Sem derrapar: 5 dicas de como comprar e vender veículos de forma online de forma mais segura

Publicidade

Por Diego Fischer, CEO da Carupi* 

O mercado de compra e venda de veículos seminovos acelerou neste ano. Isso se dá pela paralisação de ao menos 10 montadoras, somada à falta de insumos para a produção. De acordo com a Fenabrave, as vendas em agosto foram 48,8% superiores em relação às do ano passado. Esses fatores são consequência das medidas restritivas para conter a disseminação da covid-19.  

Nesse cenário, comercializar seu automóvel se tornou uma oportunidade rentável. Muitas pessoas optam por fazer isso de maneira direta, sem o intermédio de concessionárias, o que pode trazer riscos. Veja 5 dicas de cuidado para fazer negócio sem entrar pelo cano: 

Publicidade

1 – Roubo / furto 

A visitação ao carro é uma oportunidade para pessoas de má-fé se aproveitarem da vulnerabilidade do dono do carro roubar ou furtar o veículo. Procure marcar encontros em locais públicos de grande movimentação, vá acompanhado e mantenha sempre a chave do carro com você enquanto mostra o veículo. Se tiver GPS no veículo, mantenha-o sempre ativo. 

2 – Fraude de financiamentos  

Ao mostrar o carro para interessados, não deixe o CRV (antigo DUT) à mostra. Uma simples foto do CRV pode ser suficiente para estelionatários fazerem um financiamento usando seu veículo como colateral – mesmo que sem o carro em mãos. Dessa forma, levantam dinheiro em nome de laranjas e deixam seu carro bloqueado para transferências, deixando o proprietário com uma dívida que não fez.  

3 – Acidentes 

Mesmo que o interessado seja uma pessoa de bem, vale a pena tomar muito cuidado na hora de deixá-lo fazer um test drive. Explique com muito cuidado os detalhes de dirigibilidade do carro e sempre acompanhe o percurso no banco da frente. Isso pode evitar acidentes e colisões.  

4 – Negociações injustas  

Saiba sempre quanto seu carro vale de verdade. Uma pesquisa rápida à Tabela FIPE e à Tabela KBB vão dar uma noção de quanto você pode esperar receber pelo seu carro. Não caia na conversa de compradores especulativos que só querem tirar proveito da sua vontade de vender o carro.  

5 – Pagamentos e transferências 

Se chegarem a um acordo sobre a negociação, garanta que o valor caiu em sua conta antes transferir o veículo. Consulte seu gerente do banco, se necessário. Cuidado com cartas de crédito de consórcio e com transferências que vão compensar mais tarde, como DOCs. Quando o pagamento for recebido, acompanhe o comprador até o cartório e garanta que ele assinou o CRV como comprador. Se você assinar o CRV como vendedor e o comprador não assinar a parte dele, ele pode ficar com o carro durante meses sem transferir, dando muita dor de cabeça com multas de trânsito futuras e multa de averbação. O carro efetivamente estará no seu nome, mas em posse de outra pessoa.  

Felizmente, hoje existem plataformas que facilitam o trâmite de compra e venda de automóveis de forma segura, sem sair de casa e com preços justos. Esses serviços são cômodos e fáceis tanto para quem compra, filtrando os interessados, quanto levando o veículo para test drive e dando suporte nos assuntos burocráticos e o melhor dos mundos: sem cobrar as taxas de uma concessionária, proporcionando uma melhor negociação para ambos os lados. 

* Diego Fischer é CEO da Carupi, startup de tecnologia que facilita o trâmite de compra e venda de automóveis – [email protected]com / https://carupi.com/ 

Publicidade

Artigos recentes

Notícias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui