Por Carolina Cabral*

A transformação digital, com a aplicação de big data e inteligência artificial, pode auxiliar as empresas a tomarem decisões rápidas, necessárias e assertivas em períodos de crise como agora, com a pandemia de coronavírus. A complexidade da área de compras tem aumentado devido ao grande número de informações que os compradores e gestores precisam analisar diariamente. Vimos recentemente supermercados enfrentando um rápido e inesperado consumo exacerbado de itens como papel higiênico, entre outros. Ou as farmácias enfrentando a falta do álcool em gel. Como a cadeia de suprimentos pode responder com eficiência a situações como essas?

A tecnologia pode ser uma grande aliada nessas horas. O eProcurement permite que o processo de compras seja digital, desde o cadastro e gestão de fornecedores até a entrega do que foi contratado. Toda a operação fica registrada na plataforma, garantindo compliance com as melhores práticas de mercado.

Assim, a automatização dos processos de compras garante mais agilidade e segurança nas homologações de fornecedores, cotações, pedidos, aprovações, contratos e entrega. Informações que antes eram apenas números, se tornam indicadores de desempenho, como produtividade, saving, lead time, entre outros, permitindo que o tempo gasto com questões operacionais seja redirecionado às atividades de maior valor agregado.

A ferramenta possibilita que a área seja menos operacional e suporta no planejamento e execução de forma estruturada, uma vez que as tarefas que agregam menor valor à equipe passam a ser executadas pelo eProcurement. Desta maneira o trabalho é otimizado; o lucro potencializado; e os erros, minimizados, facilitando as tomadas de decisões.

O processo de transformação é extenso, porém é possível aplicá-lo por etapas. Nesse caso, a área de compras pode se tornar uma das primeiras a viver essa transição, pois o resultado é rápido e tangível. O mundo corporativo já se deu conta de que a transformação digital mudará, e já está mudando, a forma como as empresas fazem negócios. Informações confiáveis e seguras sustentam a automatização dos processos de compras. Ao dispor de dados qualificados, os profissionais da área podem identificar desperdícios, gastos desnecessários, ineficiências e propor resoluções com rapidez, o que é ainda mais relevante em tempos de crise.

*Carolina Cabral é head de Procurement na Nimbi, empresa de tecnologia especializada em supply chain management, com soluções que aumentam a produtividade e geram economia para as organizações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui