Mais

    Dicas para investir o 13º salário com segurança

    Publicidade

    Um levantamento da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), em parceria com a Offerwise, empresa global de pesquisas de mercado, aponta que 33% dos brasileiros pretendem gastar o 13º salário para comprar presentes de Natal e outros 24% querem usar o dinheiro extra para as comemorações das festas de final de ano. O valor deve ser usado também para o pagamento de impostos e tributos por 16% dos trabalhadores, mesma parcela que tem como objetivo quitar dívidas atrasadas. Em contrapartida, 34% querem poupar os recursos.

    Publicidade

    “Investir o 13º é a decisão mais assertiva para quem quer terminar o ano com mais  conquistas e realizações”, diz Lorelay Lopes, head de Negócios do UP Consórcios, fintech da Embracon. “Um dos motivos para que ele não seja investido é a falta de educação financeira dos brasileiros e planejamento das finanças, isso porque, muitas pessoas costumam gastá-lo de maneira impulsiva, sem considerar outros usos para ‘multiplicar’ essa quantia em longo prazo”, completa a executiva.

    O resultado disso pode ser um comprometimento no ano que está por vir, além disso, pode desdobrar em situações de endividamento, inadimplência e negativação. “Nesse momento, vale lembrar que não estamos passando por uma situação econômica favorável, o Brasil e o mundo estão em crise, por isso, é fundamental ter prudência e tomar decisões bem pensadas e planejadas”, analisa Lorelay.

    O consórcio é uma excelente forma de usar o 13º salário para concretizar conquistas como comprar um imóvel, adquirir um carro ou fazer uma viagem inesquecível em família. Confira oito motivos que fazem do consórcio um investimento seguro:

    1. Sem cobrança de juros

    Quando se compara o consórcio com as demais formas de investimento em bens, como o financiamento, um dos seus principais benefícios é poder efetuar o pagamento das parcelas sem juros. Apenas uma taxa de administração é embutida nas parcelas e ela é bem mais baixa do que a taxa dos juros aplicada nas demais modalidades de compra.

    2. Não há valor de entrada

    Publicidade

    Quando um financiamento é feito, há alguns valores de entrada que são exigidos. No consórcio, esse investimento não é solicitado. Além disso, é essencial ressaltar que não existe a necessidade de fazer comprovação de renda quando se investe em um consórcio. Isso acontece apenas no momento em que o investidor é contemplado, e se necessário, é possível contar com apoio de um devedor solidário.

    3. A educação financeira é trabalhada

    Hoje, a educação financeira tem sido vista como um dos pilares mais relevantes para a realização de qualquer projeto, seja familiar, seja pessoal. Diante desse cenário, as adesões aos consórcios crescem cada vez mais. Isso não ocorre por acaso. O consórcio possibilita a formação de poupança com os valores que serão destinados para as parcelas todos os meses.

    4. O seu poder de compra é garantido

    O poder de compra do investidor é mantido ao adquirir um consórcio, uma vez que o valor da carta de crédito é reajustada todos os anos. O índice de reajuste segue o que foi combinado no contrato e serve de base para as atualizações. Ou seja, enquanto o investidor não for contemplado, ele poderá ficar tranquilo, pois saberá que o seu poder de compra está garantido.

    5. É possível dar lances

    Você pode utilizar o 13º salário para dar lances todos os meses, até o momento de ser contemplado. Assim, caso o seu lance seja o vencedor, o imóvel será adquirido antes do prazo previsto. Mas lembre-se de que, para ofertar lances, é preciso estar com todas as parcelas em dia. Os valores dos lances podem variar conforme as regras do contrato e as ofertas dos consorciados.

    6. Possibilidade de utilização do FGTS

    O investidor tem a possibilidade de fazer uso do FGTS para amortizar ou liquidar o saldo devedor, aumentar o valor do crédito, ofertar lances, pagamento de parcelas do consórcio ou até complementação da carta de crédito. Nesse caso, quando o valor do imóvel desejado for maior do que o valor da carta. Esse tipo de operação pode ser realizada pela própria administradora. A empresa também pode indicar uma instituição financeira para o procedimento, desde que sejam conveniadas. O recurso é utilizado apenas para o segmento de imóvel.

    7. Valores atualizados ao fim do consórcio

    Outro benefício desse tipo de investimento é: quando um cotista, que não foi contemplado, termina de pagar o seu consórcio e está pronto para receber a sua carta de crédito tem os valores investidos atualizados. Isso significa que a carta de crédito que é recebida ao final da quitação vai levar em consideração a inflação e a variação monetária sofrida em todo o período. Em outras palavras, o investidor não perderá nada do seu investimento.

    8. Há vantagens de uma compra à vista

    A compra de um imóvel acontece como se o pagamento fosse feito à vista quando você tem em mãos a carta de crédito e é contemplado. Essa é uma facilidade que vai garantir menos burocracia com as documentações e, ainda, uma negociação bem mais lucrativa. Estamos falando de uma excelente opção para aqueles investidores que são disciplinados financeiramente, ou que desejam ser.

    Publicidade

    Artigos recentes

    Notícias Relacionadas

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui