terça-feira , 5 março 2024
Ínicio Carreira Quer mudar de carreira em 2024?
CarreiraNoticias

Quer mudar de carreira em 2024?

108

Mudar de profissão é um item presente em muitas listas de metas para o ano que se aproxima. As razões que levam um profissional a optar por um recomeço na carreira variam, vão desde a busca por melhor remuneração, satisfação pessoal ou mudanças em curso no mercado que geram oportunidades mais interessantes de atuação.

A transição não costuma ser fácil, mas não é impossível. Com planejamento, apoio familiar e persistência, é possível se livrar da sensação de estagnação profissional e recomeçar do zero em outro segmento que esteja mais alinhado à cultura e valores do profissional, conforme explica a mentora de carreira Kelly Evangelista.

“Fazer uma boa transição de carreira envolve autoconhecimento, capacitação e entendimento sobre as oportunidades disponíveis no mercado, sobretudo as que melhor se encaixam no perfil e propósito do profissional”, explica a mentora e CEO do projeto Fala Bancário – que acompanhou alguns casos de transição de carreira entre os seus mais de três mil alunos.

Evangelista, que também passou por uma transição de carreira entre os anos de 2018 e 2019, conta que para a transição ser segura para o profissional é fundamental ter clareza sobre o nicho ou cargo em que pretende trabalhar para saber como se preparar para ser competitivo em um processo seletivo.

“Pesquisar é o ponto de partida, seja estudando carreiras que estão em alta ou conversando com profissionais que atuam na área que se pretende seguir, plataformas como o LinkedIn ajudam nesse processo. Assim o profissional consegue planejar a transição com assertividade sabendo para qual área se capacitar, qual perfil é buscado pelo mercado, quais soft skills e competências técnicas precisa desenvolver, como é a cultura das empresas em vista etc.”, orienta Kelly Evangelista.

Currículo precisa ser atualizado

Durante a transição de carreira, Kelly Evangelista obteve uma certificação em Comunicação Persuasiva pelo MIT – Instituto de Tecnologia de Massachussetts e entrou de cabeça nos estudos sobre marketing digital.

“O período de qualificação no MIT e com o Erico Rocha aprimoraram a minha comunicação. Me tornei mais persuasiva, aprendi a ler o outro e fazer os ajustes necessários para criar relacionamentos recíprocos na vida e na carreira. Já o marketing me permitiu escalar o Fala Bancário, me conectou com o meu público-alvo. Esse é um ponto importante a ser considerado durante a transição de carreira: é preciso estudar para entregar um currículo de ponta para os recrutadores”, recomenda a especialista.

Evangelista destaca que nem todas as habilidades aprendidas antes da transição precisam ser removidas na atualização do currículo. “Algumas competências desenvolvidas na antiga carreira podem ser aproveitadas na nova área. Organização, gestão do tempo, proatividade e facilidade para executar tarefas em equipe são exemplos de competências plurais e que agregam pontos ao profissional”.

Guia Salarial listou profissões que estarão em alta em 2024

Anualmente, o Guia Salarial da consultoria Robert Half divulga uma lista com as profissões mais promissoras para o próximo ano. A última edição revelou que 55% das empresas brasileiras estão mais confiantes para o próximo ano e 54% planejam abrir novas vagas de trabalho em 2024.

Segmentos como Agronegócio, Varejo, Tecnologia, Energia, Saúde (incluindo farmacêuticas e operadoras de saúde) e Indústria (incluindo mineração e indústria B2B) serão os que terão maior volume de contratações.

Entre as profissões em alta, destaque para cargos de Engenharia, Finanças e Contabilidade (planejamento financeiro, controller, tesouraria/financeiro, contábil/fiscal, relações com investidor), Jurídico, Mercado Financeiro (com oportunidades especiais nos setores de Crédito Corporate, ESG, contabilidade, Private Banking, Digital Innovation), Recursos Humanos, Seguros, Tecnologia, Vendas e Marketing.

Para candidatos sem experiência prévia, como é o caso dos profissionais em transição de carreira, Kelly Evangelista dá uma importante dica. “É importante buscar capacitação, e aproveitar oportunidades em empresas que estão oferecendo qualificação gratuita tamanho o gap de formação existente no mercado. Se houver alinhamento cultural com a organização, vale a pena aplicar o currículo e passar pelo programa de capacitação”, indica a consultora de carreira, que enxerga o LinkedIn como espaço relevante a ser usado não apenas por quem visa uma transição de carreira, mas por todos que buscam se preparar para o futuro do mercado de trabalho.

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Conteúdo Relacionado

O Papel da Fotografia Corporativa na Estratégia de Marketing Digital

Em um mundo onde a imagem de uma marca pode ser tão...

Constelação Familiar e Saúde Mental: Uma Perspectiva Terapêutica

A saúde mental, fundamental para o bem-estar geral do indivíduo, é influenciada...

4 dicas úteis para poupar dinheiro usando a internet

Em meio a realidade dos altos preços, uma tendência se destaca: a...

Inteligência Artificial Generativa: como o varejo pode aproveitar a tecnologia para gerar inovação

*Por Carlos Siqueira A pandemia global acelerou a adoção digital em várias...