Como garantir a segurança online na Black Friday 2020?

Ações maliciosas crescem quatro vezes neste período; Estimativa de crescimento é de 77% nas vendas em relação ao ano passado.

0

A Black Friday 2020 deve bater todos os recordes. De acordo com uma recente pesquisa da ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), a estimativa é que as vendas atinjam R$ 6,9 bilhões em 2020, com destaque para o e-commerce que, por conta da pandemia causada pelo covid-19, vive momento de significativa expansão.

Mas por trás deste cenário de otimismo, existe uma imensa preocupação com a segurança online. Para se ter uma ideia, as atividades maliciosas que miram o e-commerce quase dobraram em três anos, atingindo 12,3 milhões em 2018, de acordo com a Kaspersky.

Se por um lado é esperado um crescimento de 77% nas vendas em relação a 2019, por outro sabe-se que é o dia de pico de ataques de phishing financeiro. Outro dado alarmante é que os ataques contra organizações superam os ataques contra consumidores na América Latina.

Sabendo que tanto consumidores quanto empresas serão alvo de ataques, Bianca Rosa, gerente de soluções de segurança da Buysoft, uma das maiores empresas de licenciamento de software e soluções em TI do Brasil, listou algumas dicas de segurança para empresas.

  • Seja proativo. Monitore os phishings. Phishing é uma técnica fraudulenta de obter informações confidenciais como nomes de usuário, senhas e detalhes de cartão de crédito e outras informações que podem ser utilizadas para se obter algum benefício. Os usuários geralmente são atraídos para websites falsos, porém idênticos ao legítimo, com o intuito de induzir a inserção de dados pessoais. A infecção ocorre por meio de comunicação eletrônica, sobretudo por e-mail.
  • Proteja-se contra ataques DDos. Um ataque DDOS explora as estruturas da sua rede, limitando a capacidade de um recurso online da sua infraestrutura e tornando-o indisponível. Alvos típicos são servidores web, como sites de compras virtuais e sites de órgãos públicos, entre outros. Contudo, qualquer empresa que ofereça serviços online está suscetível.
  • Oriente os colaboradores sobre cibersegurança. Realize campanhas de conscientização sobre o uso de informações e boas práticas de segurança com os colaboradores.
  • Monitore os acessos remotos ao seu ambiente. Identifique os acessos às suas informações e restrinja-os.
  • Controle a navegação web dos usuários. Entenda o que os seus usuários acessam e se faz sentido à rotina de trabalho deles.
  • Utilize soluções de segurança atualizadas tanto em dispositivos móveis, quanto servidores e computadores. Uma solução desatualizada não consegue entregar a mesma eficácia.
  • Utilize softwares originais e, sobretudo, mantenha-os atualizados.
  • Utilize criptografia de dados. Restrinja a leitura e o acesso aos seus dados fora da sua organização, evitando que eles caiam em mãos erradas!
  • Controle os pontos de entrada e saída de informações. Tenha um mapeamento dos dispositivos que acessam a sua empresa. Restrinja pontos como USB, CD e DVD que podem ser utilizados para disseminar um malware ou retirar dados da organização.

Everton Oliveira, engenheiro de segurança da Buysoft, esclarece que “muitos pensam que, implementar uma solução de segurança implica simplesmente na aquisição e instalação. Porém, somente profissionais especializados e certificados na solução conhecem as boas práticas e sabem como implementá-la de forma que atenda e se adapte ao ambiente. Uma solução de segurança, por mais robusta e qualificada que seja, quando implementada por profissionais não especializados poderá deixar o ambiente exposto a ataques e malwares”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui