Empresária fatura 20 milhões trabalhando de pijama

Toda a equipe e as 67 filiadas espalhadas pelo mundo também adotam o vestuário

1

Aos 28 anos, separada, com uma filha de dois e 90 mil reais em dívidas, Natalia Martins não viu outra solução senão continuar a fazer o que sabia: micropigmentação. O que ela não imaginava era que o faturamento anual do negócio, que teve início em uma casinha alugada de 30 m², chegaria ao patamar dos milhões. “Também nunca imaginei, nos meus melhores sonhos, que teria filiais em Dubai, EUA, Chile, Suíça, Itália, Portugal e que um dia eu e minha equipe trabalharíamos de pijama”, diverte-se a empresária.

A veia empreendedora, mesmo que tímida, nasceu na necessidade de ajudar os negócios da família, um restaurante em Santana do Parnaíba. “Eu fazia de tudo, lavava louça, pesava os pratos, ficava no caixa, mas sempre observando o dia-a-dia do negócio”, explica Martins.

 

Quando Natalia se casou, decidiu abrir uma clínica de estética em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, em sociedade com o marido. “Eu administrava o negócio e via a necessidade de ampliar os tratamentos. Decidi pagar um curso de micropigmentação para uma funcionária que topou, mas assim que se formou, abandonou a clínica e todas as clientes. Não deu outra: decidi eu mesma fazer o curso e dar continuidade aos atendimentos”, conta Natalia.

Por conta de um casamento conturbado, a separação foi inevitável e a sociedade desfeita. “Voltei para a casa dos meus pais com uma mão na frente e outra atrás e com uma dívida de 90 mil reais. Não tinha um centavo e meu nome estava sujo. Então comecei a atender na casa dos clientes. Em uma semana, consegui juntar 12 mil reais. Foram sete dias trabalhando das 9 da manhã a meia-noite”, lembra a empresária.

A partir daí, o foguete Natalia, que como ela mesma diz “nunca anda para trás”, decolou alto. Alugou o próprio espaço e no início do negócio atendia o telefone, fazia a limpeza do espaço, marcava horário para os clientes e realizava os procedimentos. “Eu trabalhava mais de 12 horas por dia e não fazia mais nada. Não saía, não me divertia, não comprava roupas nem comia em lugares legais. Guardava todos os centavos que entravam como lucro. Em um ano e dois meses, todas as minhas dívidas estavam quitadas”, orgulha-se.

Hoje, a Natalia Beauty & Academy tem uma matriz em São Paulo, na Avenida Rebouças, em uma casa de 250 m² e mais de 67 filiadas espalhadas pelo mundo. A NBA, além de oferecer diversos tratamentos com micropigmentação, ministra cursos da técnica, tem loja dos produtos de marca própria e vai encerrar o ano de 2020 faturando 20 milhões de reais. “Já formamos mais de 11 mil especialistas em micropigmentação labial, paramédica e fio a fio, e acredito que é uma ótima oportunidade para homens e mulheres que precisam recomeçar e não sabem como”, diz.

Natalia também afirma que sua meta diária é devolver a autoestima não só das alunas com a capacitação, mas também de clientes que tiveram câncer de mama ou pessoas que nasceram com lábio leporino. “Por isso ofereço, gratuitamente, tanto a reconstrução da aréola quanto dos lábios. É minha forma de retribuir tudo que recebi até hoje”, explica.

E o pijama? Como entrou nessa história? “Sempre fui insegura em relação a todas as ações, decisões, roupa, cabelo, etc, e com muito medo do que os outros pensariam sobre mim. Eu tinha muito complexo de inferioridade, todos eram melhores que eu, queria estar sempre no padrão para me sentir parte da “tribo” e ser aceita. Por isso, para mim, trabalhar de pijama junto com a minha equipe é uma forma de quebrar esse ciclo e ter a liberdade de poder ser quem queremos ser sem rótulos”, finaliza a empresária.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui