Mais

    Retail techs: como a tecnologia invadiu e revolucionou as operações do varejo

    Publicidade

    Você já ouviu falar do termo retail tech? Ele se refere basicamente às startups que desenvolvem soluções tecnológicas para serem implantadas no setor do varejo e, assim, otimizar suas operações e tornar a experiência do cliente mais integrada.

    Podemos ver essas novas tecnologias feitas pelas retail techs nas promoções na Amazon. Essa gigante do mercado de varejo utiliza inteligência artificial para recomendar os produtos que o usuário tem mais interesse.

    Publicidade

    Neste artigo, mostraremos mais sobre como a tecnologia está mudando o varejo. Confira a importância das retail techs no mercado e as principais tendências tecnológicas para o mundo do varejo.

    Importância do setor de retail tech no Brasil

    Com todas as transformações que a pandemia trouxe para o Brasil, muitas empresas varejistas tiveram que se adaptar a um “novo normal”, em que seus consumidores passavam mais tempo dentro de casa e tinham a necessidade de consumir à distância.

    Esse movimento fez com que muitas empresas tivessem que começar a se digitalizar e contar com soluções tecnológicas para poder se manter no mercado. Sistemas de pagamentos online, plataformas de e-commerce e softwares de gestão tiveram que ser utilizados para que os negócios conseguissem vender online.

    Mas, mesmo antes da pandemia, havia lojas que conseguiram antecipar essa mudança e se digitalizar anos antes para oferecer uma boa experiência de compra a seus clientes. Por conta disso, o surgimento de empresas focadas no segmento de retail tech começou a crescer bastante nos últimos.

    Publicidade

    Segundo dados do Distrito Dataminer, em 2017 foram fundadas mais de 100 retail techs, sendo que o Brasil possuía mais de 760 empresas desenvolvendo tecnologias para o varejo. Isso fez com que mais investimentos fossem feitos nesse tipo de empresa. As retail techs receberam mais de US$527 milhões em apenas dois meses e meio.

    Além disso, muitas empresas maiores estão comprando ou se juntando a retail techs para poderem criar uma forte parceria e melhorar a tecnologia. Nos primeiros dois meses de 2021, por exemplo, 9 fusões e aquisições ocorreram no mercado com as retail techs. Uma delas foi a empresa Magazine Luiza adquirindo a Vip Commerce para melhorar os sistemas do negócio.

    Tendências de tecnologia para o varejo

    Com todo esse investimento e parcerias que as retail techs estão usufruindo no momento, ficou mais acessível para elas o desenvolvimento de novas tecnologias que prometem mudar a forma que o varejo funcionará no futuro. A seguir, separamos algumas tendências que podem surgir nos próximos anos e que foram motivadas pelas retail techs.

    Inteligência artificial

    A inteligência artificial é uma tecnologia muito requisitada no momento por permitir que diversas ações sejam feitas de forma automática e mais precisa, fazendo com que as empresas possam focar em estratégias de crescimento.

    Podemos ver a inteligência artificial nos chatbots instalados em lojas virtuais, nos e-mails com recomendações personalizadas de produtos e até mesmo no dia a dia dos funcionários internos do varejo, que podem receber dicas e sugestões de como prosseguir com determinadas atividades.

    Mobile First

    O número de pessoas realizando suas compras online por seus celulares só vem crescendo com o passar dos anos, o que fez com que as empresas tivessem que buscar soluções que facilitassem esse processo, como o desenvolvimento de aplicativos, por exemplo.

    Além disso, as retail techs também estão trabalhando no desenvolvimento de carteiras digitais nos celulares, como a Apple Pay, que permite que cobranças sejam feitas diretamente nos smartphones.

    Essa tecnologia vem sendo muito utilizada pela Amazon em suas lojas físicas, onde o cliente pode pegar os produtos que necessita da prateleira e não precisa passar em um caixa para realizar o pagamento, já que este é feito de forma automática e cobrado na conta da Amazon.

    Social e live commerce

    Essas duas tendências prometem mudar um pouco a forma que os produtos são comercializados online para oferecer mais praticidade aos clientes.

    O social commerce é uma tendência relacionada à prática de vender produtos pelas redes sociais. Já o live commerce é uma forma que mistura redes sociais e a interação do público, sistema em que as vendas podem ser feitas por transmissões ao vivo para mostrar o produto e responder dúvidas em tempo real.

    As duas tendências existem há algum tempo, sendo que as retail techs que atuam nesse modelo já receberam US$6,7 bilhões de investimentos desde 2009. Com a pandemia, elas só se reforçaram no mercado como uma tendência forte de vendas online.

    Publicidade

    Artigos recentes

    Notícias Relacionadas

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui