ESG: entenda melhor o que essa sigla quer dizer 

Publicidade

O mundo passa por mudanças de postura significativas e as instituições financeiras não poderiam ficar de fora. Descubra agora como investir pode ser sinônimo de transformar a sociedade em que vivemos e veja ações adotadas por algumas instituições.

Nos dias de hoje, grande parte dos investidores deixou de analisar somente o lucro e a receita das empresas que pretendem investir e focam em outros aspectos dessas organizações.

Já que, tão relevante quanto os rendimentos possíveis, são as boas práticas de sustentabilidade dessas organizações e a forma como ela trata as pessoas, o meio ambiente e a comunidade.

Publicidade

Por isso, é importante que toda empresa que busque destaque no mercado, saiba fazer uma boa gestão de ESG juntamente com as novas tecnologias de RH.

Uma pesquisa recente realizada pela rede de televisão à cabo, Bloomberg, estima que a agenda ESG deve atrair US $53 trilhões de investimentos até 2025. 

O que significa que, além de ser uma tendência que veio para ficar, adequar-se às práticas ESG se torna essencial para toda empresa que pretende se manter competitiva no mercado. 

Se a empresa que você comanda ou trabalha ainda não sabe do que essa sigla se trata, é melhor correr para não ficar ultrapassada. E se você é um investidor (a) e também não sabe o que ESG significa, não perca mais tempo e acompanhe esse artigo até o final. Boa leitura!

O que é ESG? 

A sigla ESG significa Environmental, Social e Governance (ou, em português, Ambiental, Social e Governança). 

Resume um conjunto de boas práticas que buscam definir se a atuação de uma empresa é socialmente consciente e sustentável, de acordo com os três pilares abrangidos pela sigla. 

Com base nesses critérios, é possível avaliar se determinada empresa é, de fato, uma opção viável de investimento sustentável, capaz de promover ações positivas não só financeiras, mas sociais e ambientais também. 

Entenda melhor o que cada sigla representa separadamente:

E – Environmental (Ambiental) 

Tudo que diz respeito a conservação do meio ambiente compõe o seu significado. O que inclui atuações que visam minimizar os efeitos de questões como desmatamento, poluição da água e do ar, extinção de espécies, degradação do solo, entre outros. 

S – Social (Social) 

Aqui se abrange a maneira como a empresa se relaciona com as pessoas que fazem parte dela e com a comunidade ao seu redor. 

Assim, está relacionado com o respeito à diversidade e a inclusão social, bem como a proteção de dados dos clientes e o respeito às leis do trabalho e a dignidade humana. 

G – Governance (Governança)

Esse termo trata da forma como as empresas são administradas e de como isso reflete na sua cultura e política interna. 

Dessa forma, compreende desde da sua conduta corporativa, composição do conselho, até a existência de um canal de denúncias, comitê de auditoria e a sua relação com os governos e com os processos que mantém a organização dentro das conformidades necessárias. 

Qual a origem da sigla?

Nas décadas de 50 e 60, alguns investidores já escolhiam não aplicar seu dinheiro em empresas que desrespeitavam valores éticos e morais, não investindo por exemplo, em organizações que se relacionavam com o aphartaid (regime de segregação racial) da África do Sul. 

Já na década de 80, empresas com boas práticas ambientais, sociais e de governança começaram a ser favorecidas e ganharam reconhecimento.

No entanto, o uso da expressão ESG se deu pela primeira vez em 2004, no relatório desenvolvido por iniciativa da ONU chamado “Who Cares Wins” ( ganha quem se importa). 

Relatório este que concluiu que a incorporação dos fatores ambiental, social e de governança no mercado financeiro gerava além de mercados mais alinhados com a sustentabilidade também gerava benefícios para a sociedade como um todo. 

A partir daí, surgiu a inspiração para que em 2007 fossem criados os “green bonds”, títulos emitidos com a finalidade de captar recursos que promovessem melhorias ambientais, os famosos “títulos verdes” ou “investimentos verdes”. 

Nos dias atuais, o conceito ESG avança de maneira global representando um caminho sem volta no ramo dos investimentos. Sete em cada dez empresas em todo o mundo já estão integrando os critérios de avaliação desses indicadores em seus processos.  

Como incluir o ESG no processo de avaliação das empresas?

Para incluir o ESG no processo de avaliação das empresas, dois passos são fundamentais, confira abaixo:

O primeiro passo é que deve-se existir a compreensão de que, para a implementação desse conceito, é necessário uma adaptação cultural. Isso quer dizer que todos os colaboradores, independente de nível hierárquico, devem compreender e assimilar que o ESG faz parte da sua missão e de seus valores dentro da empresa.

O segundo passo é que deve-se buscar soluções com o apoio da tecnologia que tornem possível essa transformação. Isso vai desde o sistema de iluminação, captação de resíduos ao sistema de gestão. Pois não adianta se preocupar com os impactos ambientais, sociais e de governança se os processos internos ferem esses conceitos. 

Investimentos ESG: entenda porque valem a pena 

Grande parte dos investidores costumam analisar minuciosamente quais as práticas ambientais, sociais e de governança das empresas antes de investirem seu capital nelas. 

No entanto, isso não significa que esses investidores estejam abrindo mão da rentabilidade de tais investimentos pois, na realidade, esse acaba sendo outro atrativo relevante. 

Isso porque quando as empresas priorizam esses valores, acabam tendo mais reconhecimento por parte dos seus consumidores e apoiadores,fator que garante o seu sucesso e consequentemente o sucesso de quem investe nela. 

Além disso, os rendimentos ESG dificilmente sofrem com problemas de fiscalização. Visto que esse tipo de empresa costuma cumprir com as leis e não se envolver com multas ou sanções que prejudiquem os lucros. 

Mas é preciso ressaltar que, de modo geral, investimentos ESG são de renda variável, logo, envolvem alguns riscos. 

Como investir em empresas alinhadas ao ESG?

As empresas mais adaptadas ao ESG são divulgadas pela própria bolsa de valores, por meio do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE). 

Nesse site você pode conferir quais são as organizações que somam eficiência econômica, equilíbrio ambiental, sustentabilidade e justiça social, e usar as informações disponíveis para realizar seus investimentos sustentáveis. 

Você também pode buscar por selos e certificações que comprovem as boas práticas de ESG, como por exemplo: Pacto Global (iniciativa da ONU que visa engajar empresas na adoção de princípios correspondentes a áreas de direitos humanos, combate a corrupção, trabalho e meio ambiente); ISO 14001 (aplicado a empresas que desempenham seu papel ambiental corretamente); entre outros. 

E você, ficou com vontade de investir em um mundo melhor? Então comente aqui quais são as boas práticas que uma empresa precisa ter para que você escolha investir nela!

Publicidade

Artigos recentes

Notícias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui