Contratações na pandemia: como o mercado está se adaptando

Recrutamentos remotos se tornaram a opção mais segura para empresas e candidatos, mas como manter a cultura organizacional à distância?

0

Com o avanço da pandemia e do consequente isolamento social, muitas empresas estão se acostumando a aplicar novas técnicas de gestão e admissão de pessoal. Não só o trabalho pode ser em home office, como também as admissões também estão sendo feitas à distância com uma frequência cada vez maior.

Em agosto deste ano, uma pesquisa da Acesso RH já apontava que esse tipo de contratação cresceu em quase 50% no mês de julho, em comparação com março, quando o levantamento do Acesso RH se iniciou. De acordo com a publicação, a maior parte do recrutamento online foi realizado pelo setor de varejo, seguido de saúde, serviços, construção civil e educação.

Diego Bertolini, Gerente de Recursos Humanos da Raccoon, conta como a agência está lidando com a novidade. “Desde o início de agosto, quando retomamos as contratações, todas são 100% remotas. Tivemos que adaptar todo o processo, toda a comunicação, entrega de equipamentos… É uma operação que requer muito cuidado, por ser uma empresa com mais de 600 colaboradores e isso envolve muitas áreas da agência”, conta. As inovações incluem foco total em entrevistas e testes online, o que permite aplicações de qualquer lugar do Brasil, além de poupar o candidato de se deslocar.

Diego afirma que cerca de 10 contratações mensais são realizadas desde a retomada em agosto, com possíveis picos, como é o caso de novembro, com 43 admissões entre estagiários e efetivos.

Integração remota

O processo de inserção do novo funcionário recebe muita atenção, para manter viva a cultura da empresa e a sensação de pertencimento, mesmo à distância. O profissional explica: “A responsável pelo endomarketing envia um e-mail se apresentando, dando boas-vindas, e manda um formulário para saber mais sobre onde a pessoa está, se é em São Carlos [sede da Raccoon] ou outra cidade. Se for em outro local, fazemos um mapeamento, perguntamos quais equipamentos a pessoa deseja receber e montamos o kit para envio pelos Correios. Se a pessoa estiver em São Carlos, ela tem mais opções de itens que pode retirar no escritório, como cadeiras, apoio de monitor etc.”.

Há, ainda, algumas ações personalizadas para aprimorar a experiência. “Pedimos para os líderes desses novos colaboradores escreverem cartinhas à mão, e podemos também enviar canecas, máscaras ou cadernos da Raccoon”.

“O online é mais desafiador, mas atualmente conseguimos garantir um bom trabalho e temos recebido bons feedbacks. O fato de sermos uma empresa que nasceu no digital ajudou muito e, mesmo sem imaginar um cenário como esse, já estávamos preparados”, finaliza o diretor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui