sexta-feira , 14 junho 2024
Ínicio Noticias Transações de bitcoins: como funcionam e tudo que você precisa saber sobre
Noticias

Transações de bitcoins: como funcionam e tudo que você precisa saber sobre

919

As criptomoedas, mais conhecidas como bitcoins, continuam bem populares entre os investidores, mesmo com seus altos e baixos dos últimos anos. Esses tokens são algo relativamente novo no mercado e, por serem ativos totalmente digitais, acabam funcionando de uma forma diferente dos investimentos tradicionais. Para ajudar a entender de vez tudo que está envolvido em uma transação de bitcoin, explicaremos o básico dessa tecnologia e quais são suas principais diferenças.

Primeiramente, vamos entender melhor o conceito desses ativos. O protocolo Bitcoin (escrito sempre com B maiúsculo) representa todo tipo de criptomoeda, sendo que todas elas são descentralizadas (ou seja, não são controladas por nenhuma empresa ou governo) e não possuem restrições geográficas, podendo ser utilizadas no mundo inteiro.

Já o bitcoin (com b minúsculo) representa qualquer criptomoeda disponível no mercado – apesar de existir um ativo com esse mesmo nome, o termo ainda é usado de forma generalizada. Todo esse sistema funciona à base de uma tecnologia chamada blockchain, que é a responsável por registrar cada transação do gênero e armazená-la em um grande banco de dados.

A blockchain é a responsável por controlar o saldo de todos os tipos de criptomoedas disponíveis na rede, então podemos dizer que tudo gira em torno dela. Esses dados são rastreados a partir de dois endereços: um público e outro privado. Na prática, funciona da mesma forma que uma conta bancária, sendo a chave pública utilizada nas transações e a privada, como uma senha, para proteger os seus ativos.

O principal diferencial das transações de bitcoins é que elas não precisam envolver nenhuma entidade financeira como intermediário, o que já vai contra o padrão de qualquer tipo de investimento ou tudo que envolva dinheiro. Toda “troca” pode ser feita diretamente de indivíduo para indivíduo, como se fosse uma nota fiscal brasileira, onde o comprador entrega a nota e o vendedor, o produto.

Uma vez que a transação for concluída, a pessoa fica com os criptoativos registrados em sua conta e, a partir disso, já pode fazer o que quiser com eles. Por mais que pareça complicado, isso é tudo que envolve a compra e venda de bitcoins, sendo um processo bem simples e fácil para qualquer tipo de investidor.

É por isso que hoje as criptomoedas ganharam o apelido de “dinheiro virtual”, pois as transações não se distinguem muito da nossa moeda tradicional. Isso permite que os ativos sejam utilizados em compras banais e cotidianas, algo que vem sendo estudado há algum tempo e que alguns países já estão praticando. 

Compartilhar