Mais

    Tecnologias para o futuro do agro serão debatidas

    Publicidade

    A agricultura 5.0 representa a quinta revolução no setor de produção agrícola. Seu objetivo é aumentar os ganhos de produtividade, lucratividade e sustentabilidade por meio da automação de insumos, taxas de aplicação variáveis e melhor uso dos dados para orientar as decisões. Unindo o que há de mais moderno em inteligência artificial, robótica, tecnologia de ponta e digitalização de processos, essa nova evolução começa a aparecer nas lavouras de todo o Brasil e promete modificar o cenário rural mais uma vez.

    De acordo com o arquiteto de soluções da GAtec, Wellington Sena, que vai palestrar sobre o tema no Top Farmers, encontro que acontece nos dias 22 e 23 de novembro, em Campinas/SP, a Agricultura 5.0 é a revolução das tomadas de decisões no campo. Isso porque cada vez mais computadores auxiliam os produtores nas escolhas, com informações atualizadas sobre a produção em tempo real, na palma da mão por meio de um smartphone.

    Publicidade

    Ainda segundo o especialista, quando falamos em tecnologia é preciso estar atento a dois pilares importantes. Um é a questão de desenvolvimento, ou seja, ter ferramentas para promover essa tecnologia e o outro ponto muito importante são as pessoas que integram esse processo. Afinal, é preciso organizar todas as tecnologias que o cliente já tem para que não seja um “bando de dados” e sim um eficiente banco de dados. “O desafio é ter tudo isso estruturado para não perder informações. Nossa missão é conscientizar os profissionais no campo, mostrar todos os conceitos que já têm na prática e conectar todas as tecnologias”, diz Sena.

    Uma das ferramentas que vai ajudar a impulsionar e principalmente conectar o campo nessa nova era é o 5G. Em março deste ano foi dado o primeiro passo importante nesse sentido, com a inauguração da primeira antena 5G rural, no município de Baixa Grande do Ribeiro/PI, na Fazenda Ipê, de propriedade do Grupo Insolo – empresa cliente da GAtec.

    De acordo com Sena, o 5G pode ser até 100 vezes mais rápido, o que vai possibilitar abrir o leque de equipamentos que podem ser utilizados no setor. “O produtor poderá se aproveitar da alta conectividade para novas tecnologias, sensores e até o reaproveitamento de ferramentas com eficiência maior – economia de até 90% de energia, por exemplo”, destaca.

    As consequências serão redução de custos, ganhos de produtividade, maior integração entre os agentes e ativos produtivos, tempo de resposta menor entre tecnologias (mais agilidade), mais qualidade em atendimentos e suportes remotos (de mecânicos, por exemplo) e mais assertividade na gestão agroindustrial. “Com um acréscimo de 25% na rede de internet disponível no campo, podemos ter um aumento de 6,3% no valor bruto do produto do agronegócio, o que equivale, em 2022, a quase 1,2 trilhão de reais”, prevê o profissional.

    Publicidade

    Manejo sustentável de pragas

    Também nos dias 22 e 23 de novembro, acontece o 5º Seminário UDOP, trazendo aos mais de 200 participantes as principais inovações voltadas para o aumento de produtividade e competitividade do setor da bioenergia. O evento, que será realizado em Araçatuba/SP, também contará com especialistas da GAtec.

    O assunto principal da empresa será o manejo de pragas, que é algo fundamental e muito trabalhoso para qualquer atividade na agricultura, com a cana-de-açúcar não é diferente e os cuidados precisam ser ainda mais efetivos. Segundo o Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), estima-se que a infestação dos canaviais por fungos e insetos como a broca da cana-de-açúcar (Diatraea saccharalis), por exemplo, cause prejuízos anuais de R$ 5 bilhões.

    Entre as principais tecnologias para o manejo sustentável de pragas está o Shield Geoprotection, uma Plataforma Inteligente desenvolvida pela GAtec em parceria com a Entomol, consultoria especializada em pragas da cultura. “A ferramenta é inovadora e com a capacidade de imersão do usuário a um ambiente disruptivo de tomada de decisão mais assertiva para o manejo sustentável de pragas, trazendo grandes benefícios na redução dos índices de infestação, racionalização de insumos e redução de custos”, diz Luis Gustavo de Almeida, doutor em entomologia e diretor da Entomol Consultoria.

    O Shield abrange todas as etapas do programa de manejo integrado das pragas da cana-de-açúcar. Também permite a criação de um banco de dados rico em informações e a realização de estudos econômicos, com base em índices de perdas atualizados para as diferentes variedades da cultura, entre as diversas regiões do Brasil.

    A plataforma é ainda isenta de viés comercial no que diz respeito a produtos químicos e biológicos, visando sempre a eficiência operacional e a redução de custos dos produtores. Ou seja, a primeira indicação que é passada ao produtor é sempre priorizando os custos e o manejo sustentável, por isso a recomendação sempre que possível é primeiro a adoção do controle biológico e fisiológico. Quanto aos defensivos químicos disponíveis, são sugeridas as melhores opções sem comprometimento com nenhuma marca do mercado.

    Entre os seus diferenciais está a alta tecnologia com a utilização de Cloud, Big Data, geoprocessamento e inteligência artificial para previsibilidade de áreas mais suscetíveis às pragas e para recomendação do melhor controle no tempo certo. Além disso, há blocagem das áreas conforme agrupamentos de atributos e distâncias geográficas, com definição de blocos amostrais homogêneos, diminuindo a quantidade de áreas e pontos amostrados. Um aplicativo mobile interativo offline com fichas de monitoramento e mapas de orientação completam a ferramenta.

    Publicidade

    Artigos recentes

    Notícias Relacionadas

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui