Profissões em alta no pós-pandemia

0
Causar uma boa impressão, principalmente em entrevistas de emprego, pode ser um fator decisivo

Uma das maiores consultorias de RH do Brasil já tem mapeadas as posições que serão mais demandadas

 É inegável que a pandemia alterou a dinâmica de muitas práticas do dia a dia, o que gerou uma reconfiguração de diversos segmentos da economia.

Na Luandre, um dos expoentes deste movimento é justamente o setor de RH que está buscando profissionais para cargos novos, como o de especialista em Diversidade e CHO – Chief Happiness Officer (Diretor de Felicidade).

Para Gabriela Mative, superintendente de RH na Luandre, cargos como estes, que antes não existiam, passam a ocupar lugar de destaque na cultura da companhia. “É uma tendência procurar pessoas capacitadas para estas posições, uma vez que as empresas se preocupam cada vez mais com o ambiente corporativo e o bem-estar de seus colaboradores”, diz.

Ela indica também que cargos sêniores em geral estarão em alta, já que a experiência faz e fará a diferença para diversas companhias que sofreram algum tipo de desgaste durante a quarentena. Por isso, existe uma grande procura para cargos de liderança, com ênfase para a área de finanças. Entre os principais, diretor comercial, planejador financeiro e CFO ou diretor financeiro.

“Com a crise, muitas empresas aprenderam na prática a necessidade de ter uma boa inteligência financeira e estão ainda mais de olho nisso para o futuro”, analisa Gabriela.

Já em relação à área da saúde, as oportunidades continuam sendo abertas nos hospitais e clínicas especializadas, mas tendem a diminuir: “no pós-pandemia haverá uma queda nas contratações que voltarão aos níveis normais, mas de qualquer forma a área da saúde é muito dinâmica e sempre precisou contratar muito para completar seus quadros”, pondera Francine Silva, também superintendente de RH da Luandre.

Outra área com ótimas perspectivas segundo Francine é a de TI, principalmente ligada ao comércio virtual, que embora já desse sinal de crescimento com o acesso cada vez maior da população à internet, teve um boom no período de distanciamento social em razão do fechamento de lojas físicas — cresceu 71%* entre 24 de fevereiro de 24 de maio deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, tendo faturado R$ 27,3 bilhões.

“Houve um crescimento da oferta para programadores, analistas de BI, analistas de marketing digital, carreiras que estavam em alta antes e que devem continuar a ser demandadas com cada vez mais força, visto que a mudança no comportamento de consumo veio para ficar”, afirma.

Ela completa que a área de logística também tende a aumentar cada vez mais as contratações, pois está na cadeia seguinte, a do e-commerce – “neste período, de abril até agora já notamos um aumento de 200% na disponibilidade de vagas em relação a 2019”.

*Dados Compre&Confie

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui