SSD, HD, Memória RAM, processador e placa de vídeo são os componentes que devem ser levados em consideração

 

O distanciamento social por conta do novo coronavírus (COVID-19) continua e muitas empresas, escolas e universidades estão revendo suas formas de trabalho, já que nem todos estavam preparados para a mudança repentina de rotina. Pensando nisso, André Teixeira, gerente de produtos da área de notebooks da Acer Brasil, dá dicas de como fazer um upgrade na máquina e manter a produtividade em casa, seja para trabalhar, seja para estudar.

HD ou SSD?

A recomendação é a utilização dos dois componentes. O HD fica para a memória permanente, que são arquivos que não são acessados constantemente, e o SSD é usado para a memória volátil, arquivos recorrentes e sistema operacional. Além disso, a utilização das duas tecnologias em conjunto permitirá que o notebook ganhe performance sem deixar de ter capacidade de armazenamento. Porém, a tendência, em médio prazo, é a migração total para SSD. Então, se tiver que apostar em uma tecnologia, aposte no SSD.

Memória RAM

Se o usuário tiver um SSD no notebook pode ter uma memória RAM menor, se não tiver, a melhor opção é ter uma memória maior para um melhor desempenho do equipamento em tarefas do dia a dia. As memórias RAM mais utilizadas são as de 4GB e 8GB.

Processador

A escolha do processador vai depender bastante da atividade exercida. Quanto maior o nível de complexidade do trabalho, maior será a exigência do notebook. Portanto, para atividades mais simples como leitura de e-mails, chats, redes sociais e navegação na internet podem ser usados processadores com menor clock (capacidade de processamento) como as linhas Celeron e Pentium. Já para atividades que exigem um pouco mais de processamento como planilhas, apresentações, sistemas, entre outros, o recomendável é a linha Core da Intel (i3, i5 e i7) e Ryzen da AMD (R3, R5). Para realização de videoconferências, o ideal é ter um processador acima do Ci5 e R5 e uma placa de vídeo dedicada para que as imagens não sobrecarreguem o processador e as reuniões possam ser mais produtivas e reais possíveis.

Placa de vídeo

Com a tendência do home office e das aulas online, a placa de vídeo torna-se um componente muito importante já que muitas pessoas utilizarão aplicativos de videoconferências. Portanto, o ideal é ter uma placa de vídeo de, pelo menos, 2GB dedicada com um processador Ci5, R5 ou Ci7 para ter uma melhor experiência durante as reuniões online. Essas configurações, por exemplo, podem ser encontradas na linha Aspire 5 da Acer. Já para quem joga e trabalha com imagens e vídeos, o ideal é procurar notebooks com GPUs de 4GB ou 6GB, da linha GTX e RTX da NVIDIA. As linhas Nitro, Predator e ConceptD da Acer já vêm com essas placas e garantem o melhor desempenho para jogadores e criadores de conteúdo.

Para auxiliar no melhor equipamento com custo benefício, a Acer Store oferece um canal de atendimento online para tirar todas as dúvidas do consumidor e assim definir, em conjunto, as melhores configurações, de acordo com a necessidade do cliente, na hora de efetuar a compra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui