terça-feira , 5 março 2024
Ínicio Empreendedorismo MEI: nova regra vai ampliar previdência do empreendedor
Empreendedorismo

MEI: nova regra vai ampliar previdência do empreendedor

148

A nova regra de faturamento do Microempreendedor Individual (MEI) vai incentivar uma maior contribuição previdenciária. A medida possibilitará uma aposentadoria mais substancial. O anúncio da nova medida foi feito nessa quarta-feira (29/11), pelo ministro do Empreendedorismo, Márcio França (PSB), durante a 2ª reunião ordinária do FPMPE (Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte).

A proposta, anunciada em encontro que ocorreu no edifício-sede da CNC (Confederação Nacional do Comércio) em Brasília e que contou com a presença do presidente interino, Geraldo Alckmin (PSB), visa estabelecer uma tabela progressiva de impostos para o MEI, alterando a forma como os microempreendedores individuais contribuem atualmente.

O teto de faturamento do MEI, fixado em R$ 81.000 por ano, é acompanhado por uma faixa de tributação que varia de R$ 67 a R$ 72, dependendo da atividade realizada pelo microempreendedor. Esta quantia contempla tributos, como INSS, que possibilita uma aposentadoria de um salário mínimo. Com a implementação da nova regra, prevista para 2024, os MEIs poderão contribuir mais com a previdência, que proporcionará uma aposentadoria maior.

“O projeto de mudança na contribuição do MEI precisa ser aprovado. Hoje o MEI contribui com um valor fixo independente do quanto fatura, e por isso a contribuição do INSS é baixa. A medida anunciada pelo ministro abre a possibilidade da contribuição ser complementada, e assim,  poder se aposentar com um valor maior. É fundamental que a medida seja opcional, pois não é salutar obrigar o microempreendedor a pagar mais. A possibilidade do empreendedor se aposentar com um valor maior é uma boa ideia”, disse o diretor de assuntos legislativos da FENACON, Diogo Chamun.

Atualmente, empreendedores que faturam entre R$ 500 e R$ 6.750 por mês pagam tributos unificados por meio do DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional), cujo valor varia conforme a atividade e inclui INSS (Previdência), ISS (municipal) e ICMS (estadual). A proposta do ministro representa uma mudança significativa no regime tributário para microempresas, buscando equilibrar a arrecadação previdenciária e proporcionar benefícios previdenciários mais substanciais aos empreendedores.

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Conteúdo Relacionado

Jovem transforma paixão por confeitaria em empreendedorismo

No coração de Benfica, Rio de Janeiro, uma jovem empreendedora está deixando...

Micro e pequenas empresas crescem e movimentam a economia

Primeiras a reagir em momentos de crise, as micro e pequenas empresas...

Filho de imigrantes, ex-motoboy teve três motos roubadas e hoje é sócio de franquia que fatura R$ 30 milhões por ano

Antonio David Ferreira nasceu em uma família de imigrantes portugueses com nove...

Quer abrir uma franquia do seu restaurante? Automação é essencial para esse próximo passo

Quando uma empresa do setor de gastronomia está obtendo sucesso e gerando...