Com o fim do casamento, Polliana Lopes comanda a franquia da Ótris Soluções Financeiras, em Brasília. Em plena pandemia recuperou o valor do investimento inicial já em seus primeiros meses

O término de um casamento foi o pontapé inicial para Polliana Lopes começar sua jornada de empreendedora. Aos 32, a empresária trabalhava em Brasília como negociadora em uma unidade da Ótris Soluções Financeiras, rede de franquias especializada na recuperação de créditos para PMEs.

Eleita pela franqueadora como a melhor funcionária da região, Polliana recebeu uma proposta para abrir uma franquia home based na cidade.  Com dois filhos pequenos para criar, a operadora se tornou empresária, e utilizou toda a sua expertise para tocar o próprio negócio de casa. Em seis meses de empresa, a nova franqueada Home Based da Ótris recuperou todo o valor que investiu na unidade com o trabalho em Home Office, em meio a pandemia.

“Eu tinha acabado de me divorciar, tinha que cuidar das crianças e precisava ganhar meu próprio dinheiro. Eu conhecia o trabalho, confiava no apoio da franqueadora e sou muito boa em negociação, então investi minhas economias e venho crescendo desde então”, relembra Polliana Lopes, franqueada da unidade de Brasília da Ótris Soluções Financeiras desde fevereiro desse ano.

O sonho de empreender vem de longa data, abriu mão por um tempo do mercado de trabalho para cuidar da sua família e estudar. Se formou em Administração, logo no fim do curso teve mais um filho, onde ficou mais difícil poder realizar seu desejo de empreender. Polliana teve que postergar os seus planos para cuidar das crianças, e como na época seu sonho tinha ficado meio que guardado da gaveta, ela então decidiu estudar para concurso e se dividia entre os estudos e cuidar da casa e das crianças.

“Uma das minhas principais inspirações em empreender foi minha mãe, que sempre me incentivou a correr atrás dos meus sonhos. Ela trabalhava como doméstica, e sempre se esforçou muito para tocar sozinha a casa e quatro filhos. Sempre via ela de segunda a sábado trabalhando duro e nunca à vi reclamando. Possuía também negócios paralelos, como venda de artesanatos em crochê, que ela mesma produzia, cosméticos, entre outros produtos. Eu sempre a ajudava e aos poucos comecei a tomar gosto por vender e descobri que cada negociação é única; Daí em diante a maioria dos meu trabalhos foram na área de vendas, e me especializei em negociações. Passei por algumas experiências no mercado de trabalho, algumas ruins, até chegar aqui e me tornar dona do meu próprio negócio, até chegar aqui”, explica Polliana.

Negócios em tempos de pandemia

Polliana assumiu o empreendimento em fevereiro, um mês antes da pandemia do novo coronavírus, que desacelerou diversos setores. Ela conta que no início não foi fácil, não só pelo desafio de administrar o próprio negócio, mas também devido às crianças estarem em casa.

“Tem que ter muito planejamento, organização e disciplina para trabalhar de casa, ainda mais com duas crianças por perto. Com a pandemia tive que reconstruir minha rotina para conseguir manter as horas trabalhadas, ajudar meus filhos nas aulas, cuidar da casa e das atividades do ministério. Creio que tudo se tornou um pouco mais fácil devido a franquia ser home based. É ótimo estar presente com meus filhos e ao mesmo tempo conseguir continuar o trabalho”, explica Polliana Lopes.

Mesmo com os percalços de iniciar um negócio próximo a pandemia, em três meses Polliana teve um crescimento exponencial, recuperou o investimento e já trabalha com mais de cem clientes, o equivalente a carteira cheia de uma unidade home based da rede. Em seis meses como franqueada da Ótris, ela não pensa em parar por aí; tem a expectativa de faturar R$81 mil até o fim do ano, e conforme a carteira de clientes crescer, cogita em contratar 1 funcionário.

“Estamos em um momento em que as empresas precisam muito do serviço de recuperação de crédito e as pessoas estão buscando equilibrar as contas após o período mais difícil da pandemia. É o momento ideal para a atuação de empresas e serviços de renegociação de dívidas”, finaliza Caio Katayama, fundador da Ótris Soluções Financeiras.

De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, somente em junho, 67,4% das famílias brasileiras estão inadimplentes. Segundo a Ótris Soluções Financeiras, a rede teve um aumento de 30% na procura das empresas pelos serviços de recuperação de crédito. Na contramão da economia, o setor vive um momento de investimento e crescimento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui