Como escolher o modelo perfeito para seu site?

Publicidade

Ainda não é todo negócio que conta com um site próprio, o que pode fazer toda diferença, visto que não existe muita novidade sobre a importância da internet nos dias de hoje, especialmente, para empresas e autônomos.

Nem se trata de uma opinião dizer isso, pois os dados são da própria Abranet (Associação Brasileira de Internet), que é a maior referência na área. 

Segundo relatório de pesquisa recente, não chega a 60% o número de empresas que têm um website.

Publicidade

Sendo assim, basicamente, é como se a cada duas firmas, apenas uma contasse com isso. 

Agora imagine o diferencial que uma empresa especializada em contabilidade pode atingir se souber fazer a diferença nessa área, canalizando várias oportunidades.

Até porque, atualmente as novas gerações de compradores estão cada vez mais conectadas à internet, e cada vez mais exigentes em termos de presença digital. 

Tanto que quando o cliente quer algo, ele pesquisa primeiro pela internet.

Neste sentido, marcar presença em redes sociais, marketplaces e afins é algo importante, contudo a estratégia básica de uma marca deve ser a da criação de um website próprio, seja como frente institucional, loja virtual ou mesmo como blog.

Quando a marca entende isso e ganha essa maturidade digital, ela passa a dominar um aspecto fundamental que é o dos grandes motores de busca, que são os mais utilizados em nosso país, como:

  • Google;
  • Bing;
  • Yahoo;
  • Ask Brasil.

Portanto, assim que o cliente pesquisa por algo como escritório compartilhado coworking ou qualquer outra palavra-chave que seja do seu interesse, ele simplesmente encontra as melhores opções ranqueadas nas primeiras páginas.

É isso o que pode fazer toda diferença para uma empresa, já que estamos falando das maiores vitrines digitais do mundo todo. 

Também por isso decidimos escrever este texto, trazendo aqui os detalhes sobre como escolher o modelo perfeito para seu site.

Lembrando que não se trata apenas de marcas consagradas, mas também as pequenas e médias empresas, e até mesmo os autônomos e profissionais liberais hoje precisam desse tipo de estratégia, que coloca o website no centro do esforço de marketing.

Inclusive, um ponto bacana de tratar deste assunto é que atualmente os modelos de site estão tão evoluídos, que realmente já podem ser aplicados a qualquer nicho, seja para quem vende produtos populares no varejo ou para quem faz automação empresarial.

Desse modo, se o seu interesse genuíno é aprofundar em uma estratégia digital simples que realmente pode mudar a história da sua empresa, fortalecendo a marca e impactando diretamente nos resultados mais práticos e imediatos, é só seguir até o fim.

Por dentro do projeto

Hoje em dia algumas plataformas gratuitas permitem a criação de um website básico com poucos cliques. 

Além de funcionalidades do tipo “arrasta e solta”, que vão montando as páginas mais ou menos como se fossem quebra-cabeças.

Para desfrutar dessas plataformas de criação com consistência e de modo realmente eficiente, é preciso primeiro montar um projeto que aborda vários aspectos, desde os teóricos e mais conceituais, até questões mais práticas e imediatas.

Basicamente, ter um website é empreender uma ação de marketing digital, então isso pede que você domine alguns pontos essenciais desse tipo de esforço.

Portanto, antes de discutir partes mais pragmáticas como onde colocar seus banners personalizados, é preciso confrontar a própria realidade da empresa, das equipes envolvidas, da intenção dos donos ou sócios e daí em diante.

Assim, os tópicos principais do seu projeto precisam envolver:

  • Quantos funcionários ajudarão?
  • Qual o orçamento mínimo e máximo?
  • Quais concorrentes já têm um site?
  • Qual é exatamente meu público-alvo?
  • Vou operar vendas direto pelo site?
  • Vou criar um blog com conteúdos ?
  • Que tipo de website vamos priorizar?

Sobre o último tópico, por exemplo, já falamos antes, considerando que o site pode ser apenas institucional, de tipo e-commerce ou focado na criação de conteúdos originais e gratuitos, que possam ser posicionados nos grandes motores de busca.

Uma dica de ouro nesse sentido é já colocar esses três pilares no projeto inicial. 

Assim, mesmo que seu site não nasça com essas três funcionalidades, elas já ficam no horizonte de toda a equipe, uma vez que todas as três são fundamentais.

Sobre o estudo de mercado, basta você mesmo pesquisar algo como avaliação de ativos, se esse for seu segmento. 

Em poucos segundos, você verá quais são os sites mais bem colocados do seu segmento, podendo aprender muito com eles.

A questão do público-alvo também deve ser resolvida com pesquisa de mercado, como algo fundamental para que o modelo de site escolhido atraia de fato as pessoas que podem vir a ser compradoras do seu produto, ou contratantes do seu serviço.

Por fim, dominar o aspecto operacional da mão de obra e a questão orçamentária é algo fundamental. 

Assim, seu website nasce como projeto sustentável, em vez de durar apenas algumas semanas e depois parar por falta de ajuda ou de verba.

O modelo e o mapa do site

Como vimos, com plataformas que priorizam a criação operada por pessoas comuns, que não precisam ser técnicos, programadores ou web designers profissionais, qualquer um pode ter acesso a milhares de modelos, cuja criação é intuitiva.

Neste sentido, o que realmente pode ajudar a definir o modelo ideal é você compreender quais os pilares das opções que vão se apresentar para você.

O primeiro ponto é dominar o mapa do site, isto é, quais as páginas e categorias que você terá em termos de criação. 

Por exemplo, a homepage, quatro menus principais e, dentro de cada um deles, cerca de sete ou dez páginas secundárias.

Assim, uma empresa de totem sinalização consegue passar dados básicos como localização e formas de pagamento e entrega. 

Além disso, já cria páginas que explicam aos visitantes um pouco de sua história, como funciona sua produção e o mix de produtos.

Como esse menu é considerado pequeno ou médio, ele pode ser posicionado no topo da página, não necessariamente na lateral, o que também já diz muito sobre os modelos que o seu website final poderá assumir em termos mais práticos.

Deste modo, com o mapa do site (que ficará no rodapé), você já consegue conceber a posição e realização estrutural não apenas da home, mas de cada página que será criada. Também é aqui que você decide se haverá lupa ou barra de pesquisa para navegação.

Escolhendo o template

Um aspecto fundamental do modelo do seu website é a questão visual, que precisa exprimir a alma da marca e, idealmente, trazer sua própria identidade visual, caso a empresa já tenha uma. Se não tiver, considere criar uma do absoluto zero, pois vale a pena.

Assim, se a sua paleta de cores está centrada no laranja, com tons de amarelo claro girando em torno dele, você vai aplicar a mesma lógica nos elementos estruturais que citamos acima.

Outros aspectos que impactam diretamente o modelo são o logotipo e o slogan. Além de ficar no topo da página, no cabeçalho, eles também se comunicam com o aspecto visual, graças à cor e à tipografia que assumem no conjunto.

É como se o seu website fosse um folder de apresentação da empresa, porém muito mais evoluído, já que na internet a pessoa pode interagir com o material, como:

  • Clicar;
  • Voltar;
  • Pesquisar;
  • Realizar compras;
  • Preencher formulários;
  • Baixar arquivos.

Também assim, aqui volta o ponto do seu público-alvo. Naturalmente, jovens tendem a preferir templates mais descolados e coloridos, ao passo que pessoas de mais idade acabam se inclinando para um tom mais formal ou mesmo mais solene.

Basicamente, as cores quentes e as formas arredondadas exprimem essa ideia juvenil e irreverente, podendo atrair soluções tecnológicas, automotivas ou de alimentação.

Já as cores frias e os traços retilíneos passam um ar mais sério, podendo servir para advogados, médicos, contadores e áreas mais clássicas do comércio.

Domine alguns diferenciais

Hoje em dia existem modelos estáticos de website, que ficam no ar como cartões de visita, e outros mais dinâmicos, que geram conteúdos frequentemente e permitem realizar compras online, o que também traz novidades e promoções frequentes.

Além disso, há alguns pontos ou diferenciais que podem fazer toda diferença, como a escaneabilidade e a responsividade. 

No primeiro caso, além da comunicação visual você se preocupa com a usabilidade do modelo, se é fácil trafegar e interagir com ele.

No segundo caso, trata-se da compatibilidade do modelo escolhido com dispositivos móveis, como celulares e tablets. 

Naturalmente, ter responsividade é melhor, inclusive para ganhar ranqueamento nos motores de busca, já referidos lá no começo.

Considerações finais

Enfim, criar um website é uma das estratégias mais importantes que uma marca pode decidir fazer atualmente, seja uma grande empresa ou um autônomo.

Para isso, é preciso ter um modelo pautado em todo um projeto que leve em conta o seu momento, sua equipe, seu orçamento e tudo o mais que citamos acima. Sem falar no template, no mapa do site, no visual, na usabilidade e daí em diante.

Assim, com as informações e dicas que trouxemos, fica muito mais fácil escolher o modelo perfeito para seu website, com isso melhorando e muito seus resultados.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Publicidade

Artigos recentes

Notícias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui