. Mas é sempre importante que pensemos em uma evolução. Hoje, nosso assistente trabalha direcionando o cliente e ajudando para que ele seja mais assertivo e ganhe tempo”, conclui.

Publicidade

O Grupo Planetun já nasceu com suas soluções e processos digitais, logo, a transformação digital faz parte de seu DNA. “O que buscamos hoje é converter digitalmente nossos clientes. Diante do isolamento social, iniciado há mais de um ano, vimos nossa demanda ser impulsionada. O volume de negócios teve um salto de 18,5% no primeiro trimestre de 2021 em relação ao ano anterior, que já havia crescido 40,52%. A expectativa de crescimento para esse ano em relação a 2020 é de 35%”, aponta Cunha.

À medida que as empresas utilizarem IA para realizar a operação de seu negócio, a tendência é que as habilidades e conhecimentos continuarão em expansão, afinal, os “robôs assistentes” ficam à disposição dos consumidores 24 horas por dia, todos os dias da semana.

Publicidade

Artigos recentes

Notícias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui