Tecnologia permite alcançar mais pessoas em menor tempo e custo.

As teorias do marketing ensinam que “Todo o artista tem de ir aonde o povo está”. Ou seja, o mercado precisa estar atendo aos movimentos dos consumidores para saber como atender às suas demandas. Com o advento da pandemia foi recomendado que a população fique em casa. E, com isto, o relacionamento direto cliente empresa caiu a níveis quase zero. Demorou um pouco para entender esta mudança, mas assim que foi absorvido, as empresas perceberam que utilizar as plataformas digitais para fortalecer o relacionamento com seu cliente, era a melhor forma de agir. Assim, surgiram as Lives, que são palestras, encontros, apresentações artísticas através das redes sociais. O mundo dos negócios entrou na casa das pessoas para dizer, estamos juntos. Mas qual o resultado que estas Lives estão trazendo e como podem gerar negócios no presente e para o futuro?

É uma “nova” forma de comunicação onde conseguimos alcançar um número maior de pessoas interessadas nos temas propostos. Além de clientes da empresa, outros produtores têm acesso às informações e podem assistir em suas casas. É muito mais interessante do que uma reunião presencial em um sindicato rural, por exemplo”. Com esta afirmação o agrônomo e diretor executivo da Geoplan Soluções em Agronegócio, Cristiano Gotuzzo relata a sua experiência com o que se pode chamar de um novo modelo de negócio, que são as palestras via internet.

Ele acrescenta que este formato está trazendo resultados bem interessantes. “A gente fortalece o relacionamento com clientes e produtores rurais que passam a nos conhecer melhor, tanto que tem vários contatos pós-live, para ter mais alguma informação, mas também com o objetivo de contratar os serviços da empresa”, ressalta, acrescentando que é um modelo que provavelmente veio para ficar, principalmente, porque reduz muito os custos operacionais.

 A gerente de marketing da Fertiláqua, Vanessa Barcelli disse que optaram por fazer as lives para estar próximo dos produtores, clientes e revendas neste momento de pandemia, em que o acesso pessoal está bastante limitado. “O objetivo é levar conteúdos técnicos voltados ao agronegócio; os temas vão desde tratamento de solo até a colheita final. Dessa maneira podemos estar “presente”, levando informações que seriam tratadas diretamente no campo. nas lives falamos de tecnologias e/ou manejos”, disse ela. Em concordância com Vanessa, a gerente de marketing e comunicação da Koppert Brasil, Jaqueline Antônio, disse que os eventos digitais se tornaram ferramentas imprescindíveis de comunicação nesse momento de isolamento social, permitindo que as marcas pudessem se conectar e continuar se relacionando com os clientes.

Leia Também:

A especialista em marketing digital e Head de estratégia da Plin Digital, Mariana Petek, afirma que as lives vieram como um recurso que as empresas, entidades e pessoas encontraram para ir ao encontro do seu cliente a fim de mantê-lo por perto ou ainda, como forma de prospectar novos negócios. “Mas a questão agora é o que fazer com todo este conteúdo que está sendo produzido, qual a estratégia vai ser usada para engajar o público e mantê-lo perto da marca”, pergunta Mariana.

Segundo ela para manter “a roda girando” vai ser importante postar o conteúdo em video que foi feito, no youtube, no facebook, no Instagram ou no igtv (se for maior do que 1 minuto). A segunda dica é se a empresa/instituição tiver um mailing organizado, comunique para seu público, por e-mail, que seu canal do youtube está atualizado com mais um material e, finalmente, “mantenha seu público engajado com o conteúdo nos stories”, aconselha a especialista. O profissional de marketing digital, Valter Azevedo concorda com a visão de Mariana e avança um pouco mais. “É preciso ter uma estratégia de produção de conteúdo que permita criar um sentimento de que você foi mais que uma empresa querendo um cliente, foi a mão amiga nesta hora se a empresa for da área de serviço. Se for um e-commerce, é hora de turbinar as lives para mostrar quais soluções a empresa tem para atender às necessidades do cliente que não está podendo sair para fazer compras nas lojas”, finaliza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui