Como se precaver aos golpes da internet

Publicidade

Artigo do Dr. Marcelo Campelo

Nós brasileiros estamos em primeiro lugar em mais uma estatística. Neste caso, não é um primeiro lugar a se comemorar. Segundo empresas de proteção de dados, os brasileiros são as pessoas que mais caem no golpe digital, chamado phishing, do mundo.

O phishing é uma forma de colher dados. Para conseguir as informações das vítimas, os criminosos enganam os consumidores através de ofertas falsas e promoções tentadoras por meio de e-mails falsos que remetem a sites também falsos, criados unicamente para trapacear e enganar a vítima. Tão simplesmente, somos enganados e, quando ocorre da forma desejada pelos vilões, fornecemos nossos dados e realizamos pagamentos. Geralmente são ofertas de produtos eletrônicos que todos desejam, por um preço atraente, por meio de um site falso de uma loja virtual famosa. O consumidor clica, insere seus dados, paga por meio de cartão de crédito ou até mesmo boleto e depois percebe que foi enganado quando não recebe o produto.

Publicidade

A empresa de tecnologia atribui a falta de uma educação digital para não cair nos golpes. As pessoas precisam compreender os sinais de fraude, como erros na página, por exemplo, locais que deveriam permitir clique e não o autorizam, erros de português e o domínio, o famoso “www” que, quando se trata de fraudes, não são remetidos ao site da loja supostamente vendedora do produto.

Com a difusão da internet, é mais do que importante, mas sim extremamente necessário que o público tenha conhecimento sobre o modo de se portar nos meios digitais. Visando ainda que até mesmo o governo, nas muitas das atividades públicas que os cidadãos devem fazer, exigem que essas sejam feitas por meio da internet, ensinar a população a se precaver nesse ambiente, é de vital importância.

Por isso, aqui reunimos algumas dicas de especialistas para se antever aos golpes digitais:

  • Antes de clicar em um link, veja se o endereço do site para o qual será direcionado é verdadeiro. Se a mensagem chegar por e-mail, confira se o remetente é legítimo;
  • Não clique em links suspeitos vindos em e-mails, SMS, WhatsApp ou redes sociais sem ter certeza de que são verdadeiros – mesmo se tiver recebido de um amigo ou familiar;
  • Procure pela promoção ou alerta no site oficial da empresa ou órgão, ao invés de clicar em links recebidos;
  • Se não tiver certeza de que o site da empresa é real e seguro, não insira dados pessoais;
  • Tenha um bom antivírus instalado em todos os seus dispositivos.

Na hipótese de já ter sido enganado, o consumidor deve procurar a Delegacia de Crimes Virtuais para apuração da autoria do crime para tentar recuperar o seu dinheiro.

A principal dica é: sempre desconfie de ofertas muito chamativas. Toda grande loja virtual possui contato por um telefone. Vale a conferência antes de qualquer compra.

Serviço: Dr. Marcelo Campelo

OAB 31366

Advogado Especialista em Direito Criminal

(41) 3053-8800 / (41) 99914-4464

Publicidade

Artigos recentes

Notícias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui