Stake chega ao Brasil dando acesso direto à bolsa norte-americana

Publicidade

Fundada em 2017 na Austrália com a missão de colocar o mercado de ações dos Estados Unidos ao alcance de investidores ao redor do mundo, a Stake, plataforma que conecta pessoas de diferentes países ao mercado de ações americano, chega à América Latina. Com mais de 150 mil clientes espalhados pela Nova Zelândia, Reino Unido e em seu país de origem. O primeiro destino Latam é o Brasil, onde a plataforma começou a funcionar no dia 14 de outubro, dando acesso aos investidores à mais de 3.800 ações e ETFs listadas na bolsa americana, sem taxa de corretagem.Trazendo no seu DNA uma essência jovem e disruptiva, a Stake acompanha uma transição da geração de “poupadores” para a geração de investidores. São pessoas que acreditam tanto em empresas e querem se tornar sócias delas. “A Stake entrega essa facilidade e acessibilidade, os dados estão lá dentro do app. Fica muito simples investir” , comenta Paulo Kulikovsky diretor de operações para América Latina na Stake.

O objetivo é ser mais uma opção para investidores diversificarem sua carteira e assim evitar que toda a sua rentabilidade esteja exposta ao mesmo tipo de risco de um segmento, mercado, indexador. “Acreditamos em uma nova geração de investidores. São pessoas ativas, tecnológicas, que demandam por diversificação e rejeitam as barreiras antiquadas para participar do mercado. Atuamos com mais de 3,8 mil ativos, entre ações e ETFs, podendo trabalhar com fracionário, ou seja comprar frações de ações, com liquidez nas transações. Queremos trazer inovação real para transformar o modo que as pessoas enxergam o mercado de ações. A ideia é expandir para América Latina e outros países da Europa nos próximos 6 meses   ” comenta Matthew Leibowitz, CEO e fundador da Stake.

Em pouco mais de um mês, desde seu lançamento, as dez empresas mais procuradas pelos brasileiros foram GoPro, NIO, Dropbox, Amazon, Apple, Tesla, Hertz Global Holdings, Aurora Cannabis, Alibaba Group e Walt Disney Company. Alguns nomes desta lista se repetem entre investidores da Austrália, Nova Zelândia e Reino Unido. A explicação para isso está na credibilidade “Empresas consolidadas trazem uma certa confiança para o investidor  na hora de montar uma carteira diversificada e mitigar os riscos, porém é importante ficar atento ao mercado para evitar perdas.” completa Leibowitz.

Publicidade

A chegada da plataforma ao Brasil contou logo de cara com uma lista de espera de cerca de sete mil pessoas, que participaram do lançamento beta. Para novos investidores, a plataforma dá como vantagem para quem fizer um depósito nas primeiras 24h após abertura da conta, a  oportunidade de girar uma roleta virtual para receber como presente uma ação da Nike, Dropbox ou GoPro. A plataforma também conta com um sistema onde usuários poderão indicar para amigos. Para cada novo cadastro seguido de depósito realizado pelo convite, o usuário ganha a chance de rodar a roleta mais uma vez.

A Stake não cobra taxa de corretagem para negociação direta de ações e ETFs na bolsa americana. O custo para o cliente será apenas o spread cambial no depósito e retirada. Os rendimentos podem ser reaplicados em dólar na carteira sem nenhum custo. O investidor tem a opção de não precisar converter os valores em reais se reinvestir em dólares novamente. Por exemplo, se ele vender suas ações em dólares, e depois, comprar outros papéis, pode manter os dólares. “Essa é uma vantagem de investir direto, pois o investidor corre o risco dessa alta volatilidade do câmbio entre uma operação e outra”, comenta Kulikovsky,.

Para se cadastrar na plataforma, basta baixar o app da Stake na App Store para iOS ou Google Play para usuários de Android. Em seguida, o investidor deve criar sua conta em um processo simples e 100% digital. Em menos de cinco minutos, o usuário já terá sua conta em dólar totalmente digital e sem custo de manutenção, com atendimento em português. Não há limite de investimento mínimo, o sugerido é a partir de R$250  e a transferência é feita via TED na moeda corrente de seu país de origem para conta que tem câmbio integrado. Isso significa que o cliente brasileiro, por exemplo, consegue investir e resgatar o dinheiro em reais automaticamente.

A plataforma é regulamentada na Austrália,Reino Unido e atua no Brasil de acordo com  parecer de orientação nº33 da CVM, ofertando seus serviços em conjunto com uma corretora autorizada pelo órgão regulador.

Publicidade

Artigos recentes

Notícias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui