Profissão de assessor de investimentos está em alta; saiba como se tornar um

0

A área de assessoria de investimentos demonstra grande potencial para crescer em um futuro próximo, pós-pandemia. Isso ocorre em função de uma maior demanda por profissionais no mercado financeiro.

Um assessor especialista pode incentivar a entrada de novos investidores, orientá-los a respeito do que fazer em momentos de crise e criar meios para que alcancem resultados mais interessantes.

Esse tipo de profissional é, na realidade, um empreendedor. Na prática, atua como um agente na área de finanças, guiando pessoas para as melhores aplicações e oportunidades existentes no mercado.

Com ele fica muito mais fácil para o investidor movimentar dinheiro de acordo com seu perfil e objetivos. Outro resultado desse trabalho é que os assessores auxiliam as corretoras a venderem mais ativos, mesmo podendo atuar por conta própria também.

Momento atual

Em um cenário em que o mercado de investimentos está saindo do controle exclusivo dos bancos, a parceria entre assessores e corretoras oferece possibilidades maiores para quem quer investir.

Não por acaso, muitos gerentes que passaram anos atuando em instituições bancárias têm trocado seus antigos cargos e assumido esse desafio, sejam associados a corretoras ou não.

Como é clara a movimentação do brasileiro em direção a soluções mais vantajosas para economizar seu dinheiro ou para fazê-lo render mais, a profissão de assessor de investimentos ganha destaque.

A ideia é ser um aliado do investidor na busca por ativos que o ajudem a extrair o máximo de resultados econômicos, ocupando um espaço antes restrito aos gerentes bancários – que, na maioria das vezes, dividiam sua atuação entre os interesses dos clientes e das próprias instituições financeiras.

Como se tornar assessor de investimentos

Ainda que se trate de uma profissão com grande potencial, não é preciso muito para se qualificar para ela. É obrigatória apenas a certificação oferecida pela Associação Nacional das Corretoras e Distribuidores de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias (Ancord), órgão que agrupa e representa as entidades que atuam no mercado financeiro e de capitais.

Essa certificação pode ser obtida com a aprovação no exame que avalia o conhecimento técnico dos candidatos. São 80 questões de múltipla escolha que submetem o candidato a diversos temas, como seu grau de conhecimento a respeito das atribuições do agente autônomo e sobre como funciona o mercado financeiro de maneira geral.

É preciso se preparar para a avaliação, que é realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). O candidato precisa acertar ao menos 70% das questões e a prova pode ser feita on-line ou presencialmente.

Com o certificado em mãos, o profissional já tem como prestar os primeiros serviços, mas é importante que se esforce no sentido de construir um networking eficiente para se aliar a parceiros e atrair mais clientes.

Porque começar carreira no mercado financeiro

De acordo com pesquisa recente publicada pelo LinkedIn, seis das profissões em alta no mercado de trabalho estão no setor financeiro.

Com a taxa de juros em baixa, as pessoas estão buscando maior rentabilidade na renda variável, o que abre espaço para especialistas que auxiliam investidores iniciantes.

Outro ponto que contribui para esse contexto é a inovação tecnológica trazida por soluções como a plataforma de investimentos on-line, onde se pode fazer uma série de procedimentos sem mesmo sair de casa.

Em médio ou longo prazo, é possível estruturar uma carreira promissora na área, que também tem como característica ser muito flexível para quem nela atua.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui