Marketing pessoal e a busca por empregos: como vender a sua própria imagem

Publicidade

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 14,4 milhões de pessoas estão em busca de uma oportunidade de trabalho no país. Segundo o especialista em marketing e estratégia de negócios, Frederico Burlamaqui, o famoso currículo é um documento de venda: ele deve trazer as informações solicitadas, porém, deve contar a história do profissional de forma que o favoreça. “Você precisa se vender da melhor forma possível, mas com objetividade”, alerta Burlamaqui.

O especialista lembra que é importante adaptar o currículo para cada oportunidade ou empresa pretendida: citar os conhecimentos, formações e experiências que contribuem para desempenhar determinada função torna o currículo mais objetivo. “O ideal é fazer um CV de uma página, com objetividade, e com informações bem destacadas e organizadas. As seleções costumam passar menos de um minuto na análise de cada currículo, então coloque seus pontos fortes em destaque para chamar a atenção nesse momento”, indica.

Além do currículo, hoje a imagem pessoal muitas vezes se mescla com a profissional. As empresas acessam as redes sociais de futuros candidatos para conhecer o estilo de vida. “Tenha filtros de privacidade nas redes sociais. Deixe público traços comportamentais positivos e publicações que tenham relação com a vida profissional. Outras informações podem ser publicadas no modo privativo, apenas para seguidores ou melhores amigos”, alerta.

Publicidade

 A maior rede social profissional, o LinkedIn, merece atenção. A indicação do especialista é preencher todas as informações na rede e mostrar seu melhor lado profissional. “Peça para alguns colegas profissionais deixarem depoimentos com seus pontos positivos, depoimentos reais sobre sua atuação profissional podem ser decisivos em um processo seletivo”, completa. Ele lembra ainda que fazer conexões na rede pode ampliar o networking e colaborar em uma futura contratação.

Burlamaqui alerta que é importante ler atentamente os requisitos das vagas e se candidatar apenas para o que realmente se encaixa no seu perfil. “Não adianta mandar um currículo para uma nova área, com informações de outra área completamente distinta”, explica. “É preciso ter coerência, ser objetivo e mostrar seus pontos positivos da melhor forma. Não dá para incluir uma habilidade que você não tem: as empresas buscam referencias e trocam informações, e a honestidade é muito valorizada no mercado profissional”, finaliza.

Publicidade

Artigos recentes

Notícias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui