segunda-feira , 15 abril 2024
Ínicio Empreendedorismo Quando é a hora de virar um multifranqueado?
Empreendedorismo

Quando é a hora de virar um multifranqueado?

204
Compartilhe

O franchising segue em evolução e sua recuperação encontra-se consolidada. Com crescimento de 12,9% comparado ao segundo trimestre de 2022, de acordo com dados divulgados pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor faturou R$ 54,2 bilhões nesse período. Peças importantes nesse avanço, os franqueados fazem toda diferença no plano estratégico e expansão das redes. Diante desse cenário, muitos se sentem preparados para acompanhar esse crescimento e expandir suas operações, tornando-se multifranqueados. Ainda segundo a ABF, em 2022, cerca de 82,9% das redes de franquias no país contavam com multifranqueados, ou seja, donos de mais de uma loja da mesma marca. Mas, quando é a hora certa de dar esse passo?

A decisão envolve vários elementos cruciais que devem ser cuidadosamente considerados.  Para Lucien Newton, vice-presidente da vertente de consultoria do  Grupo 300 Franchising Ecossistema de Alto Impacto, antes de considerar a expansão como multifranqueado, é aconselhável ter uma franquia bem estabelecida e plena compreensão do modelo de negócios. “Tornar-se um multifranqueado depende de vários fatores, como o sucesso da franquia atual, recursos financeiros disponíveis e capacidade de gerenciar múltiplas operações. Por isso, é  importante avaliar bem cada um desses aspectos e considerar a experiência e os recursos necessários para expandir com sucesso para mais unidades”, ressalta.

Antes de ampliar, é essencial que a franquia esteja operando com sucesso e obtenha resultados positivos. Além disso, a capacidade de comandar várias lojas requer habilidade de gestão, liderança e organização, já que será necessário supervisionar operações e locais diferentes e que muitas vezes ficam distantes uma das outras, por isso também será necessário planejamento de logística.

“Expansão requer investimento financeiro e é importante certificar-se de ter todos os recursos necessários para abrir e manter novas unidades, isso inclui custos operacionais, capital de giro e marketing”, afirma Lucien Newton.

Com isso em mente, um plano de expansão previamente feito pode ser colocado em prática. “É aconselhável desenvolver um plano detalhado de como se pretende expandir, isso inclui cronogramas para abertura de novas unidades, estratégias de marketing e metas financeiras. Sendo assim, consultar a franqueadora seria o melhor passo. Isso porque é necessário entender as políticas de expansão para receber orientações nesse sentido.  Elas podem fornecer insights valiosos sobre a viabilidade da expansão e oferecer suporte durante o processo”, explica.

O conhecimento do setor também faz total diferença nessa tomada de decisão. Quanto mais por dentro dos dados de mercado e modelos de negócios da franquia, maior a probabilidade de sucesso. E isso inclui entender as tendências do mercado, a concorrência e, é claro, a necessidade do cliente. “Esse processo também deve contar com uma equipe de confiança, já que a administração de vários negócios pode tornar-se algo complexo apenas para uma pessoa. Assim, ter ao lado gestores competentes para a necessidade de cada operação é vital para o sucesso do investimento”, completa.

O crescimento do setor é nitidamente um esforço conjunto de franqueado e franqueador, por isso os multifranqueados são fundamentais para esse sucesso. Cada um tem seu momento certo de expandir e isso varia de pessoa para pessoa,  conforme as  especificidades de cada situação. Uma avaliação realista e estratégica é essencial para garantir uma expansão bem-sucedida e sustentável, independentemente do segmento.

Conheça três histórias de multifranqueados de sucesso:

Vannina Arruda, 34 anos, abriu a primeira franquia da Anjos Colchões & Sofás em 2018, com o marido. O investimento deu tão certo, que hoje eles possuem oito unidades em São Paulo. “No começo trabalhamos apenas eu e o Denis, meu marido, até termos a oportunidade de abrirmos mais lojas. Hoje temos lojas em Marília e Bauru, e junto com o Fábio, nosso sócio, temos em Limeira, Piracicaba e Americana”, diz. Para quem está pensando em reinvestir no negócio e virar um multifranqueado, Vaninna alerta sobre a importância de ter um “caixa saudável”: “primeiramente é importante ter um caixa saudável, que é uma empresa sem dívida, e fluxo de caixa para no mínimo três meses. Depois, é preciso estudar bem o mercado e encontrar uma ótima localização para abrir as outras unidades”, diz a franqueada.

Enquanto assistia a pandemia ganhar força no Brasil, o jornalista Leonardo Celeski, 30 anos, iniciava a obra de adequação de um imóvel para ser sede da sua primeira unidade da Oral Sin, em São Bento do Sul/SC. A obra avançava na mesma velocidade que a Covid-19 no País. Dias de apreensão até a notícia do governo estadual: lockdown. Nesta pausa da obra, uma reflexão sobre o caminho para onde estava indo. Com receio, mas convicto do investimento, seguiu com a obra e inaugurou a clínica em maio de 2020, sem cerimônia e com todos os cuidados. “Dois anos depois, com muito trabalho e boas práticas, resolvi seguir na área e iniciei um plano de expansão, com respaldo da equipe da franqueadora. Atualmente, estamos à frente de três unidades da Oral Sin, todas em Santa Catarina”, comenta.

Já para o casal Camila de Castro Aleixo, 38, e Diogo Eugenio de Melo, 42, virar multifranqueado da Sestini em Manaus, marca referência há 29 anos no segmento de malas, mochilas, bolsas e acessórios, foi uma questão de oportunidade. As negociações começaram em junho de 2022 e inicialmente eles abriram no Amazonas shopping, mas o desejo sempre foi ter uma loja no shopping Manauara, até que surgiu um ponto estratégico e o casal decidiu abrir a segunda loja: “a oportunidade quando ela vem, você precisa agarrar. Como conseguimos um ponto muito bom, decidimos abrir a segunda loja. Gostamos muito da Sestini, achamos muito interessante os produtos e o estilo da loja, que chama atenção. Como esse ponto é mais estratégico, acreditamos que vamos ter um ticket médio maior, com um público mais A e B”, disse Camila. A nova loja inaugurou no final do mês de agosto e é uma boa oportunidade também para divulgação da franquia: “O início é sempre desafiador, principalmente quando a marca não é tão conhecida na cidade, que foi nosso caso. Então estamos fazendo um bom trabalho e empenhados na divulgação da rede”, disse a franqueada.

Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Conteúdo Relacionado

Rede de franquias aposta em importação direta da China para ampliar catálogo de produtos e impulsionar vendas

Em uma estratégia audaciosa para fortalecer sua presença no mercado e oferecer...

Vai abrir um negócio? Veja 5 dicas para impulsionar suas vendas

No Brasil, o mercado de varejo continua a mostrar sinais de recuperação...

Do garoto vendedor de cocada ao empresário de sucesso

Nascido em São Paulo, oriundo de uma base familiar simples, Édem Davanzzo...