Quer abrir um negócio? Saiba em quais ramos empreender

Publicidade

A independência financeira é um sonho compartilhado. Ter liberdade financeira na melhor idade, conseguir patrimônio e garantir, ao mesmo tempo, o bem-estar da família estão no topo da lista de qualquer trabalhador. E não por acaso: todas essas coisas, sem planejamento e atitude, são basicamente impossíveis.

Com as oscilações pelas quais têm passado a economia e com as mudanças que vieram com a crise do novo coronavírus, as pessoas têm se perguntado qual é o melhor caminho a seguir. O empreendedorismo, em alta já há alguns anos, continua sendo uma excelente opção.

O mercado é mutável. Isso faz com que pareça bastante difícil escolher um nicho para investir. Felizmente, existem negócios que estão crescendo e que não dão indício de que irão se tornar menos interessantes nos próximos anos – ou décadas!

Publicidade

Se você gostaria de saber um pouco mais sobre o assunto, fique por aqui. A seguir, daremos dicas de nichos para quem está pensando em abrir um negócio. Confira!

Empreender: em que ramo investir?

É interessante pensar sempre em começar por um nicho com o qual você tem intimidade. Se você sempre trabalhou com comida, por exemplo, pode pensar em desenvolver soluções relacionadas à entrega de comida para públicos específicos ou para eventos (o chamado catering).

Gigantes como o iFood facilitam a entrega de alimentos de pequenas e médias empresas, além das de maior porte (que também têm aderido à plataforma!). O problema é que o iFood tem uma taxa alta, que às vezes é inviável para quem está começando a entregar pedidos.

O que fazer, em casos como esse? Primeiro, pensar em uma questão logística. As suas entregas serão feitas apenas na sua região? Qual perímetro você consegue cobrir? Quanto cobrar de frete para determinados lugares? 

Com essas informações, você poderá fazer cálculos mais acertados – e, então, entrar em contato com empresas de entrega ou com um motoboy, que poderá ficar à disposição da sua empresa.

Outra opção, quando falamos sobre comida, é investir em congelados. Muitas pessoas têm trabalhado em casa desde o início da pandemia, mas isso não significa que elas tenham tempo ou disposição para cozinhar. 

O aumento dos pedidos em delivery é uma realidade, por conta disso, mas não só: muitos têm preferido marmitas congeladas, que podem ser descongeladas pela manhã e aquecidas na hora da pausa do almoço.

Por fim, pense no que é específico, mas tem público fiel. Marmitas vegetarianas ou veganas, especialmente com o boom do veganismo, podem virar um hit, especialmente se você mora em uma cidade com grande demanda. Da mesma forma, alimentação para celíacos também tem um público restrito e leal.

Clube de assinatura

Você já ouviu falar dos clubes de assinatura? Basicamente, eles oferecem aos interessados a possibilidade de desfrutar, quinzenal ou mensalmente, de uma variedade de produtos dentro de um nicho específico.

Hoje, temos clubes de assinatura de vinhos, de livros, de produtos de beleza e cuidados com a pele, de alimentos veganos e até de artigos para pets. A tendência é que, aos poucos, tenhamos cada vez mais opções.

Pense: do que você gosta? Como é o acesso aos produtos pelos quais você se interessa? Você pagaria para receber opções e artigos mensalmente, variados, dentro das suas predileções? A maior parte das pessoas, quando em contato com essa pergunta, responde “sim!”.

Cosméticos naturais

Assim como o vegetarianismo e o veganismo têm crescido, as questões relacionadas a testes em animais, sustentabilidade e consumo consciente têm batido na porta dos brasileiros (e dos europeus… e dos norte-americanos…).

Os cosméticos naturais, desde então, se tornaram populares. Hoje, até as marcas de grande porte estão se adaptando à tendência – embora várias ainda testem em animais, o que faz com que não sejam uma opção viável para parte da população.

As pessoas têm preferido cosméticos feitos com manteigas e óleos naturais, em embalagens que não sejam de plástico, mesmo que possuam prazo de validade mais enxuto. 

Pode ser necessário fazer algumas pesquisas e investimentos antes de vender os seus cosméticos naturais, mas a chance de “abocanhar” um público fiel também é muito grande. 

Entre as empresas que cresceram, sempre na proposta de cosméticos naturais e artesanais, podemos citar a Jaci Cosméticos e a Terra Aroma Biocosméticos.

Publicidade

Artigos recentes

Notícias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui