Saiba quais são as principais ferramentas para atuar como freelancer

0

A transição de carreira é uma realidade cada vez mais frequente entre os profissionais de todas as áreas, especialmente após o fortalecimento do trabalho remoto em virtude dos acontecimentos de 2020. Muitos profissionais que já estavam insatisfeitos com suas carreiras acabaram decidindo encarar de vez a vida de freelancer.

Fazer os próprios horários, não ter chefe – mas clientes – e evitar o trânsito, podendo desfrutar de mais momentos em família, são propostas sedutoras. No entanto, atuar como profissional autônomo não é tão simples como parece.

Um profissional que deixa o mercado formal precisa lidar com uma série de questões como a abertura de uma empresa e todos os encargos que ela traz consigo, a necessidade prospectar clientes, a disputa por um lugar no mercado competitivo e a instabilidade financeira em períodos de escassez.

A decisão de abandonar a carteira de trabalho precisa ser muito bem pensada. Algumas características pessoais são essenciais para o bom desempenho no trabalho independente. Disciplina, organização, paciência, saber separar vida pessoal da profissional, ter um objetivo bem definido sobre o trabalho e fazer uma reserva de emergência para cobrir eventuais imprevistos são essenciais para o sucesso.

Plataformas digitais são oportunidades

Uma boa maneira de começar nessa área é por meio das plataformas digitais que oferecem oportunidades para freelancers de várias áreas de atuação, servindo como ponte entre os profissionais e os clientes em potencial.

Normalmente, elas dão oportunidades para redatores, analistas de social media, designers, tradutores, fotógrafos, editores de texto e vídeo, programadores, desenvolvedores de games, analistas de dados, jornalistas, profissionais de marketing e até arquitetos.

No começo vai ser preciso oferecer preços mais competitivos e apresentar um bom custo-benefício para ter uma oferta aceita. Uma vez que se estabelece nesse mercado, o profissional passa a ser disputado pelos clientes e pode subir seus valores.

Workana

Essa é uma das plataformas mais conhecidas entre os profissionais que atuam de forma independente. Quando comparada a outras plataformas, a Workana tem um cadastro mais caro, porém, as categorias disponíveis são mais abrangentes.

A conquista de oportunidades se dá por meio de uma concorrência. O cliente – empresa ou pessoa física – publica um projeto e aguarda as propostas dos freelancers. Ganha aquela que estiver mais alinhada à demanda e com melhor preço, portanto, há de se ter cuidado com a precificação, especialmente, novos usuários que ainda não têm um nome forte dentro da plataforma.

99 Freelas

A 99Freelas oferece opção gratuita e paga, que vale mais a pena. Com DNA brasileiro, esse serviço tem opções de trabalho para redatores, fotógrafos, tradutores, web designers, entre outros.

O cadastro é bem simples. A pessoa precisa dizer o nome e a área pretendida, elencando suas habilidades profissionais. Feito isso, o usuário estará apto a prospectar as oportunidades.

A plataforma tem um grande volume de participantes e clientes em potencial e, portanto, oferece uma alta competitividade. Uma boa estratégia de precificação é fundamental para ganhar espaço na 99 Freelas.

Freela Web

Ao contrário dos seus concorrentes, o Freela Web funciona como uma vitrine de freelancers. São os profissionais que divulgam os serviços que estão aptos a prestar e os clientes fazem a busca ativa. As principais categorias disponíveis são: design e criação, programação e TI, áudio e vídeo, marketing, escrita e tradução e aulas on-line.

Freelancer

A Freelancer tem uma presença forte no mundo todo e também oferece duas opções de cadastro: gratuito e pago (que traz as opções mais atrativas). O diferencial dessa plataforma é que, enquanto as outras focam em áreas relacionadas à comunicação, ela oferece oportunidades em contabilidade, vendas, serviços jurídicos e até engenharia.

Outro ponto interessante é que a Freelancer disponibiliza uma página para certificar as habilidades do profissional. Quando uma pessoa é aprovada, ganha um selo atestando sua competência para aquela atividade.

O cadastro pode ser feito diretamente pelo site ou por meio de um aplicativo de celular, o que facilita a busca por novos projetos.

Trampos. Co

De todas, essa é a plataforma que tem o acesso mais simples. É só criar um login e preencher o currículo, incluindo links externos, se houver. A plataforma permite editar o link do currículo, possibilitando que o profissional faça a divulgação nas suas redes sociais, aumentando as chances de ser encontrado.

UpWork

Para acessar essa plataforma é preciso ter um conhecimento básico de inglês, pois, todos os trabalhos oferecidos são na língua estrangeira. Se esse pode ser um impedimento para muitos profissionais, o lado positivo é que os pagamentos são realizados em dólar.

A UpWork oferece opções para design, escrita, marketing, tradução, serviços jurídicos, desenvolvimento web, mobile e de software, entre outros. É cobrada uma taxa 20% em cima dos primeiros US$ 500 recebidos pelo profissional.

LinkedIn

Embora não seja uma plataforma para freelancers, o LinkedIn é uma ferramenta para que profissionais de todas as áreas apresentem suas habilidades. Conhecida por ser uma rede social específica para networking, ela oferece inúmeras possibilidades.

Além de conexões interessantes que podem render novos negócios, ela oferece a oportunidade para criar artigos e posts sobre a sua área de atuação ou outros temas relevantes ao mercado de trabalho.

Para se destacar entre os milhões de usuários da rede, deve-se manter o perfil atualizado e ter uma atuação constante na produção de posts e artigos, além de interagir com outros usuários.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui