Idioma é uma das principais exigências do mercado de trabalho

Muitas pessoas estão em busca de recolocação profissional durante o período de quarentena. Apesar da crise econômica consequência da pandemia do novo coronavírus,  existem empresas com vagas abertas e o domínio do inglês é um dos principais diferenciais para contratação. Dados de uma pesquisa da Page Personnel, empresa de recrutamento mundial,  revela que 60% das vagas hoje exigem o idioma.

Entrevistas de trabalho podem ser complicadas no idioma nativo, especialmente quando não há possibilidade de fazê-las presencialmente, que dirá em inglês.  Além de dar conta do nervosismo, é preciso se expressar claramente e, ainda por cima, garantir que cobrirá todos os pontos necessários para apresentar uma boa imagem. Analista de Desenvolvimento Humano Organizacional na EF English Live, maior escola de inglês online do mundo, Aline Moraes separou algumas dicas para se sair bem na entrevista remota em inglês:

Faça sua pesquisa

É extremamente importante que você se familiarize com o ramo, a empresa e o cargo para o qual está se candidatando. “O site da empresa é um ótimo lugar para começar”, aconselha a analista. Isso irá garantir que você esteja preparado para algumas perguntas comuns. Vá sempre preparado com uma resposta para: “Why do you want to work here?” (Por que você quer trabalhar aqui?)

Prepare-se bem, mas não escreva um roteiro

Segundo Aline, no geral, é fácil adivinhar o tipo de informação que o entrevistador vai querer saber numa entrevista de emprego, mas é impossível saber tudo. “Certifique-se  que você sabe todo vocabulário de que precisa para se descrever e falar de sua experiência de trabalho, mas não tente montar um roteiro. O entrevistador pode fazer a mesma pergunta de formas diferentes e se você estiver limitado a um “script” não conseguirá seguir”, aconselhou.

Pratique

A prática leva à perfeição. Fazer  uma entrevista de mentira com um amigo, ensaiar respostas em frente ao espelho ou até mesmo gravá-las são  alternativas indicadas pela especialista. Também é válido marcar uma aula com seu professor de inglês para preparação. “Isso aumenta a confiança para falar inglês e é uma ótima maneira de falar com tranquilidade sobre suas habilidades mais importantes e suas qualificações”, explica.

Conte ao entrevistador o que ele quer saber

De novo, a ideia é responder as perguntas do entrevistador como numa conversa “Interaja, não dê uma resposta ensaiada, uma listinha de informações. A entrevista serve para ele saber mais do que seu currículo mostra. Se repetir seu currículo em inglês, não tem motivo para fazer a entrevista”, complementa Aline. Se tiver informações extras que o concorrente queira dar ao entrevistador a orientação é inseri-las após responder uma pergunta com expressões como: “This might be a good time to explain…” (Esta pode ser uma boa hora para explicar..), “This is related to…” (Isso tem relação com…) ou “An example of this might be…” (Um exemplo disso pode ser…).

Seja educado e simpático, sem ser informal demais

Evite gírias na entrevista. “No inglês, formas como “Would you tell me…?” (Você me diria…?) ou “Could you tell me…?” (Poderia me dizer…?) soam bem mais educadas. Apesar de muitos escritórios usarem inglês informal no cotidiano, não é uma boa ser informal demais com o entrevistador”, aconselha.

Concentre-se no que está dizendo

É importante falar bem inglês, contudo, o entrevistador está mais interessado no conteúdo do que você está dizendo do que na forma com que diz. “A menos que o entrevistador esteja especificamente testando seu inglês, concentre-se na informação que passa em suas respostas. É melhor ele achar que você entende muito da sua área do que pensar que você fala inglês bem, mas não sabe o suficiente sobre seu ramo”, aconselha Aline.

A consultora ainda reforça a importância de falar a verdade sobre o nível do inglês. “A preparação para uma entrevista começa pelo currículo. Se você disser que é avançado será avaliado como tal. É importante saber em qual fluência você se encontra para ser mais assertivo”, orientou. Para isso, Aline sugere a realização de um teste. Na página da escola, o candidato pode fazer uma avaliação de proficiência completo com com base em referências internacionais do Quadro Comum Europeu de Referência para Línguas (CERF).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui