A LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) entrou em vigor no Brasil neste ano e um dos setores mais impactados pela regulamentação foi o de Recursos Humanos. O setor de RH convive diariamente com informações pessoais e sigilosas de colaboradores, candidatos, fornecedores e da empresa. 

E até a LGPD ser criada, ainda não havia regras quanto à guarda e a confidencialidade das informações manuseadas pelo RH e por outros setores corporativos. A nova lei de proteção de dados obriga as empresas a terem mais responsabilidade na coleta, armazenamento e tratamento dos dados mais diversos. 

O que muda com a LGPD?

A base da LGPD é a proibição do repasse de informações de qualquer cunho sobre usuários sem a autorização prévia dos proprietários. Sempre que dados foram coletados, armazenados ou repassados, as empresas devem avisar ao usuário sobre a operação, pedindo sua permissão para realizar as ações. 

A LGPD foi uma lei inspirada no Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD), adotada pela União Europeia em 2018. A nova lei veio para aumentar o nível de segurança sobre informações, mantendo os dados sob sigilo e em plena segurança, evitando ações como fraudes e repasse irresponsável das informações. 

O objetivo principal da LGPD é proteger os dados de todas as pessoas físicas nascidas no Brasil, mudando a forma como empresas gerenciam e tratam dados pessoais, resguardando as informações para coibir o uso indevido para a comercialização, o armazenamento e a coleta de dados. 

Quais são os principais impactos da LGPD no setor de RH e como se adaptar? 

O setor de RH é uma das áreas da empresa que lida com o maior fluxo de informações de diversos cunhos. Antes sem regras definidas, a área de Recursos Humanos tratava os dados da forma que bem entendiam. A maioria destes dados eram armazenados de forma física e sem nenhuma forma de proteção contra os perigos. 

Com isso, a LGPD impactou bastante o setor, já que agora com regras se torna preciso fazer as modificações necessárias para se adequar à nova regulamentação de proteção de dados. É preciso se adaptar o mais rápido possível as novas normas para evitar processos e multas trabalhistas. 

Confira abaixo quais são os principais impactos da LGPD no RH:

Armazenamento de currículos 

Empresas de recrutamento trabalham com plataformas digitais, onde o setor de RH possui sistemas para cadastrar currículos. Por estas plataformas, todo o processo de recrutamento e seleção são feitos. Isso gera um grande volume de dados pessoais e profissionais. 

Com a LGPD, o setor de RH precisa incluir um termo de autorização, onde deve perguntar se o candidato é a favor do compartilhamento do seu currículo com outras empresas e especificar quais são. Não fazer isto pode gerar processos e punições pelo fato de não informar sobre o uso das informações concedidas. 

Proteção das informações 

Nesse sentido, o RH deve atuar de forma estratégica em parceria com o setor de TI (tecnologia da informação) deve se aprofundar com a LGPD. Isso porque é preciso criar meios de proteger as informações, coletando, armazenando e compartilhando as informações da maneira correta. 

É essencial que junto com os profissionais de TI, o RH faça um mapeamento dos processos para organizar todo as etapas do tratamento de dados. Assim, é possível definir todas as medidas e ferramentas para lidar com os dados da forma correta. 

Formulários sobre a LGPD 

Outro fator importante da nova LGPD no setor de Recursos Humanos é elaborar formulários que expliquem os principais pontos da nova lei. Assim, os colaboradores e os candidatos tomam ciência do tratamento de seus dados e assim autorizam, de livre e espontânea vontade, a utilização dos dados para certas finalidades. 

Nesse sentido, o RH deve reforçar a parceria com o setor de marketing para gerar um engajamento maior com os colaboradores. 

Tratamento de dados

O RH lida com informações diversas de todos os colaboradores, fornecedores e candidatos de processos seletivos da empresa. É importante aprender a tratar os mais diferentes tipos de dados, principalmente por conta do volume das informações.

Com a nova lei, é preciso adaptar o RH a utilizar diversos filtros para otimizar o tratamento de dados, aumentar a segurança sobre eles e eliminar qualquer informação desnecessária. É importante agir em conformidade com a lei. 

Processos seletivos 

A principal mudança que atinge o setor de RH é em relação aos processos seletivos. O RH deve ter a máxima cautela em relação aos questionários e entrevistas individuais e coletivas, dinâmicas de grupo e pesquisas de referência. É preciso adaptar a forma como coletar as informações, armazenamento e o tratamento dos dados. 

É importante que a adaptação do RH seja imediata, até porque os processos seletivos não podem parar. Esse é o principal impacto da LGPD no setor de RH e é preciso ter uma resposta rápida para evitar multas e penalizações para a empresa. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui