Vacinação aumenta confiança de empresários do franchising

0

Com a aprovação emergencial da Anvisa para a aplicação das vacinas contra o coronavírus, o empresariado brasileiro acredita na retomada econômica e vê, mesmo com cautela, uma esperança em dias melhores. O isolamento social imposto pela pandemia causou perdas na receita de diversos setores, embora  houve aqueles que conseguiram manter as atividades e, outros, até mesmo obter crescimento em um período tenebroso.

É o caso, por exemplo, do Mr. Fit, rede de alimentação saudável, que teve um avolumamento de 100% nos negócios desde o início da pandemia. Segundo Camila Miglhorini, CEO da franquia, a vacina é uma esperança de dias melhores sim, mas ainda é preciso ter cautela. “Para nós, o ano de 2020 foi favorável no tocante ao crescimento da empresa como um todo, sentimos um aumento na procura da boa alimentação pelo público que seguiu certinho o isolamento social. Para este ano, pretendemos manter a estabilidade que conquistamos em 2020”, declara.

Outra empresa que conseguiu se adaptar às mudanças impostas pelas legislações governamentais durante a pandemia e manter seu caixa foi a Anjos Colchões & Sofás. Segundo o diretor de franquias, Leonardo dos Anjos, o ano de 2020 foi de muitas incertezas e mudanças, mas a rede conseguiu bater todas as metas e atingir um crescimento significativo. “Em 2021, mesmo com o começo da imunização, esperamos algumas dificuldades, já que o processo será gradativo, mas são nos momentos de crise que surgem as oportunidades e a agilidade para se adaptar é condição sine qua non”, afirma.

Na Casa de Bolos, rede pioneira no segmento de bolos caseiros, a confiança é de um 2021 próspero, principalmente no tocante ao aumento do número de unidades franqueadas. Para o diretor de marketing, Rafael Ramos: “A vacina trará um fôlego para o franchising, que deverá atrair novos empreendedores que perderam o emprego na pandemia. Um investimento no sistema de franquias tem seus riscos, como qualquer outro, mas em momentos de insegurança e crise, há uma grande vantagem quando se opta por um modelo de negócios já validado no mercado, sobretudo quando ligado à credibilidade de uma marca com história e já conhecida”, declara.

Atuando em uma das áreas que mais conseguiu prosperar durante a pandemia, Renato Ticoulat, presidente da rede Limpeza com Zelo, destaca que o período trouxe um aprendizado adicional: a limpeza não deve ser apenas pela estética e sim pela saúde. “Acredito que ainda precisaremos ter cautela, mesmo com a vacina e, se necessário nos adaptarmos a outras mudanças. A tendência é de haver mais confiança da população e do mercado, mas é momento, também, de desenvolver uma cultura resistente e anti-frágil, ou seja, aquela que se adapta com facilidade aos cenários”, comenta o executivo.

Já para Gabriel Concon, sócio fundador da Pizza Prime, outro segmento que conseguiu se manter bem em 2020, “mesmo com a vacina, o ano ainda será bem desafiador, com muitas incertezas e que terá um grande reflexo na economia. Mas, em contrapartida, também será um ano recheado de oportunidades, pois tem muita gente querendo empreender e ter sua autonomia empresarial, saindo da dependência de uma contratação”, explica.

Leandro Souza, CEO das redes Bendito, de cafés e cookies, e Espetto Carioca, de bares e restaurantes, acredita que com a alta expectativa com o sucesso da vacina, a economia deve se beneficiar “Isso ajudará ainda mais a recuperação do consumo voltar ao patamar que era, ou ao menos, se aproximar”.

Para quem atua no setor de serviços não essenciais, a vacinação é a esperança de recuperar os prejuízos de 2020 e voltar a crescer, como é o caso da rede de depilação Pello Menos. “Como as lojas ficaram fechadas por alguns meses do ano passado, nossa meta inicial foi adaptada e priorizamos por manter o caixa da empresa sustentável ao invés de lucrar. Agora, esperamos recuperar o nosso faturamento e a vacina vem em um momento oportuno, em que as pessoas ainda estão receosas de irem às ruas”, comenta a CEO, Regina Jordão.

O presidente da rede de podologia Doctor Feet, Jonas Bechelli, também se diz otimista com a chegada do imunizante no país. “A expectativa é alta e acho que demos um passo importante para a normalidade. Hoje o perfil que frequenta nossas lojas são os mais jovens, que não era nosso público principal, reflexo da mudança de comportamento da população. A meta, agora, é retomar o atendimento aos mais velhos, depois da imunização, e preservar os mais novos”, diz.

Já a Sestini, empresa referência do segmento de mochilas e malas, por sua vez, acredita que com a chegada da vacina, 2021 será mais um ano de desafios, porém de grandes oportunidades. “Haverá uma predominância das empresas mais capacitadas em entender e reagir às novas demandas do mercado sobre aquelas que não conseguirem aceitar e reagir às mudanças. A tendência é a continuidade da aceleração digital, a implementação da omnicanalidade nas empresas e a busca por inovação, produtividade e agilidade”, explica Rodrigo Arantes Carneiro, franqueado da rede.

Para Paulo Zahr, presidente da OdontoCompany, a maior rede de clínicas odontológicas do mundo, 2021 começa com otimismo. “Espero que seja um ano de soluções para os entraves na economia do país, nosso desafio é continuar criando mais oportunidades de emprego, apostando nas oportunidades que, sem dúvida, estão na área da saúde”, finaliza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui