Mais

    Estudantes veem o contato com empresa de tecnologia como oportunidade de conhecer o mercado de trabalho

    Publicidade

    O período da universidade é repleto de expectativa e incertezas com respeito ao mercado de trabalho. Isso porque a rotina, antes baseada nas atividades em salas de aula, muda completamente ao passo que os estudantes precisam enfrentar os primeiros desafios profissionais. Por isso, a NEC abriu suas portas no final do mês de abril para a realização da primeira edição da iniciativa Immersion Day, por meio do qual a multinacional japonesa recebe estudantes, parceiros e clientes a fim de mostrar o potencial tecnológico da empresa.

    O primeiro grupo foi composto por 10 jovens, entre eles alunos da graduação e uma doutoranda do curso de Engenharia Elétrica da Universidade Presbiteriana Mackenzie, de São Paulo. Além de conhecer o novo e moderno espaço de escritório da NEC na capital paulista, os estudantes visitaram o laboratório de tecnologia da empresa, onde os profissionais testam as soluções implantadas e que serão oferecidas ao mercado no Brasil.

    Publicidade

    De acordo com Leandro Galante, head de 5G na NEC e quem teve a iniciativa de fazer a ponte entre a companhia e o Mackenzie, esse tipo de contato com as universidades cumpre múltiplos objetivos. “Nossa ideia com estes encontros é aproximar a NEC do meio acadêmico, visando potenciais cooperações tecnológicas, atração de talentos e fortalecimento da marca NEC no mercado”.

    Segundo Gianfranco Avona Covello, aluno da graduação em Engenharia Elétrica do Mackenzie, por outro lado, no que diz respeito aos alunos, o contato presencial junto a organizações que são referência na área é fundamental. “A empresa abriu as portas para nós com o intuito de poder apresentar o trabalho dela e suas aplicações em desenvolvimento. Foi uma experiência sensacional pelo fato de poder ter este contato mais próximo com produtos de alta tecnologia”.

    “Essa experiência proporcionou aos alunos o acesso a um conjunto impressionante de soluções em telecomunicações e em tecnologia da informação diretamente aplicadas ao bem-estar social”, enfatiza Maurício Moderno, professor e doutor do Mackenzie e responsável pelo envolvimento da universidade na visita.

    Atraindo talentos

    Publicidade

    Para quem ainda está na universidade ou prestes a se formar, a possibilidade de ingressar no futuro em uma empresa multinacional pode parecer uma tarefa muito difícil, um obstáculo quase intransponível. Esse é, inclusive, um dos grandes desafios dos universitários que ingressam no mercado de trabalho. Por isso, o ponto de partida da visita foi uma sessão de palestras com os profissionais da NEC, aberta por André Eletério, diretor de Marketing e RP da NEC na América Latina.

    Na oportunidade, o executivo contou sobre a história da companhia e acerca do cenário de atuação global, dois pontos que estão diretamente ligados à engenharia, tendo em vista que a disciplina serviu de base para a evolução da organização ao longo de sua trajetória de mais de 120 anos. Eletério, Galante e Cristiano Blanez, diretor de inovação na NEC, falaram aos visitantes sobre suas próprias experiências como engenheiros e os fatores que os levaram a atuar, hoje em dia, em diferentes áreas, nos âmbitos do Marketing, técnico e dos negócios, respectivamente. Sobre a sessão de palestras, Gianfranco comenta: “os profissionais que fizeram as apresentações foram extremamente didáticos e atenciosos”.

    Além disso, Maria Cecília Schneider Araújo, aluna do doutorado em Engenharia Elétrica do Mackenzie, destaca que a quantidade de iniciativas que a NEC tem na área de tecnologia, engenharia e TI, faz dela uma empresa cobiçada para um plano de carreira. “Antes da visita não conhecia a fundo, mas depois tive um grande interesse em conhecer melhor e acompanhar a oferta de vagas de emprego da companhia”.

    Publicidade

    Artigos recentes

    Notícias Relacionadas

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui