sexta-feira , 14 junho 2024
Ínicio Internet O Google Analytics como conhecemos vai desaparecer: dicas para se adaptar ao GA4
Internet

O Google Analytics como conhecemos vai desaparecer: dicas para se adaptar ao GA4

522

O Google Analytics, uma das principais ferramentas de análise de dados utilizadas em todo mundo, está passando por uma grande mudança. A versão implementada em milhões de empresas até hoje, Universal Analytics (UA), não processará novos dados a partir de primeiro de Julho deste ano, para as propriedades gratuitas. As propriedades pagas serão extintas no primeiro dia de Outubro. Daí em diante, será preciso usar a nova versão, que tem dado muito o que falar: Google Analytics 4 (GA4).

Apesar de não ser um anúncio inédito — o GA4 foi apresentado ao mundo em 2020 —, só agora o prazo final para a adaptação está, de fato, chegando. Com tantos movimentos no mercado nos últimos anos, algumas companhias ainda não estão completamente preparadas para essa significativa alteração em seu modo de trabalhar os dados.

“Com a data se aproximando, muitas pessoas começam a ficar preocupadas e acham que não vão conseguir se adequar às novidades”, afirma Leandro Furlan, Gerente de Tech da agência full service Adtail. “Isso não é verdade. É possível fazer essa transição mesmo em pouco tempo, o segredo está em conhecer a plataforma e entender o que está diferente. Claro, sempre que possível é recomendável a ajuda de profissionais da área de análise, tanto para a mudança quanto para a operação no dia a dia”.

Para quem precisa implementar os ajustes e não sabe por onde começar, a Adtail desenvolveu alguns materiais de auxílio: uma playlist de vídeos semanais sobre o GA4, pequenas aulas ministradas pelo próprio Leandro Furlan, que serão postadas até o início de julho; e um ebook preparatório com as principais informações sobre o novo Analytics.

Além disso, Leandro também listou dicas importantes para iniciar essa virada de chave:

Entenda os diferenciais

Quem já está acostumado com o Universal Analytics pode levar alguns costumes e entendimentos para este novo momento. Por isso, um dos primeiros passos é entender exatamente quais são as mudanças propostas pelo GA4.

“O Google Analytics 4 foi projetado para ser um ecossistema em evolução, com aprendizado de máquina (machine learning)) em seu núcleo”, ressalta Leandro. “Essa talvez seja uma das maiores alterações. Isso vai permitir uma série de estimativas, como probabilidade de compra, de rotatividade, previsão de receita, entre muitas outras possibilidades”.

Na prática, os principais diferenciais da nova plataforma são:

  • Foco em proteção à privacidade, sem necessidade da utilização de cookies;
  • Centralização de dados em todos os dispositivos e plataformas, permitindo a captura de eventos online e offline;
  • Exportação de eventos de conversão para o Google Ads;
  • Nova interface de relatórios com diversas melhorias;
  • Análise dos dados em tempo real;
  • Recurso de “Pathing” para entender o comportamento do usuário no app e no site.

De forma geral, o GA4 permite uma visão holística dos visitantes, com várias integrações inéditas entre sistemas Google (como com o YouTube, por exemplo) e dispositivos conectados à internet (como programas de pontos de venda ou quiosques).

Configurações iniciais

As primeiras etapas da migração entre versões de Analytics envolvem configurações básicas, mas que podem ser esquecidas. São ajustes fundamentais para começar a utilização da plataforma: a autorização para a coleta de dados, definição de período para a retenção dos dados (que fica por padrão em 2 meses), vinculações com outros produtos e contas (como o Google Ads), e a definição de público-alvo.

“As primeiras configurações não são tão complexas e podem ser resolvidas em pouco tempo, mas é preciso ter certeza do que está sendo informado ao programa”, explica Leandro. “As contas do Google Ads, por exemplo, agora devem ser obrigatoriamente conectadas com o GA4, mas nem todo mundo sabe disso”, antecipa  o Gerente de Tech.

Visualização de relatórios

“De forma geral, é importante que os profissionais se familiarizem com a nova interface, descobrindo-a aos poucos, vendo as funcionalidades. Especificamente os relatórios são parte essencial desse entendimento, uma vez que é a partir daí que toda tomada de decisão será realizada”, salienta o profissional de tecnologia.

Os relatórios são distribuídos dentro de diferentes categorias: aquisição, engajamento, monetização e retenção. Ao visualizá-los, além dos gráficos automáticos, é possível escolher até duas dimensões específicas dos dados para comparação. Por exemplo, um relatório de aquisição pode demonstrar os números de origem que vem de mídia, e os números de origem que vem de uma campanha. Isso é uma possibilidade dentro do relatório geral de aquisição.

“Recomendamos a playlist ‘Pílulas do GA4’ para ver como essas e muitas outras dicas são aplicadas na prática, passo a passo”, indica Leandro. “O fundamental é que as empresas estejam indo atrás e se preparando para o final dessa migração. As novidades são bastante positivas e todos têm a ganhar com o GA4. É só estar pronto para essa chegada triunfal”, conclui.

Compartilhar