Tecnologia brasileira é responsável pelo desenvolvimento de placas eletrônicas para equipamentos utilizados no tratamento da Covid-19

Publicidade

A Standard America – indústria brasileira de placas eletrônicas, que está ampliando sua atuação internacionalmente, para a Europa, a partir de produção em Portugal, e também para os Estados Unidos – é a fornecedora de placas eletrônicas para produtos como respiradores e o inovador ‘pulmão auxiliar’, um equipamento de Oxigenação por Membrana Extracorpórea (ECMO, em inglês) que é utilizado como suporte ao tratamento mecânico no caso de a ventilação não surtir efeito no tratamento do paciente.

O Sistema ECMO, produzido no Brasil pela Braile Biomédica, é indicado para adultos ou crianças em casos de transplante de coração, infarto do miocárdio, parada cardíaca e insuficiência respiratória aguda, condição também causada pelo coronavírus, no qual há inflamação dos brônquios e o comprometimento dos alvéolos, pequenas estruturas que compõem o sistema respiratório e funcionam levando o oxigênio à corrente sanguínea.

“Cada vez mais, o desenvolvimento da tecnologia brasileira se faz fundamental para que o País dependa menos de produtos importados e tenha autonomia para cuidar de sua população. Temos pesquisadores, indústrias, mão de obra qualificada e tudo o que precisamos para ampliar a indústria – basta acreditarmos e termos o apoio necessário para realizar mais”, pondera Hidalgo Dal Colleto, CEO da Standard America.

Publicidade

Com faturamento de R$ 2,3 milhões em 2019; R$ 8,25 milhões em 2020 e previsto em R$ 32 milhões em 2021, a Standard America cresce consistentemente e reinveste seus ganhos em tecnologia, estrutura e equipe. A indústria dobrou seu parque tecnológico e produtivo no primeiro ano de produção e a ideia é ampliá-lo a cada oportunidade. “Teremos uma fábrica também em Portugal, que será construída no segundo semestre deste ano, e ampliaremos nossa participação internacional, que hoje é feita por meio da parceria com uma indústria portuguesa, a Exatronic. A reindustrialização brasileira é possível, mas precisamos de mais incentivos”, complementa Ricardo Helmlinger, CMO da Standard America.

A STD America em números

Faturamento
2019 (ainda como Stolden) 2020 (Standard America) 2021 (previsão)
R$ 2,3 milhões R$ 8,25 milhões R$ 32 milhões
 
Clientes
2020 (abril, ainda como Stolden) 2021
10 71 (em abril), com previsão de chegar a 155 em dezembro
Fornecedores
2020 (abril, ainda como Stolden) 2021 (Standard America)
4 55
 
Países de atuação
2019 (ainda como Stolden) 2020 (Standard America) 2021 (Standard America, STD Europe e Standard America LCC)
Brasil Brasil e Portugal Brasil, Portugal e EUA
 
Equipe

Crescimento de 155% no número de colaboradores de 2020 a 2021 (abril). A equipe operacional é composta por 85% de mulheres, em idade média de 45 anos.

Publicidade

Artigos recentes

Publicidade

Notícias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui