Uma pesquisa realizada com 831 pessoas de todas as regiões do Brasil constatou que 77% delas já sabe o que é o Pix, sistema de pagamentos e transferências bancárias criada pelo Banco Central a fim de facilitar transações financeiras. O estudo feito pela Toluna, empresa que fornece insights em tempo real sobre os consumidores, também constatou que 71% dos pesquisados recebeu informação de seu(s) banco(s) sobre o Pix, e 69% afirmam ter visto informações sobre o novo sistema na mídia.

“O resultado me surpreendeu. Achei que a participação seria pequena, mas mais de 70% dos respondentes conhecem o assunto”, disse o Prof. William Eid Junior, coordenador do Centro de Estudos em Finanças da Fundação Getúlio Vargas, ao analisar os resultados. “Fiz um cruzamento com renda mensal e, claro, há diferenças. Maior renda indica maior conhecimento, mas mesmo nas faixas de menor renda temos 70% de respondentes conhecendo o sistema. O que significa que a divulgação da informação foi muito bem feita”, afirma o professor.

Com o início do cadastramento das chaves Pix pelos bancos, os clientes receberam comunicados para efetuar o registro de seus dados. 55% dos entrevistados respondeu que já cadastraram seus dados. Já 44% disse que ainda não fez o registro.

Entre as opções disponíveis para cadastramento de chave estão o CPF, o email pessoal, número de telefone celular, podendo também escolher uma chave aleatória sem precisar colocar seus dados. Questionados, 48% disse ter cadastrado o CPF, 34% cadastrou o email, 31% registrou seu número de telefone e 16% respondeu ter cadastrado a chave aleatória.

Os entrevistados que não cadastraram a chave Pix foram questionados sobre o motivo. 58% disse que cadastrará depois, 18% disse não saber como cadastrar, 12% disse não confiar em informar seus dados e 12% respondeu que não pretende cadastrar.

“Outro dado interessante: só 22% dos respondentes têm conta em um banco. O Brasil tem 400 milhões de contas, segundo o Banco Central, mas só 100 milhões de bancarizados. A resposta confirma: as pessoas têm mais de uma conta”, concluiu o professor William Eid.

A pesquisa da Toluna foi realizada entre os dias 14 e 16 de outubro de 2020, com 831 pessoas das classes A, B e C, segundo critério de classificação de classes utilizado pela Abep – Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa, onde pessoas da classe C2 tem renda média domiciliar de R$ 4.500 por mês. Estudo feito com pessoas acima de 18 anos, de todas as regiões brasileiras, com 3 pontos percentuais de margem de erro e 95% de margem de confiança.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui