Garantindo a continuidade dos negócios durante o pico de uso da internet: 6 recomendações para otimizar a transmissão e o download com banda larga

0

Por Alex Balford, gerente sênior de Marketing e Produto da Akamai Tecnologias

Um aumento repentino e dramático no tráfego da Internet, em grande parte causado por streaming de vídeo e eventos de download de jogos e softwares, está testando as infra-estruturas de rede com um volume sem precedentes. O aumento de 30% no tráfego global que a Akamai revelou desde o início no mês passado, em comparação com o crescimento de ~ 3% em um mês típico, ilustra o impacto que o COVID-19 tem na internet. Como resultado, reguladores, ISPs e muitos clientes da Akamai estão tomando medidas para reduzir a carga durante os horários de pico, para evitar congestionamentos excessivos.

BalfordBlog, 4.20.png

A Akamai está colaborando com os clientes que estão fazendo sua parte para reduzir o uso da banda larga durante os horários de pico. Esses esforços estão ajudando a garantir que todos possam continuar desfrutando de ótimas experiências on-line, apesar dos níveis de tráfego historicamente altos.

Aumento no tráfego de vídeos

É difícil imaginar outra época em que mais se procurou algo para assistir. Durante a pandemia de coronavírus, os serviços de streaming surgiram como uma das principais fontes de entretenimento e informação. Isso levou a um aumento repentino nas visualizações, além da necessidade de otimizar o consumo de banda larga, especialmente durante os horários de pico prolongados nas regiões com crescimento excessivo no uso da Internet.

Nos países ou regiões em que os órgãos reguladores estão fornecendo diretrizes para o gerenciamento da banda larga, a Akamai recomenda que os clientes cumpram essas regras. Em muitos casos, reduzir as taxas de bits não significa necessariamente reduzir a qualidade do vídeo. Frequentemente, as taxas de bits podem ser reduzidas sem afetar a qualidade perceptiva. Isso pode ser medido usando ferramentas de avaliação de qualidade*.

Otimizando taxas de bits durante a preparação

Os provedores de conteúdo podem usar soluções de codificação sensíveis ao contexto durante o processo de preparação para otimizar as escadas de bits para cada título em um catálogo. Estabelecer uma escada para cada título descarta o uso desnecessário da banda larga sem afetar a qualidade perceptiva do conteúdo do vídeo.

O emprego de codecs de alta eficiência é outra maneira de otimizar a entrega de vídeo com largura de banda menor na mesma qualidade perceptiva ou similar. Por exemplo, o HEVC oferece uma melhoria de aproximadamente 50% na eficiência da compactação quando comparado com o AVC. VP9, AV1 e vários outros codecs também devem ser considerados. Ao escolher codecs, identifique quais exigem taxas de royalties e selecione a combinação que oferecerá suporte ao intervalo necessário de dispositivos de visualização de destino.

Otimizando taxas de bits durante a entrega

Outra abordagem para reduzir a banda larga durante os horários de pico é a manipulação do arquivo Manifest**. Isso oferece aos provedores de conteúdo a flexibilidade de manter intactos os fluxos de trabalho de vídeo atuais e editar os manifestos de vídeo com escadas de taxa de bits personalizadas na borda, imediatamente antes da entrega no dispositivo do usuário final. Durante os horários de pico, essa manipulação pode remover as principais renderizações de taxa de bits em todo o quadro ou direcionar regiões geográficas específicas para limitar as taxas de bits.

Otimizando taxas de bits usando a inteligência dos players de vídeo

Os provedores de conteúdo também podem usar a lógica avançada incorporada em um reprodutor de vídeo para aumentar as taxas de bits. Uma ampla variedade de players é proficiente na seleção de fluxos mais apropriados com base em fatores como resolução de tela, condição de rede e recursos do dispositivo. Muitas soluções de players*** incluem a capacidade de limitar as taxas de bits em um determinado limite e substituir a lógica do player.

Aumento no tráfego de downloads

Planejando-se em torno dos horários de pico

Os downloads de software, seja para videogames, patches ou atualizações do sistema, estão entre os maiores direcionadores de tráfego da Internet. Mudar os eventos de download de alto tráfego para horários fora do horário de pico pode ajudar a reduzir a taxa de transferência e seu consequente congestionamento. Isso pode ajudar a garantir que os picos relacionados ao evento não coincidam com os picos de tráfego regulares, ajudando as redes a operarem dentro dos limites normais de capacidade.

Etapas adicionais podem ser feitas através de downloads em lotes por região geográfica e/ou plataforma, sempre que possível. Patches de software, atualizações de jogos e outros eventos agendáveis devem ser lançados fora dos horários de pico para suas respectivas regiões – geralmente das 12h às 7h, horário local. Em alguns casos, as atualizações podem ser pré-agendadas ou enviadas aos usuários fora do horário de pico, com o envio dividido em vários dias.

Desenvolvedores de jogos e fabricantes de consoles podem trabalhar juntos para coordenar grandes lançamentos, limitando a sobreposição e minimizando os picos de tráfego criados por lançamentos simultâneos. Esse tipo de colaboração pode ajudar a servir o bem maior da indústria e de todos os seus usuários finais.

Otimizando o rendimento durante a entrega

Aqueles que desejam entregar downloads nos horários de pico, mas limitam sua velocidade, podem fazê-lo trabalhando com seu provedor de CDN****(Rede de Entrega de Conteúdo), para definir um limite de taxa de transferência durante períodos de congestionamento. O Download Delivery da Akamai inclui uma configuração de taxa máxima de ritmo que permite aos usuários controlar a velocidade na qual o download é feito.

Otimizando o rendimento usando a inteligência do cliente

Editores de softwares e jogos que gerenciam o software no dispositivo que inicia o download também podem utilizar a inteligência do cliente para limitar a largura de banda quando necessário. De fato, a maneira mais simples e eficiente de conseguir isso é com frequência o cliente. Recentemente, essa abordagem ganhou força porque vários editores lançaram atualizações de clientes que limitam a taxa de transferência de downloads ou oferecem aos usuários finais a opção de fazê-lo.

Durante sua apresentação recente no Edge Live, Tom Leighton, CEO da Akamai, disse: “Eu tenho olhado para gráficos de tráfego por mais de 20 anos e não me lembro de ter visto algo como isto agora”.

Estes são tempos realmente sem precedentes. Cabe a todos nós, como bons cidadãos da internet, fazermos nossa parte para assegurar que estas linhas crísticas de comunicação e comércio continuem abertas e desimpedidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui