A agência de marketing digital vai focar no público do Facebook e do Google, que já busca se informar sobre assuntos como empréstimo, endividamento e investimento

 Depois de inovar no setor financeiro com o anúncio de duas plataformas digitais para microcrédito e investimento, o Banco Santander, por meio das fintechs criadas para gerir esses serviços, faz um esforço de educação do mercado e apresentação das vantagens das novas ferramentas. E o desafio de marketing digital ficou por conta da Raccoon, agência que será a responsável pelo trabalho de mídias pagas, inbound e TI das plataformas.

As novas plataformas do Santander são: Pi, plataforma aberta de investimentos, e Em Dia, que ajuda os usuários na renegociação de dívidas. Apesar de terem nascido dentro do Banco, cada uma delas atua com uma gestão independente do banco.

A parceria entre a Raccoon e as fintechs iniciou em agosto deste ano. De acordo com o sócio-fundador da agência, André Palis, cerca de 30 pessoas estarão envolvidas no atendimento das contas. “A Raccoon irá trabalhar com conteúdo e anúncios principalmente no Facebook e no Google, com atenção especial às estratégias de vídeos no Youtube. A ideia é buscar usuários que já estão inseridos nos assuntos do mercado financeiro, seja buscando informações sobre o tema, seja assistindo conteúdos que os ensinam a enriquecer através de investimentos ou, ainda, quem está tentando se regulamentar frente às dívidas”, explica.

“Como se trata de um assunto mais complexo e até delicado em determinados momentos, o foco do trabalho de inbound será a educação financeira dos usuários. E isso inclui as informações sobre as plataformas digitais e seus benefícios, mas também outros temas que ajudem as pessoas a melhorarem sua saúde financeira”, detalha o sócio-fundador.

O projeto

Uma das ferramentas que será essencial nesse trabalho será o Marvin, que foi desenvolvido pela própria Raccoon. A solução automatiza a criação de peças gráficas e vídeos para anúncio de serviços e produtos. Por meio dessa ferramenta, é possível criar um template básico que, a partir do comando de um algoritmo, se transforma em centenas de peças diferentes, mudando apenas o texto ou alguma imagem.

“Nesse caso do atendimento às duas fintechs, o Marvin é um ótimo recurso, pois o assunto base delas é o mesmo: gestão financeira. Dessa forma, usamos um template único e a ferramenta de automatização faz as alterações necessárias para cada anúncio. Em um foca em investimento e no outro na renegociação de dívida. Tudo isso em poucas horas, o que traz eficiência às campanhas”, explica.

Segundo Palis, apesar de serem direcionadas para públicos parecidos e nos mesmos ambientes online, as estratégias de marketing digital serão trabalhadas de forma customizada para cada uma das fintechs. Na plataforma de investimento Pi, a Raccoon usará uma estratégia mais completa, que inclui mídia paga, inbound e TI. “No que se refere à parte de TI especificamente nessa plataforma vamos trabalhar com foco em tagueamento para suporte em mídias pagas e desenvolvimento de landing pages”, diz.

Já na plataforma de renegociação de dívidas Em Dia, a agência atuará focada em mídias pagas e inbound. “Cada fintech está em um momento de maturidade digital e, por isso, a abordagem de marca frente ao usuário precisa ser distinta. Na Raccoon nosso foco está no resultado, então trabalhamos pensando nas especificidades de cada cliente para potencializar o desempenho das campanhas”, finaliza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui