quinta-feira , 13 junho 2024
Ínicio Carreira Empregos Quer aumentar o seu salário em até 3 meses? Faculdade lança primeiro Chat GPT do Brasil, que ajuda na negociação
EmpregosNoticias

Quer aumentar o seu salário em até 3 meses? Faculdade lança primeiro Chat GPT do Brasil, que ajuda na negociação

335

Muitas pessoas já vivenciaram o nervosismo de conversar com o chefe para pedir um aumento, ou tentar negociar a remuneração em uma entrevista de emprego. Não é incomum que o receio seja tanto que a melhor opção pareça ser não tentar. Por outro lado, às vezes essa parece ser a única maneira de avançar na carreira. Mas a pergunta que fica é: como passar por esse processo e sair vitorioso?

Para responder a essa pergunta, a Faculdade Sirius, focada em inteligência artificial e crescimento profissional, lançou uma ferramenta de inteligência artificial que ajuda a conquistar o salário dos sonhos. O Salary Negotiation Coach, versão personalizada do Chat GPT, é treinado especialmente para auxiliar o usuário nessa tarefa e está disponível para usuários do ChatGPT Plus. O recurso foi disponibilizado apenas dois dias após a OpenAI lançar uma ferramenta capaz de criar versões alternativas do ChatGPT, anunciada pela empresa no último dia 8.

Segundo Arnobio Morelix, CEO da Faculdade Sirius, alguns passos simples são a chave para o sucesso na hora da negociação. “Nós trabalhamos com o desenvolvimento de carreira em todas as nossas frentes, o que significa que, além das habilidades técnicas e práticas conquistadas em cada curso, os alunos também aprendem soft skills essenciais para o mercado de trabalho, como as de negociação”, aponta o CEO. Os alunos da instituição aumentam seus salários em até 67%, em média, após concluírem os cursos.

Nesse aspecto, Morelix indica quatro etapas que ajudam na construção de uma boa argumentação e aumentam as chances de sucesso na hora de negociar o salário. Confira:

  1. Planejamento

“É preciso começar o processo com antecedência, porque você vai precisar acompanhar o seu desempenho e progresso se quiser apresentá-lo com confiança e dados”, explica Arnobio.

Para isso, ele recomenda o uso da metodologia STAR: Situação, Tarefa, Ação e Resultado. Em resumo, você descreve o cenário em que estava, qual seu objetivo, o que foi feito para chegar lá e quais foram os resultados. Isso pode ser adaptado para inúmeros contextos. Por exemplo, se a situação for uma baixa em vendas, a meta seria aumentá-las novamente, e para isso é necessário realizar determinadas ações que levam a alguma consequência. O método STAR é uma forma de observar todos esses passos e anotá-los.

“Recomendo um mínimo de três meses fazendo esse acompanhamento, seja para uma situação que já existe ou para outras que podem surgir. Use números e métricas sempre que possível para ilustrar bem o impacto do seu trabalho naquele cenário”, ressalta Morelix.

No caso de entrevistas, o ideal é buscar no seu histórico situações profissionais desafiadoras e também usar o STAR nelas. Assim, quando estiver conversando com o recrutador, você saberá explicar exatamente o que aconteceu.

  1. Prepare o terreno

Este é o momento de fazer duas coisas ao mesmo tempo: definir qual seu objetivo salarial, e confirmar se está indo no caminho certo dentro da empresa.

“É importante saber o que você deseja e também saber sua posição atual no jogo. Pergunte à chefia como anda seu desempenho, procure saber o que pode fazer para melhorar. Tenha certeza de que seus superiores percebam seu interesse em aprimorar e crescer”, afirma o CEO.

Para ter uma noção do salário ideal, uma boa ideia é conferir sites como salário.com.br ou glassdoor.com.br. Faça uma pesquisa com base no seu local de trabalho, experiência, formação, regime de trabalho e tipo de contratação. Isso também é fundamental para saber qual pretensão salarial pedir em processos seletivos.

  1. Agenda a reunião e se prepare

Converse com a gestão para marcar uma reunião e avise que o tema será a revisão da sua remuneração. Então, enquanto o dia não chega, aproveite para fazer uma “pasta de trabalho”.

“A pasta de trabalho é um documento em que você vai identificar e descrever um problema pelo qual a companhia esteja passando, ou uma melhoria que poderia ser aplicada, e então criar uma proposta para isso. O foco é o futuro: é isso que você pretende levar para a mesa, e você já sabe exatamente o que e como fazer. Portanto, pense bastante nesse documento e o preencha com calma”, sugere Arnobio.

Essa técnica também funciona ao buscar um novo emprego, quando se faz a famosa “lição de casa”. Leia sobre a empresa contratante, compreenda as metas e valores e tente conversar com algum colaborador. Tudo isso pode ajudar na construção de uma pasta de trabalho.

  1. Pratique

“Muitas vezes, é na hora do discurso que os melhores profissionais se perdem. Treinar esse tipo de conversa é bastante recomendado para evitar isso, seja sozinho ou com um familiar ou amigo”, diz Morelix.

A prática te leva a estar preparado para apresentar tudo o que você preparou ao longo dos meses, e também para responder questões específicas que podem surgir. Por exemplo, em entrevistas, é comum que perguntem quanto você ganha atualmente ou no seu último emprego, e isso pode definir o valor que vão colocar em você. Mas, se você já tiver mostrado seus planos e experiências e evidenciado o que você pode fazer pela empresa, a visão do recrutador já será positiva antes mesmo da discussão salarial.

“A confiança e o preparo são as palavras-chave para qualquer negociação. Portanto, sempre estabeleça o seu valor como profissional antes de definir um preço, e crie um ambiente favorável para a conversa”, resume o CEO.

Todas essas dicas e outras podem ser acessadas com mais detalhes no e-book Negociação Salarial Descomplicada, que foi publicado pela Sirius como parte de uma série de eventos para o lançamento do novo Master in Data Science & Artificial Intelligence, em 23 de novembro.

Compartilhar