sábado , 22 junho 2024
Ínicio Noticias Estamos na era do áudio? No Brasil, 90% dos brasileiros consomem o formato
NoticiasTecnologia

Estamos na era do áudio? No Brasil, 90% dos brasileiros consomem o formato

77

O lançamento da rede social AirChat trouxe à tona uma questão pertinente: estamos na era dos áudios? Autodenominada um “walkie talkie social”, a plataforma permite que os usuários se comuniquem principalmente através de mensagens de áudio. Diferente do Clubhouse, que alcançou popularidade durante a pandemia, o AirChat apresenta um feed de publicações e perfis para acompanhar, além de utilizar inteligência artificial para transcrever os áudios gravados pelos usuários.

IAS anuncia Election Lab para orientar gestão de campanhas digitais às vésperas das eleições de 2024

A realidade é que, no Brasil, vivemos a era dos áudios há algum tempo — e não há perspectiva de que termine por aqui. Para Leopoldo Jereissati, publicitário e sócio fundador da All Set, a comunicação por áudio é a forma mais natural de interação humana, um comportamento que aprendemos desde a infância.

“No Brasil, a alfabetização ainda é um desafio — há 9,6 milhões de pessoas, com 15 anos ou mais, analfabetas no país. O áudio pode ser uma forma mais acessível de comunicação. O crescimento do uso de mensagens de voz no WhatsApp exemplifica essa tendência”, explica o publicitário.

Uma pesquisa publicada pela Kantar IBOPE Media trouxe que o rádio, no país, é consumido por 8 em 10 brasileiros. Jereissati explica que o poder do áudio está em capturar a atenção das pessoas, especialmente em um mundo onde somos constantemente bombardeados por informações visuais. “O rádio, por exemplo, ainda possui uma capacidade única de prender a atenção do ouvinte, mesmo em meio a tantas distrações visuais”, observa.

Vale ressaltar que, segundo o estudo da Kantar, os formatos mais lembrados de rádio são comerciais entre os programas e as músicas (50%), ações publicitárias feitas por locutores (25%) e promoções na programação (25%). O espaço faz parte da estratégia de comunicação das grandes marcas: 99 dos 100 maiores anunciantes do país em 2022 utilizaram o meio em suas campanhas no primeiro semestre de 2023.

Há espaço para uma rede social apenas de áudio?

Depois do auge e declínio do Clubhouse, há dúvidas. Jereissati acredita que a tendência futura é a multiplataforma, com a integração de diferentes mídias. “Recentemente tivemos a evolução do rádio para os videocasts, inclusive em aplicativos como o Spotify, que também começou a incorporar vídeos para aumentar a atenção do público”, ressalta.

Setor de Serviços segue em crescimento e franquias se destacam como opção promissora de investimento

A ascensão do áudio nas redes sociais reflete uma combinação de acessibilidade, capacidade de capturar atenção e conexão emocional. O futuro, no entanto, parece apontar para uma integração mais ampla de diferentes formatos, sugerindo que o áudio poderá ser apenas uma parte de um ecossistema de comunicação mais diversificado e multimídia.

Compartilhar