Indústria 4.0: entenda como funciona e as principais características

Publicidade

A forma de o homem lidar com as máquinas e tecnologias muda constantemente, com seu marco inicial na criação de algumas capazes de reinventar a forma de produção. Com a chegada da Indústria 4.0, essa necessidade permanece.

Com o crescimento do ambiente digital e a incorporação dele às tarefas do dia a dia, o mundo levou a uma Quarta Revolução Industrial ou Revolução das Tecnologias Digitais. 

Contudo, primeiramente, é importante entender o que significa esse conceito. Ele está relacionado a um novo tipo de indústria, com base em automatizar a interação entre a máquina e o ambiente online.

Publicidade

Em outras palavras, ele é feito com mínima interferência humana, usando a internet e analisando dados com o objetivo de criar um sistema inteligente, que permite a condução de todo o processo de produção. 

Por exemplo, em uma empresa de fabricação de uma caixa de papelão personalizada para presente, esses equipamentos conseguiriam cuidar de todo o processo, capazes de adaptar certos detalhes como cores sem a interferência integral do homem. 

A finalidade geral desse novo tipo de indústria é garantir a automatização da produção, garantindo um aumento da eficiência. 

Isso porque todas as máquinas ou aparelhos tecnológicos conseguem realizar a troca de informações entre si. 

Dessa forma, ela consegue garantir uma potencialização dos lucros das empresas. 

Ela só foi possível acontecer graças aos avanços da inteligência artificial, do big data, do machine learning, entre outros. 

Basicamente, eles são aplicados para desenvolver máquinas que trabalham de forma inteligente e quase autônoma, é como um computador novo porém muito mais evoluído, conseguindo se comunicar entre eles e melhorar os erros e acertos. 

Como se formou essa indústria

O conceito de indústria 4.0 surgiu em 2011 na Alemanha, durante a realização de uma feira muito importante e voltada para tecnologia industrial. 

Sua ideia principal era de ser um projeto de estratégias para proporcionar soluções tecnológicas. Contudo, o trabalho final desse tópico só foi terminado em 2013.

Ele foi analisado como uma forma de deixar a máquina e tecnologia como o destaque o principal elemento de ação dentro de um sistema que consegue entender dados e realizar uma comunicação. 

Depois, o criador econômico especialista Klaus Schwab escreveu um livro baseado nesse ideal chamado “A Quarta Revolução Industrial”. 

Nele, é tratada a junção entre o ambiente físico e o digital, assim como os perigos e as transformações geradas. 

Assim como o período inicial de instalação de internet surgiu como uma situação excepcional para muitos, a indústria 4.0 é uma realidade muito promissora, melhorando as ferramentas já disponíveis para uso. 

No dia a dia: como ela funciona?

No dia a dia, esse conceito se refere à conexão entre as máquinas, os sistemas e as pessoas, por meio da criação de redes inteligentes durante todo o processo de cadeia produtiva. 

Com isso, ele consegue perceber e prevenir certas falhas, adaptando-se mais rapidamente quando se depara com mudanças que não foram planejadas, garantindo mais autonomia no controle. 

Portanto, ele acaba afetando tanto o campo do trabalho, quanto a forma como as coisas são feitas e na criação de ideias novas. 

Sua proposta é revolucionar a forma como os produtos e serviços são oferecidos, juntando o âmbito online e offline. 

Dessa forma, em geral, ele consegue garantir uma integração mais complexa entre os seus integrantes: a máquina e as pessoas, ligando todas as etapas de um projeto e as pessoas envolvidas nele, como os clientes e fornecedores. 

Principais características

Dito isso, agora que já existe conhecimento sobre como a indústria 4.0 surgiu, seu funcionamento e mais informações, serão analisadas as principais características dela, como as abaixo:

  1. Linha de produção flexibilizada;
  2. Trabalho mais dissociado;
  3. Rápido recebimento de dados;
  4. Cópia virtual;
  5. Armazenamento em nuvem;
  6. Setores integrados;
  7. Atualização constante.

Portanto, para haver maior compreensão de como cada uma dessas características se aplica na prática, elas serão analisadas separadamente. 

  1. Linha de produção flexibilizada

Esse ponto se refere à possibilidade de alterar imediatamente qualquer etapa da linha de produção. 

Dessa forma, a instituição consegue criar itens diferentes, mudando apenas certos passos, sem ter que arrumar e refazer o processo como um todo.

Por exemplo, uma gráfica que produz banner personalizado, mas mudar o material de impressão a cada virada de lote de material, ela não precisa parar o processo totalmente, a máquina consegue realizar essa adaptação.

Além disso, ela consegue personalizar totalmente determinado produto. 

  1. Trabalho mais descentralizado

Como a máquina tem o trabalho automatizado, a necessidade de ter uma pessoa para operar suas funções não existe mais, garantindo uma descentralização do processo. 

Isso acontece porque as máquinas conseguem trabalhar de maneira independente, transferindo a informação de funcionamento e coordenando a produção com acompanhamento no momento que trabalha. 

Por exemplo, um fabricante de convites personalizados não precisa cuidar de cada etapa da produção, pois a máquina consegue realizar essas atividades de forma automatizada. 

  1. Rápido recebimento de dados

Pelo fato de o próprio equipamento realizar de maneira automática a análise das informações, há um efeito imediato, pois não precisará ser identificado da forma tradicional, garantindo que a empresa tenha acesso fácil. 

  1. Cópia virtual

Além de realizar a análise das informações, esse conceito realiza uma cópia virtual dos dados. 

Isso acontece a diversos sensores instalados nos equipamentos, permitindo acesso aos dados de forma remota, assim como um controle de fora das funções. 

Dessa forma, a empresa consegue diminuir o gasto de tempo, a quantidade de erros e permitindo que as tomadas de decisões sejam mais corretas. 

Isso tudo acontece porque os equipamentos estão preparados para realizarem ações sem precisar de humanos, analisando apenas dados e as condições ao qual estão inseridos. 

  1. Armazenamento em nuvem

Ter essa tecnologia permite o armazenamento em nuvem das informações. 

Com isso, elas ficam guardadas em um ambiente seguro e que pode ser acessado de qualquer lugar com internet, permitindo controle a todo momento. 

Por exemplo, uma empresa de Apple Watch conserto, consegue ter todas as suas informações sobre as etapas em um ambiente só, podendo acessá-lo quando desejar. 

  1. Setores integrados

Como os processos ficam armazenados em nuvem, qualquer setor da empresa consegue ter acesso às informações e dados, garantindo uma união entre as áreas. 

Com isso, há uma avaliação dos impactos gerais para cada um, diminuindo os erros.

Por exemplo, assim, em uma empresa de folder de apresentação, consegue que todos os equipamentos se comuniquem sobre as etapas, seja do setor de matéria-prima, como o de finalização do design, otimizando o trabalho. 

  1. Atualização constante

Os recursos estão em constante mudança quando se fala de tecnologia. 

Por esse motivo, esses equipamentos devem se adaptar a essas funções para conseguir manter o seu funcionamento com qualidade. 

Dessa forma, ela é bem flexível para conseguir entrar dentro dos padrões dessas atualizações, aumentando sua personalização. 

Um exemplo, se uma autorizada Philips tem esse tipo de integração, ela precisa manter os equipamentos atualizados, para garantir que eles farão o serviço de acordo com a customização desejada. 

Impactos da indústria 4.0

Existem diversas formas com que a indústria 4.0 consegue afetar o mundo, seja a influência no âmbito da sociedade, dos negócios e da mão de obra. 

Logo, alguns desses impactos serão analisados a seguir.

Sociedade

Atualmente, é a sociedade e os clientes que direcionam as tendências e, consequentemente, o trabalho das empresas, ao invés do contrário como era. 

Dessa forma, essas instituições tiveram que se adaptar ao novo modelo. Nesse contexto, a tecnologia surge como ferramenta fundamental para o processo. 

Os novos pontos em alta no mercado passam a ser a integração e colaboração, juntamente com o modelo industrial 4.0.

Dessa forma, as empresas tiveram que passar a levar em conta outros tópicos, como o meio ambiente e a sustentabilidade de suas produções, aumentando a produção limpa, a reciclagem e a reutilização.  

De forma geral, ela mudou o modo como as empresas trabalham de forma geral, desde sua fabricação até a distribuição, sendo mais personalizada e em menor escala, com grande uso de tecnologia e foco no atendimento ao cliente de qualidade. 

Negócios

Ter um avanço dos meios tecnológicos permite um aumento do diferencial competitivo. 

A tendência e expectativa sobre a indústria 4.0 é inovar as maneiras dos negócios, com uma mudança nas táticas de trabalho, pela inclusão de sistemas inteligentes.

O principal destaque vai para a Inteligência Artificial, podendo levar em conta dados muito mais rapidamente do que se feito pelo trabalho humano.

Além disso, surgem impactos nas relações de trabalho e habilidades, valorizando a inovação. 

Conclusão

A indústria 4.0 é algo que já está se espalhando pelo mundo e promete aumentar seus impactos em diversos ramos de atuação das pessoas. 

Por isso, é preciso entender o conceito e conseguir implementá-lo para não se deparar com surpresas ruins. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Publicidade

Artigos recentes

Notícias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui