O título é “Open Banking: o que vai mudar na hora de solicitar empréstimo?

Publicidade

O Open Banking é uma novidade que tem provocado curiosidade e muitas dúvidas. Concorda? Neste conteúdo, contamos tudo que você precisa saber sobre o assunto.

Assim como o Pix, o Open Banking é uma proposta do Banco Central para facilitar a vida do usuário. Esse é seu objetivo principal.

Mas, em vez de permitir a transmissão de dinheiro, o sistema vai permitir a transmissão de dados. Serão trocas de informações entre os bancos, para facilitar a obtenção de crédito pelo consumidor. Acompanhe abaixo e descubra mais!

O que é o Open Banking?

Publicidade

Open Banking é um sistema de compartilhamento de informações. Sua proposta é permitir que os bancos e financeiras compartilhem entre si os dados financeiros de um cliente.

Esse compartilhamento precisa ser autorizado pelo cliente. E então, a partir daí, outro banco terá dados para avaliar o crédito do consumidor com mais facilidade.

É possível compartilhar dados bancários sobre empréstimos, financiamentos, cartão de crédito ou mais.

Apenas empresas autorizadas pelo Banco Central do Brasil têm acesso ao sistema. Além de liberar as informações, o usuário pode limitar o tempo de compartilhamento. O período máximo será de 12 meses a cada vez que os dados forem compartilhados.

O que muda na hora de pegar um empréstimo

O maior objetivo do Open Banking é permitir que o usuário tenha mais opções de crédito no mercado. Isso acontecerá por meio de duas características, listadas a seguir.

Ferramenta de análise de crédito

Na hora de ceder um empréstimo, as financeiras analisam o crédito do cliente no mercado. Com as informações compartilhadas de outros bancos, elas terão mais facilidade de fazer essa análise.

A financeira poderá, por exemplo, saber qual a movimentação mensal do cliente. Assim como seu histórico de pagamento de empréstimos e financiamentos.

Se as informações forem favoráveis, o cliente poderá conseguir boas opções de novos créditos no novo banco. 

Por exemplo: se no banco anterior o usuário arcou com as dívidas em dia, a nova financeira terá mais segurança em oferecer o crédito. Afinal, vai entender que também há grande chance de ser paga em dia.

Será como um simulador de empréstimo, uma ferramenta já bem comum hoje. Mas, em vez de você ir atrás dos bancos, simulando várias propostas, eles virão até você.

Facilidade na portabilidade de crédito

A segunda característica interessante do Open Banking é que ele vai facilitar a portabilidade. Ou seja, mudar um financiamento de um banco para outro.

De novo, o compartilhamento de dados entre as financeiras vai permitir uma análise mais segura das informações. 

Ao mesmo tempo, vai permitir que o usuário receba ofertas, em vez de correr atrás dos bancos. Com as informações compartilhadas, as próprias instituições poderão entrar em contato e oferecer o necessário.

Como irá funcionar

Para que os dados sejam compartilhados, o consumidor precisará entrar em contato com o banco com o qual já trabalha.

Então, vai autorizar o compartilhamento dos dados que desejar, por período determinado. Além de com qual instituição quer compartilhar as informações.

Também vai indicar o tipo de crédito que tem interesse no momento. Se você deseja obter um empréstimo, por exemplo, vai receber apenas ofertas de empréstimos. Logo, os bancos não poderão entrar em contato com você para oferecer cartões de crédito se você não desejar. Há um limite.

A partir daí, as credoras que receberem os dados vão poder avaliar o score do cliente. Em seguida, poderão definir ofertas de empréstimo, financiamento ou outro que o cliente deseje. Depois, elas poderão entrar em contato com o consumidor e apresentar suas propostas.

Como fica a segurança de dados?

O Banco Central garante que as informações dos usuários continuarão seguras. Apenas as empresas autorizadas pelo próprio usuário terão acesso aos dados, e apenas aos dados que o cliente desejar.

Além disso, o BC destaca que as informações devem ser sigilosas. Ou seja, as empresas não poderão compartilhá-las com outras não autorizadas.

Outro destaque é que os dados ficarão disponíveis e poderão ser usados por tempo específico. Estourado o prazo estabelecido pelo cliente, os dados deverão ser “esquecidos” pelas instituições que receberam-nos.

As taxas de juros serão impactadas?

As taxas de juros de empréstimos e financiamentos não serão diretamente impactadas pelo Open Banking.

Porém, o compartilhamento de informações vai criar uma “disputa” maior dos bancos pelos clientes. Eles poderão fazer várias ofertas para conquistá-lo.

Dessa forma, espera-se ofertas de taxas de juros mais baixas. Afinal, o custo do crédito, quando mais baixo, atrai mais o consumidor.

Quando começará a funcionar

A opção de compartilhamento de dados entre bancos começou em 13 de agosto. Mas nem todas as informações podem ser compartilhadas no momento. Isso só será possível quando o sistema entrar em plena atividade, em novembro de 2021, mais ou menos.

Fases de implementação do open banking

São quatro fases previstas para o Open Banking. Veja abaixo.

  • Primeira fase, já realizada, permitiu o compartilhamento de dados entre os bancos;
  • Segunda fase, em andamento até 24 de outubro de 2021, permite o compartilhamento de dados sobre serviços bancários;
  • Na Terceira fase, haverá a integração de serviços e o início de transações de pagamento;
  • Quarta fase, em que poderão ser compartilhados dados sobre seguros, câmbio, previdência e outros.

Considerações finais

Agora que você entendeu tudo sobre o Open Banking, pode decidir melhor se vai utilizá-lo ou não.

Afinal, a adesão à ferramenta não é obrigatória. Se não precisar dela, ou se não se sentir seguro com o compartilhamento de dados, você não precisará fazê-lo. Outras opções para obtenção de crédito continuarão valendo, como o simulador de empréstimo online.

Mas vale lembrar que o sistema está sendo implementado aos poucos. Justamente com a proposta de torná-lo mais completo e mais seguro.

O Banco Central garante que as informações serão compartilhadas apenas com instituições autorizadas. E que essas instituições só vão usar os dados para o objetivo especificado pelo usuário. 

É uma novidade, e causa estranheza. Mas o Open Banking poderá ser bem útil na hora de pegar um empréstimo. Isso já que os bancos terão mais facilidade de analisar o usuário e, então, definir condições mais vantajosas para ele na hora de conceder o crédito.

Meta-descrição: O Open Banking é uma novidade que tem causado muitas dúvidas e curiosidade, não é mesmo? Entenda bem como o sistema vai funcionar e que vantagens ele pode trazer!

Publicidade

Artigos recentes

Notícias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui