Especialista acha data importante para estimular o debate sobre uso responsável da internet e dá dicas para que o uso da rede seja o mais tranquilo possível

O Dia da Internet Segura é uma data internacional que tenta promover ações e um grande debate público em relação ao uso seguro da rede mundial de computadores. Ela foi criada há mais de uma década pela Rede Insafe, da Europa, sendo que hoje em dia mais de 140 países lembram a data de alguma forma. Em 2020, o Dia da Internet será lembrado em 11 de fevereiro.

A especialista em infraestrutura de TI e CEO da it.line, Sylvia Bellio, pontua que apesar da internet possuir uma história de mais de 20 anos, precisamos sempre nos manter atualizados na maneira de lidar com a ferramenta que é ágil e  vive em constante evolução. Ela defende que o Brasil ainda precisa de discussões maiores sobre uma utilização responsável da rede e que o Dia da Internet Segura é essencial para isso.

“Datas como essa são importantes para estimularem entidades civis e governamentais a promoverem uma conversa saudável sobre o uso da internet. Apesar de difundida, já que estamos praticamente 24 horas conectados, principalmente por causa dos celulares, muita gente ainda desconhece sobre práticas que as colocam em risco na rede. Além disso, cada dia surgem novas modalidades de crimes cibernéticos e os criminosos se aproveitam da distração dos usuários, por isso, é preciso ficar sempre vigilante”, argumenta.

Sylvia lembra que ações simples podem evitar estragos enormes como golpes financeiros e roubos de senhas com exposição da privacidade. Ela lista algumas dicas para acessar a internet de maneira mais segura, seja no computador, celular, tablet ou qualquer outro dispositivo:

 

Softwares

  • Uma das primeiras recomendações em relação a segurança é ter sempre um antivírus instalado em seu aparelho;
  •  Mantenha sempre seu dispositivo atualizado, instalando as versões mais novas dos softwares. Essa medida garantirá melhor proteção contra novos vírus e programas maliciosos;
  • Não baixe programas e músicas ou filmes piratas. Além de ser uma ação ilegal, o usuário corre um risco muito grande, já que os arquivos podem estar contaminados com vírus.

Sites

  • Observe se a página que você está utilizando possui as letras “https” e um cadeado na parte esquerda antes do link, que são indicativos de autenticidade;
  • Caso você tenha filhos menores de idade, ative o controle parental do Google. É possível configurar essa ferramenta através do chamado “Safe Search”. Ele bloqueia sites maliciosos e de conteúdo adulto nas pesquisas. Além disso, também é possível bloquear palavras específicas como “nudez” ou “morte”, por exemplo;

Compras

  • Evite utilizar Wi-Fi público para realizar compras ou transações bancárias.  Caso essa situação possa se apresentar, tenha previamente um aplicativo de VPN instalado no celular ou computador. O VPN é uma rede virtual privada que praticamente impossibilita o acesso a seus dados na internet;
  • Antes de fazer compras virtuais, cheque se a empresa possui CNPJ válido, endereço, telefone para contato e razão social. De acordo com a Legislação, um empreendimento online no Brasil precisa mostrar essas informações aos clientes;
  • Opte, se possível, por pagamentos com cartões de crédito pré-pagos ou virtuais. Os problemas, caso eles sejam vazados para hackers, serão menores do que um cartão de crédito convencional. Evite também deixar salvo nas lojas online os dados do seu cartão de crédito. Tente buscar por avaliações da empresa em sites de reclamações.

Aplicativos

  • Desconfie de links com promoções enviados por números desconhecidos em meios não convencionais, como o WhatsApp e SMS. Isso também vale para e-mails de endereços desconhecidos e estranhos;
  • Não revele informações pessoais em ambientes desconhecidos, como jogos online, chats e aplicativos de namoro;
  • Não confirme dados pessoais ou repasse códigos recebidos por SMS para pessoas no telefone. Esse golpe tem sido muito comum, sendo que ele é utilizado para clonar o WhatsApp. Depois de ter acesso ao aplicativo, os criminosos geralmente pedem dinheiro para contatos próximos da vítima ou realizam a extorsão para devolver o acesso;
  • Use o método de segurança de verificação em duas etapas em todos os aplicativos e redes que permitem. A verificação em duas etapas é um procedimento que garante a segurança de suas informações porque cria duas senhas diferentes para acessar uma conta, o que complica a vida de fraudadores. O método pode ser usado no WhatsApp, redes sociais e e-mails.

Redes sociais

  • O conteúdo postado nas redes sociais dá muitas pistas para intrusos, por essa razão é recomendado não publicar endereços residenciais, telefones, data de nascimento, placa do carro, fotos da frente da casa, passagens aéreas, documentos em geral, ou mesmo marcar os lugares públicos que frequenta. Há muitas informações importantes que podem ser cruzadas por algoritmos e facilitar a ação de pessoas mal-intencionadas;
  • Gerencie as configurações de privacidade das redes sociais e buscadores que você utiliza. Através das configurações é possível filtrar o acesso e utilização dos dados pelas empresas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui