Mais

    Foodtechs brasileiras ultrapassaram o valor de US$ 1 bilhão em investimentos recebidos

    Publicidade

    Segundo o Report Foodtech 2022, estudo inédito elaborado pela Outcast Ventures, gestora de investimentos especializada em foodtech, em parceria com o Distrito, plataforma de inovação aberta e transformação digital, lançado no dia 23 de março, os investimentos em foodtechs ultrapassaram o valor de US$ 1 bilhão no Brasil entre 2010 e 2021.

    O levantamento apresenta um mapeamento sobre o setor de foodtechs no Brasil, analisando sete categorias (Super Foods, Food Delivery, Smart Kitchen & Restaurant Tech, Farm-to-table, Food Safety & Traceability, Consumer Service e Waste Management), além do histórico de investimentos, tendências de crescimento, principais modelos de negócio e panorama de empregabilidade.

    Publicidade

    Internacionalmente, o crescimento do mercado de foodtechs também apresenta essa tendência. O estudo mapeou mais de 10 mil novas startups desde 2016, com cerca de US$ 68 bilhões investidos.

    Uma das categorias analisadas, Farm-to-table, apresenta um interessante avanço nos números. Este é um movimento que tem como objetivo aproximar o produtor do consumidor, diminuindo a quantidade de intermediários no processo e aumentando a eficiência da cadeia de suprimentos, oferecendo alimentos realmente frescos aos consumidores.

    É nessa esteira que a empresa paulistana Freshmania iniciou suas operações em 2021. O e-commerce tem como foco a venda de leite fresco, que leva menos de 48 horas do momento da produção até a casa do cliente, seguindo o conceito “da fazenda direto para sua mesa”.

    “O Freshmania nasceu com objetivo de levar alimento extremamente fresco, do produtor para a mesa do consumidor, no menor prazo possível”, explica a CEO Einat Eisler Carasso. “Nós acreditamos que a experiência de se consumir um alimento próximo à produção é outra”.

    Publicidade

    Além do leite fresco, o e-commerce também conta com uma curadoria de marcas parceiras, que inclui laticínios frescos, queijos, bebidas, alimentos in natura (ovos, cogumelos e tomates), doces e geleias. “Escolhemos comercializar produtos que nós mesmos levamos para a nossa mesa, que alimentam nossas famílias. Além disso, nossos valores trazem o respeito à natureza e o trato adequado aos animais, e toda a dedicação dos produtores para produzir e fornecer o melhor produto para os consumidores”, ressalta Einat.

    Futuro inovador

    O Report Foodtech 2022 ainda destaca as tendências do mercado, apontando para um futuro inovador. Destacam-se o crescimento dos setores voltados à produção de proteínas alternativas, uma maior transparência na cadeia de suprimentos e a busca por serviços de nutrição personalizada. O estudo evidencia que o total de US$ 1 bilhão em investimentos foi feito em todas as categorias de foodtechs elencadas, o que mostra uma diversificação do setor.

    Publicidade

    Artigos recentes

    Notícias Relacionadas

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui