A startup, que é uma da investidas do BMG UpTech, trabalha com transporte compartilhado de passageiros e está com essa atividade paralisada

A atual pandemia associada ao Coronavírus exige responsabilidade coletiva para que os impactos sociais e econômicos possam ser minimizados. O Zumpy, aplicativo de transporte profissional, que desde 2015 apresenta soluções eficazes de mobilidade urbana para a Região Metropolitana de Belo Horizonte, está ciente do seu papel de respeitar as medidas de isolamento, contribuindo para frear o avanço da Covid-19, ao mesmo tempo em que se preocupa com as dificuldades enfrentadas pelos profissionais autônomos. Por isso, a startup, que é uma das investidas do BMG UpTech, paralisou suas atividades, mas mantém o pagamento de 50% do valor das rotas para os motoristas durante o período da quarentena.

Além disso, a plataforma tem feito parcerias com supermercados, mercearias e outras empresas para a entrega de encomendas. Assim, está sendo possível complementar a renda dos profissionais. “Atualmente, estamos atendendo a dois supermercados e diversas startups. Identificamos que existe a alternativa para realizar transporte de pessoas, quando viável, associado ao transporte de mercadorias. Continuamos em busca de outras oportunidades”, esclarece o CEO do Zumpy, André Andrade.

A plataforma disponibiliza viagens compartilhadas entre passageiros que têm rotas semelhantes, oferecendo conforto, segurança e economia para o usuário – em geral, de casa para o trabalho e vice-versa. Desde o dia 17 de março, elas estão suspensas em função da necessidade de isolamento, sendo que apenas a entrega de mercadorias está sendo realizada. “Dessa forma, sabemos que os motoristas perderam sua fonte de renda e já enfrentam dificuldades, porque não têm reservas. Porém, não vamos desamparar nossos parceiros. Faremos esse esforço financeiro para ajudá-los a enfrentar essa crise”, garante o CEO do Zumpy, André Andrade.

Atualmente, o aplicativo conta com, aproximadamente, 250 motoristas cadastrados, mas nem todos com rotas ativas. “Aqueles que tinham rendimentos fixos receberão os valores semanalmente”, completa Andrade. Motorista do Zumpy, Moisés Rezende se mostrou aliviado e valorizado com a iniciativa. “Sou colaborador desta pequena grande startup, que tem a sensatez de verdadeiramente nos enxergar como parceiros. Imagina, neste momento, como fica um pai que, de corrida em corrida, leva o sustento para casa todo dia?”, questiona, em referência às consequências financeiras do Coronavírus para os profissionais desse segmento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui