Local de trabalho seguro e que permita distanciamento social passa a ser critério na busca por emprego em 2021

Pesquisa encomendada pelo Indeed também revelou que empregadores estão otimistas quanto a novas contratações este ano

0

O mercado de trabalho foi profundamente afetado em 2020. A pandemia de Covid-19 colocou as pessoas para trabalharem de casa, reuniões e entrevistas de emprego passaram a ser feitas online, e os encontros presenciais só acontecem quando estritamente necessário. Com as transmissões ainda em alta, uma “volta ao normal” ainda parece distante, mas, aos poucos algumas empresas planejam retornar com as atividades presenciais e o desafio trazido no ano passado continua.

O Indeed, principal site de empregos do mundo, encomendou uma pesquisa ao Censuswide com mais de mil funcionários e 250 empregadores no Brasil para descobrir quais desafios serão postos em 2021 e entender quais as perspectivas para o mercado de trabalho.

Segurança no trabalho

A pesquisa revelou que, embora o trabalho à distância tenha crescido entre empresas e funcionários, e seja essencial para alguns, apenas 10% dos trabalhadores entrevistados escolheram o trabalho remoto como um critério principal para mudar de emprego em 2021. Mas isso não significa que as pessoas não estejam pensando nas precauções para se proteger da Covid-19.

O diretor de vendas do Indeed Brasil, Felipe Calbucci, destaca que as empresas precisam ter em mente a segurança dos funcionários em primeiro lugar e, para os que já estão planejando um retorno ao escritório, é preciso adotar medidas essenciais para os novos tempos. “A pesquisa mostrou que um local de trabalho seguro que permita o distanciamento social é um dos principais critérios para mudança de emprego para 15% dos entrevistados. As empresas tiveram e continuam tendo que se adaptar ao novo normal e agora essas adaptações, que demonstram o cuidado com o funcionário, podem ser cruciais para atrair novos talentos”, afirma.

Ainda de acordo com a pesquisa, o aspecto de que o ambiente de trabalho deva ser seguro e permitir o distanciamento social é mais importante para as mulheres (17%) do que para os homens (13%).

O salário continua sendo o primeiro critério procurado em um novo emprego, 64% dos entrevistados destacaram a opção ao serem entrevistados, e logo em seguida se destaca a opção de maior segurança no emprego, ou seja, a tão sonhada estabilidade, com 48% da preferência dos trabalhadores entrevistados.

De maneira geral, veja os cinco principais critérios que um novo trabalho deve preencher, na opinião dos entrevistados pela pesquisa:

  • Maior salário – 64%
  • Maior segurança no emprego – 48%
  • Melhor pacote de benefícios – 41%
  • Deve ser a próxima etapa na carreira – 23%
  • Perspectiva comercial positiva do empregador – 18.19%

Contratação em 2021

Já do outro lado da moeda, quando os empregadores foram perguntados quais razões acham que serão as mais comuns para que novos talentos se juntem à sua empresa em 2021, o salário não foi o mais votado, mas sim uma maior segurança no trabalho, na opinião de 45% dos empregadores entrevistados. Um maior salário, razão apontada por 30,68% dos entrevistados, vem apenas em quinto lugar nas respostas, atrás ainda de: melhor pacote de benefícios (38,65%), um ambiente de trabalho mais diverso e inclusivo (32,67%) e uma perspectiva comercial positiva do empregador (32,27%).

A pesquisa mostra que os empregadores estão otimistas com o clima de recuperação econômica e retomada das contratações: 22,71% disse que planeja contratar em volumes maiores do que antes da pandemia, enquanto 9% afirmou que provavelmente estará em um congelamento de contratações e apenas 2,79% disse que provavelmente irá dispensar funcionários.

Alguns dos setores que foram mais afetados ainda permanecem mais receosos, como é o caso do setor de Varejo, Catering e Lazer, em que 37% dos empregadores afirmaram que ainda permanecem muito incertos quanto ao recrutamento em 2021. Entretanto, de maneira geral 33,86% dos entrevistados disse que não terá problemas para atrair talentos se e quando precisarem.

“Também notamos que mesmo com um número alto de desempregados, a falta de mão de obra especializada ainda é um entrave para os empregadores: 17% deles afirmou que a escassez de mão de obra e competências ainda será um grande obstáculo para atrair novos talentos em 2021”, diz Calbucci.

Metodologia

A pesquisa foi conduzida pelo Censuswide em nome do Indeed com 14.000 funcionários e 3.500 empregadores nos seguintes países: Reino Unido, França, Alemanha, Bélgica, Holanda, Itália, México, Brasil, Estados Unidos, Irlanda, Austrália, Índia, Singapura e Canadá. No Brasil, foram entrevistados 1.067 trabalhadores e 251 empregadores. A pesquisa foi realizada em novembro de 2020 por meio de um painel online.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui