Startup de Maringá cria mapa com impacto econômico do coronavírus em cidades com mais de 100 mil habitantes

Publicidade

Painel baseado em geolocalização e fontes do Ministério da Saúde, mostra ainda o número de infectados e óbitos, além do índice de mobilidade por estado

 Buscando aliar sua expertise à disposição em prestar auxílio durante a crise atual, a SIGA, startup maringaense fundada em 2018 e especializada em Inteligência Geográfica lançou, por conta da pandemia do Coronavírus no país, três plataformas que acompanham o avanço da Covid-19. Hoje são mais de 2 mil acessos por dia, mas logo que lançado, o primeiro mapa chegou a passar de 100 mil acessos diários, acumulando até o momento mais de 600 mil visualizações.

A ideia surgiu logo no início da expansão da doença no Brasil, na metade de março, com o objetivo de abranger o máximo de informações oficiais sobre as adversidades do vírus de uma maneira interativa e de fácil interpretação, alinhando as técnicas de Big Data e Business Intelligence ao know-how geográfico da empresa para desenvolver três mapas eficientes e acessíveis.

Um dos mapas é voltado unicamente para o impacto econômico da pandemia em cidades com mais de 100 mil habitantes, baseado em pesquisas do Sebrae e referências do IBGE, reúne dados como, por exemplo: o índice de municípios que tendem a sofrer mais e que possivelmente apresentarão maior dificuldade na recuperação pós-crise; quais setores e atividades são mais impactados pela doença e suas estratégias de contenção, como o isolamento social; quantas empresas existem em determinado seguimento e outras informações. De acordo com o painel, em Maringá – cidade onde está localizada a startup –, as corporações equivalem à 69% das áreas mais impactadas, entretanto, por conta da variedade de fontes e sínteses de diferentes aspectos, a pontuação é relativa e o índice não possui valor absoluto, o objetivo é dar uma ideia de quais municípios tendem a ser mais impactados economicamente.

Publicidade

Leia Também: Inovabra transmite palestra sobre Sucesso do Cliente nesta quinta-feira

A segunda plataforma é responsável pelas informações a respeito da mobilidade das pessoas durante a quarentena, retiradas do Google no período de 3 de janeiro a 6 de fevereiro. Os dados mostram as aglomerações por estado, principalmente em parques, praias, praças e outros locais públicos onde as pessoas costumam passear. A missão da SIGA é encurtar a distância entre empresas e consumidores. Até o momento, 16% a mais da população paranaense tem permanecido em casa durante a quarentena, em comparação ao período anterior.

Por fim, o último painel, que contém o monitoramento do novo Covid-19, com números das pessoas infectadas e de óbitos pelo vírus, é atualizado todos os dias às 19h30, quando o Ministério da Saúde divulga os dados oficiais no boletim do vírus.

Publicidade

Artigos recentes

Publicidade

Notícias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui