quinta-feira , 22 fevereiro 2024
Fábio Fiorini e Claudio Tieghi
Ínicio Empreendedorismo Empreendedores inovam e criam plataforma online para adoção de microempresas em tempos de pandemia
Empreendedorismo

Empreendedores inovam e criam plataforma online para adoção de microempresas em tempos de pandemia

1.1k

“Adote um Pequeno Negócio” tem como objetivo minimizar o impacto financeiro nas micro e pequenas empresas

As empresas que mais sofrem com a crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus são as micro e pequenas, além das MEIs, justamente estas que respondem por nada menos do que 60% dos quase 100 milhões de empregos gerados no país, segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Atentos a este quadro tão desafiador, os empreendedores Cláudio Tieghi e Fábio Fiorini criaram o projeto “Adote um Pequeno Negócio”, que, por meio de uma plataforma inteligente, tem por objetivo minimizar o impacto financeiro e a crise que se instaurou mais acentuadamente nesse segmento.

A premissa é buscar alavancar os negócios dos empreendedores individuais e das micro e pequenas empresas de forma a promover um impacto social positivo, rápido e eficiente para que retomem e ampliem suas vendas de maneira profissional e disciplinada. Em sua primeira etapa, o “Adote um Pequeno Negócio” busca impactar positivamente 35 mil pequenos negócios.

– No projeto, pessoas físicas e jurídicas poderão colaborar selecionando um pequeno negócio em qualquer região do Brasil com uma cota-doação única de R$ 9,90 – explica Tieghi.

O pequeno negócio que for adotado receberá consultoria no intuito de profissionalizar seus processos para alavancá-los rapidamente. O empresário passará a ter o controle das tarefas diárias de sua empresa, através de uma plataforma inteligente de formação comercial para vendas de curto prazo. Além disso, receberá um kit inicial contendo um livro e informações para acessar um guia de implantação passo a passo e se conectar ao movimento.

O livro “Manual do micro e pequeno negócio em tempos de pandemia”, de autoria de Fabio Fiorini, traz diferentes ferramentas para serem implementadas no cotidiano dessas empresas de forma descomplicada, além de ensinar a criar uma rotina para aumentar as vendas e ajudar a solucionar a maioria dos problemas causados pela crise que se instaurou nesse período. Os direitos autorais do livro serão inteiramente doados às empresas adotadas pelo projeto.

– Para adotar uma empresa, sendo pessoa física, é necessário inicialmente investir R$9,90 ou mais. Em seguida, o investidor recebe um livro para presentear um outro empreendedor, além de ter acesso à plataforma para acompanhar o dia a dia da empresa que adotou. O nome da cada pessoa que fizer a adoção irá aparecer na página dos doadores, além de receber um certificado – ressalta Fiorini.

Leia Também: 

Já pessoas jurídicas podem adotar múltiplos da mesma cota-doação única de R$ 9,90 a partir de R$ 5 mil.

A plataforma ainda quer formar uma grande rede de colaboração, que visa criar oportunidades para que doadores e beneficiados possam conhecer as diferentes iniciativas para essa retomada e compartilhá-las de forma criativa e colaborativa.

O “Adote Um Pequeno Negócio” já está no ar em www.adoteumpequenonegocio.com.br.

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Conteúdo Relacionado

Paraíba é o novo horizonte do empreendedorismo brasileiro

A Paraíba, localizada no Nordeste brasileiro, desponta como um grande polo de...

A Evolução da Comunicação Empresarial na Era Digital

A comunicação empresarial, ao longo das décadas, passou por uma transformação significativa,...

Ele começou no setor financeiro aos 18 anos e hoje atua como empresário de sucesso, comandando investimentos nos EUA

Fernando Loureiro, CEO da Loureiro Investments, começou sua carreira no mercado financeiro...

A importância de regularizar seu MEI

2024 começou diferente para 374 mil microempreendedores individuais. Seus registros foram excluídos...