ChekMarc, a nova plataforma social, quer ser a maior do Brasil

De acordo com último relatório do We Are Social, maior país sul-americano possui 140 milhões de usuários

0

Depois dos Estados Unidos, o Brasil é um dos países que mais utiliza as redes sociais. O último relatório do We Are Social não deixa mentir: 150,4 milhões de habitantes têm acesso à internet, ou uma penetração cibernética de 71%. Destes, 140 milhões de pessoas postam e comentam histórias todos os dias nas redes sociais. É neste contexto que a CheckMarc, a nova plataforma social global de apoio, quer ser inserida. Melhor: ela quer bater as redes sociais que são uma febre por aqui.

E os motivos para isso não faltam. Ao contrário das plataformas concorrentes, a plataforma social vem investindo pesado nos benefícios entre os usuários. Os três pilares da nova rede social são segurança, privacidade e positividade.  Comentário inapropriado ou prejudicial não entra. Aqui, um pode e deve ajudar o outro a conseguir alcançar algo melhor na vida profissional ou de um hobby, por exemplo.

E por incrível que pareça, estas são algumas das categorias mais utilizadas dentre os usuários da novata rede social.  De acordo com Vrinda Johnson, a COO e ex-diretora executiva da Russell Reynolds Associates e PwC, que fundou a ChekMarc ao lado de  Marc Kaplan, CEO da ChekMarc e ex-sócio da Deloitte em 2020, a categoria “Profissional” aparece em primeiro lugar com 16% das classificações pelos usuários. Em seguida, a chancela “Outros”, que envolve variados temas, aparece com 13%, “Hobbies”, 12% e 7% para Educação, Viagens, Saúde, Arte/Música/Entretenimento e Tecnologia.

Disponível para Android e iOs e em 35 idiomas, a novata rede social vem com uma tecnologia de Inteligência Artificial para filtrar as postagens nocivas e prejudiciais ao mandamento da rede que é positiva. Além disso, os usuários contarão com botões de reportação para quando encontrarem perfis suspeitos (robôs) ou respostas que ferem o estatuto positivista da plataforma.

Duas das recomendações mais pedidas pelos usuários da comunidade são a privacidade dos usuários e o vazamento de conteúdos não permitidos. É por isso que a ChekMarc possui um sistema de verificação, para certificar a pessoa do outro lado da tela que está interagindo com um ser humano e não um robô, assim como não permite a propagação de um comentário de um para vários como outras redes sociais são conhecidas em fazer. E por último mas não menos importante: a ChekMarc não vende os dados de seus usuários para terceiros.

Com menos de um ano de vida, o escritório oficial da empresa conta com uma equipe enxuta. São 6 pessoas, sendo 4 mulheres, incluindo a COO.  Segundo Vrinda, isto traz à tona um repertório variado e com únicas perspectivas: “Nos empenhamos em dar poder umas às outras e trazer consciência do papel da Mulher na Tecnologia”, completa.

A plataforma social foi fundada em 2020 com um investimento inicial de 3 milhões de dólares e não vai parar por aí. Um pouco antes de aportar em solo brasileiro, ela lançou novas versões da plataforma para os sistemas operacionais. Isto mostra que ela vai continuar o seu crescimento ao redor do globo, encorajando a ajuda mútua entre seus usuários.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui